OSC ‘Super Ação’ trabalha por um mundo melhor

Muito tem se falado que, após a pandemia do coronavírus, o mundo será outro com as pessoas se preocupando mais umas com as outras. Será? Existem pessoas que não esperaram por pandemia para agir assim.

O mineiro Marcos Antonio de Sá veio para Manaus há 36 anos e, desde então, tem trabalhado como borracheiro, uma atividade que, à primeira vista, parece render pouco dinheiro. Engano. Há doze anos, na comunidade Jesus Me Deu, bairro Colônia Terra Nova, onde mora, Marcos começou organizando campeonatos de futebol, para adultos, que chegavam a reunir 30 times. Com o tempo ele percebeu que podia fazer bem mais não só pelas pessoas do bairro onde mora, mas pelo meio-ambiente do local.

“Há dez anos comecei a realizar um trabalho de conscientização com os moradores das margens do igarapé do Passarinho, que corta o bairro, e temos conseguido bons resultados. Muitos desses moradores pararam de jogar lixo dentro do igarapé e mantém, na frente de suas casas, a margem cuidada e limpa. Fazemos essa conscientização através de reuniões, palestras e campanhas”, disse.

Há cinco anos Marcos resolveu oficializar o trabalho voluntário que fazia no bairro e criou a Super Ação, uma OSC (Organização da Sociedade Civil), inclusive montando uma sede própria no ano seguinte.

“Então se abriu um leque de atividades que foram surgindo e, agora, com o apoio de outras pessoas, continuam a se expandir. Entre as atividades, uma das que mais me orgulho são os cursos profissionalizantes. São mais de 20, realizados ao longo do ano: artesanato, inglês, informática, tortas geladas, manicure, mecânico, corte de cabelo, lógico, borracheiro, entre outros”, listou.

Os cursos são gratuitos, abertos a qualquer pessoa que queira fazê-los, de acordo com as vagas disponíveis e, mais interessante, os instrutores são os próprios moradores do bairro, que dominam determinado conhecimento e os repassam a quem quiser aprendê-lo.

Sopão às quintas

“Todos os sábados acontece o ‘Cinema com Pipoca’, quando exibimos filmes com classificação livre, para poder ser visto por adultos e crianças. Às segundas, quartas e sextas-feiras é a vez da zumba, para aqueles que quiserem manter o corpo em forma”, disse.

E as datas comemorativas também são festejadas na sede da Super Ação: Ano Novo, Dia das Mães, Dia dos Pais, Dia das Crianças, Natal.

Essas atividades estiveram todas suspensas devido o isolamento social e estão voltando paulatinamente. A primeira delas a retornar foi a distribuição do sopão, às quintas-feiras, às 19h.

“A distribuição do sopão é a ação que mais atrai gente. Com chuva ou sem chuva, estamos lá com os panelões até a borda de sopa. Logo no começo chegava a reunir umas 300 pessoas, hoje são umas cem, mas é porque as pessoas descobriram que podia levar para casa, então já trazem a panelinha para pegar pro resto da família. Tem muita gente aqui no bairro cujo jantar é somente essa sopa”, revelou.

Marcos compra os ingredientes do alimento com dinheiro do próprio bolso.

“Não gosto de pedir porque quem tem dinheiro sobrando e vê nosso trabalho sabe que ajudas serão sempre bem vindas. É difícil, mas de vez em quando aparece alguém que nos ajuda com bens materiais”, falou.

O feito mais recente de Marcos e da Super Ação foi a inauguração da escolinha de futebol com campo sintético próxima à sede da OSC.

“Temos jogos diariamente aqui no campo, a partir das 15h, com crianças e adolescentes. Em todas as nossas ações, o foco é o meio-ambiente. Promovemos ações em benefício da população e queremos em troca que as pessoas se conscientizem quanto a cuidar melhor do meio-ambiente onde vivemos”, contou.

Uma ação idealizada por Marcos reúne mães de toda a cidade, cada uma delas com algo em comum: filhos especiais.

“Até agora já tem 400 seguidoras no Instagram: @supermães. Lá elas trocam experiências e inclusive profissionais da área participam ajudando essas mães a saber cuidar de seus filhos”, destacou.  

Café Compartilhado

Quem quiser participar de mais uma ação de Marcos, poderá fazê-lo no domingo, 27, a partir das 8h, na Cachoeira Alta do Tarumã.

“Periodicamente, não tem uma data certa, realizamos o ‘Café Compartilhado na Cachoeira Alta do Tarumã’ quando, na parte de baixo da cachoeira, tomamos um gostoso café da manhã junto a aquele belo e desprezado cartão postal de Manaus. Cada participante traz alguma comida e bebida e compartilhamos os alimentos. O objetivo do ‘Café Compartilhado’ é chamar a atenção das autoridades para o descaso com esse espaço da natureza, único em Manaus, no entanto, abandonado pelo poder público há décadas”, reclamou.

Para este encontro, a prefeitura se comprometeu a mandar limpar toda a área retirando lixo e trabalhos de macumba.

Os encontros no ‘Café Compartilhado’ chegam a reunir cem pessoas e qualquer um é convidado, desde que colabore levando algum tipo de comida.

Quem quiser participar, e mesmo ajudar a Super Ação, o endereço é: av. Israel, 180 – Comunidade Jesus Me Deu – Colônia Terra Nova. Fone: 9 9336-3807.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email