14 de abril de 2021

Omar confirma José Melo como vice

Últimas convenções foram realizadas, esta semana, para dar nova forma ao cenário estadual. Para as próximas eleições, pelo menos, 4 grupos políticos recém-formados irão se enfrentar

Últimas convenções foram realizadas, esta semana, para dar nova forma ao cenário estadual. Para as próximas eleições, pelo menos, 4 grupos políticos recém-formados irão se enfrentar. De um lado os adversários governistas que deverão formar palanque para a candidata petista, Dilma Rousseff, Alfredo Nascimento e Serafim Corrêa e a chapa concorrente direta, composta por Omar Aziz e José Melo. Como oposição a estas duas opções, PSDB, PPS e PV oficializaram Hissa Abrahão, que montará palanque para o presidenciável tucano, José Serra e o PSTU lançou Herbert Amazonas, representando os partidos pequenos de candidatura simbólica.
Definindo-se assim, a candidata petista Dilma Rousseff sai ganhando, já que terá dois palanques fortes para pedir votos no Amazonas e a disputa fica polarizada entre os candidatos Alfredo Nascimento (PR) e Omar Aziz (PMN). Durante as convenções do PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) e do PMN (Partido da Mobilização Nacional), que formam a coligação “Avança Amazonas” junto com outros 10 partidos, foram oficializadas as candidaturas de Omar Aziz para a reeleição ao governo do Amazonas, e de Eduardo Braga ao Senado, aliado a deputada federal Vanessa Grazziotin (PCdoB).
Durante a ‘festa’ a deputada federal, ex-oposição, Vanessa, demonstrou desconforto diante das críticas que recebeu dos adversários. “Nós não precisamos de gente que fique criticando. Não precisamos de gente que fique prejudicando”.
O nome de José Melo (PMDB) também foi definido como candidato a vice-governador na chapa do PMN, depois de esperar por sete anos.
Melo chegou a ser tido como vice de Braga, em 2002, mas acabou sendo substituído pelo próprio Omar Aziz no dia da convenção. Candidatos à Câmara Federal e ALE (Assembléia Legislativa do Amazonas) também foram apresentados. Dentre os 16 nomes que concorrem a uma vaga na ALE, estão Marco Antônio Chico Preto (PMDB) e Walzenir Falcão (PMN). Lupércio Ramos (PMDB), deputado federal, concorre à reeleição, juntamente com mais 3 candidatos.
“Estamos formando um pacto que vai garantir emprego, renda e educação”, discursou José Melo.
A convenção marcou o início de uma jornada breve de elogios, ataques e busca por votos.
Durante o evento, Melo elogiou Braga, a quem apresentou de forma calorosa, aproveitando para pedir votos. “Esse caboco que está aqui se preparou a vida toda para o Senado de República”, disse.

Oposição lança palanque para Serra e Arthur

Por outro lado, paralelamente à festa da candidatura governista, a chapa considerada como única opção de oposição real foi sacramentada e o problema do palanque para o candidato tucano, José Serra (PSDB) foi resolvido. O vereador Hissa Abrahão (PPS) foi oficializado como candidato pelos partidos PPS< PV e PSDB. O objetivo da candidatura, segundo Hissa é formar palanque competitivo para Serra e Arthur Neto, ambos do PSDB. “Há 30 anos o Amazonas é governador pelo mesmo grupo político. Minha candidatura é a candidatura do basta. Representa um rompimento com esse ciclo vicioso. Há 30 anos, a máquina do governo só esta sendo usada para eleger sucessores. Isso é uma vergonha”, disse o vereador.Além destes, outros candidatos como Arthur Bisneto (PSDB) e Luiz Castro (PPS) vão brigar pela reeleição na ALE. A candidata à presidência, Marina Silva (PV) também ganhou um palanque e o PV ainda tem possibilidades de indicar um candidato a vice-governador na chapa. “As ultimas definições serão acordadas até domingo. Depois disso, vamos sentar e preparar nosso programa de governo. Certamente, queremos ser uma opção independente para resolver os problemas do Amazonas”, discursou. O candidato à reeleição para o Senado pela chapa, Arthur Virgílio, afirmou que se orgulha do palanque ainda pequeno, mas que tem pessoas ideológicas e honestas, e não aproveitadores. “Eleição deve ser consulta legítima ao povo e não exercício de incoerência e subserviência. Vou pra luta de cabeça erguida e mãos sempre limpas. É bom, depois de 32 anos de vida pública, poder dizer que nunca fiz campanha escorado em cacique nenhum. Meu cacique é o povo do Amazonas”, garantiu. Hissa Abrahão começou sua jornada como candidato ao governo do Amazonas, adotando postura de oposição. “Nossa candidatura nasceu de baixo para cima, ao contrário dos outros. Alfredo diz que é menino do Lula; Omar diz que é o menino do Eduardo. Nós somos uma opção para acabar com essas candidaturas impostas de cima para baixo”. Aos adversários, Hissa também não poupou críticas e disparando ataques, demonstrando o tom que deverá usar nesta campanha. “Omar e Alfredo são irmãos. Um não vai poder ficar falando do outro e nem apontando as falhas. Se por um lado o Alfredo pecou com o Expresso, Omar não pode criticar, porque era o vice-prefeito de Alfredo e foi, no mínimo, omisso”, afirmou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email