Omar pede ajuda de municípios do interior para combater dengue

Dezoito municípios que detectaram casos de dengue no Amazonas se uniram ao Governo do Estado para o combate contra o Aedes Aegypt, mosquito transmissor da dengue. A parceria foi anunciada ontem, 26, pelo governador Omar Aziz, que esteve reunido na sede do governo, com o prefeito Amazonino Mendes, representantes do Exército, Marinha, Corpo de Bombeiros e da Saúde municipal e estadual. O objetivo é controlar a doença e bloquear uma possível epidemia.
Uma das primeiras iniciativas da “Ação Conjunta” será a realização de uma mega operação de limpeza em toda a cidade, que deve ser feita ainda na próxima semana. “Diante do elevado número de casos neste início de ano convocamos essa reunião com o prefeito e nossos parceiros de sempre para traçarmos uma estratégia em conjunto”, disse o governador.
Conforme dados da Susam (Secretaria Estadual de Saúde), até o momento, existem 234 casos confirmados de dengue no Estado e outros 900 notificados. Após a reunião, as equipes técnicas das secretarias e órgãos convocados iniciaram o planejamento da ação que deverá ser fechado de forma emergencial. “Espero fazer o orçamento amanhã para que possa contratar e na próxima semana iniciar os serviços”, salientou Aziz.
Serão contratadas cerca de 200 caçambas e equipamentos para atuar na limpeza de ruas e terrenos baldios. Exército e Marinha participarão do mutirão, e o Corpo de Bombeiros deverá vistoriar escolas e prédios públicos em busca de focos do mosquito. “Temos que fazer a nossa parte, mas também fazemos um apelo à sociedade para que mantenha suas áreas limpas, pois é impossível para o Estado entrar em todos os terrenos baldios de Manaus para limpá-los”, ressaltou o governador.
Para mobilizar a sociedade será feita uma campanha na mídia, além da produção de cartilhas que serão entregues nas escolas. As secretarias de Educação do Estado (Seduc) e do município (Semed) farão o trabalho de conscientização dos estudantes a partir do início do ano letivo.
O governador disse que no primeiro momento, governo e prefeitura não estão pensando em punição. “A intenção é trabalhar primeiro a conscientização. Mas tanto o Implurb (Instituto Municipal de Planejamento Urbano) quanto a gestão de saúde pode punir quem não cuida do seu quintal. Então, a preocupação da sociedade tem que estar junto com a gente. O Fumacê e o uso de larvicida vem sendo feito pelo Estado e a prefeitura, mas isso não basta para combater o mosquito da dengue. Nós vamos fazer um trabalho de conscientização e de limpeza”, disse Omar, ao ressaltar que também quer o envolvimento de todos os dirigentes de órgãos no cuidado com os prédios públicos.
O prefeito Amazonino Mendes manifestou a necessidade de se instalar barreiras sanitárias a partir de Roraima, por conta da ligação com a Venezuela que permitiu a entrada no país da Dengue tipo 4. Há suspeitas de que o único caso registrado em Manaus tenha sido transmitido por um mosquito infectado que pode ter vindo dentro de um veículo por estrada, uma vez que até o momento não foi identificado nenhum outro caso de dengue 4 na cidade. O governador disse que vai acionar o Ministério da Saúde para a questão das barreiras.
Segundo dados do MS (Ministério da Saúde), Manaus está em 10º lugar no ranking de capital como alto risco de contaminação pelo mosquito.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email