Operadores de Turismo exigem celeridade da Amazonastur

O grupo Amazonas Cluster de Turismo que é representado por agentes de 21 empresas nos segmentos de hotelaria urbana, de selva e cruzeiros fluviais, através de seu presidente  Ricardo Daniel Pedroso, encaminhou ofício à presidência da Amazonastur, Sérgio Litaiff Filho, pedindo celeridade na reabertura das atividades turísticas, visando a visitação nas Unidades de Conservação Estadual (UC´s) do Rio Negro.

“Entendendo a falta de atenção com que o assunto e o excesso de burocracia vêm sendo tratado dentro da SEMA, solicita sua intervenção no processo de reabertura da visitação as Unidades de Conservação Estadual” oficiou o Ricardo.

Desde a última portaria da SEMA datada de 13/abril, quando liberou o acesso ao turismo contemplativo, fora do que seria o recomendado para o turismo, pois não havia naquele momento motivo para não ter sido feita antes, quando shoppings tiveram sua abertura e o mato continuou fechado – o órgão está analisando o possível acesso com visitação as comunidades. Apelos foram feitos ao Secretário Jório Veiga/SEDECTI, que em 16 junho passado informou a SEMA estaria concluindo, se já não concluiu, a regulamentação. A da expirou e não foi nada resolcido

As Comunidades já clamam pela abertura há meses, afinal parte do seu sustento é oriundo dessas visitas de turistas. Os protocolos foram estabelecidos já na primeira onda, mas o Governo do Estado não trabalha no time que a retomada do turismo exige. Enquanto isso a informalidade corre solta, engana-se aquele que pensa que as visitas não estão acontecendo. O Estado falha na fiscalização e falha no planejamento de reabertura. Prejudicados são os que cumprem as Leis.”, finalizou o presidente da Amazon Cluster.

Quando foi fundado, em junho de 2019, o grupo Amazonas Cluster teve como objetivo auxiliar a os órgãos de turismo, Amazonastur e Manauscult, na divulgação do destino Amazonas nas principais feiras turísticas do mundo.

Para a proprietária do Manati Logge, Marília Costa o grupo Amazonas Cluster enfrenta uma burocracia que não acompanha a retomada do turismo. “Falo em nome dos comunitários que visitamos levando nossos turistas e que geram renda par as comunidades, tanto ribeirinhas quanto indígenas as quais no momento estão deixando de ser beneficiadas. Praticamente todas as comunidades estão vacinadas e almejando a retomada de suas atividades. É preciso mais sensibilidade dos órgãos e olharem com mais empatia para a situação desses comunitários. A reabertura já passou da hora.  Turismo contemplativo é maravilhoso mas o ecossistema inclui pessoas e sua cultura, é impossível deixá-lo de fora desse contexto” afirmou.

Movimento Capoeira reúne Mestres da capital

O “Dia da Abolição da Escravatura” será comemorado em Manaus com o maior evento de Capoeira do estado do Amazonas no período de 09 a 11 de julho de norte a sul, leste e oeste, organizado pelo Movimento Capoeira Quebrando as Correntes. 

As atividades serão realizadas em várias praças públicas da capital e serão transmitidas através de lives simultâneas pelas redes sociais, com o objetivo de evitar aglomeração e cumprir o protocolo governamental.  No comando das rodas de Capoeira estão os Mestres Lourinho zona  Leste, Tiquinho e Canela (zona Norte), Ronaldo (zona Oeste), Cristiano (zona Sul), Bahia zona (Centro-Oeste),  e a Mestra Mainha.

A programação composta de palestras, aulas de capoeira,  shows de danças, entre outros, se estenderá por todo o fim de semana. Na sexta-feira a partir das 19h00, no sábado das 14h00 até 19h00, encerrando no domingo às 9h00 com Rodas de Capoeira e aulão livre na Avenida Eduardo Ribeiro, próximo ao Teatro Amazonas.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email