Omar aposta no PSD para se fortalecer

A transferência do governador Omar Aziz para o recém-fundado PSD (Partido Social Democrático), idealizado pelo prefeito de São Paulo (SP), Gilberto Kassab, já está criando polêmica no Estado e movimentando a troca de sigla entre políticos. O novo posicionamento de Omar indica a mudança de postura do governador, que busca fortalecimento e independência no novo partido.
Desde a oficialização de seu ingresso ao PSD, Omar Aziz já obteve adesão de 6 parlamentares, sendo que os especialistas políticos locais já sinalizam uma ‘revoada’ de lideranças para a nova legenda. A cerimônia de instituição da sigla no Amazonas e da filiação de Omar aconteceu domingo no auditório da ALE (Assembleia Legislativa do Amazonas). O atual governador vai comandar o PSD no Estado.
Vereadores de outros partidos alinhados com Omar também o saudaram pela mudança de sigla. “Mudando para o PSD, um partido que já nasce como grande projeto nacional, o governador ganhará maior visibilidade e despontará no cenário nacional”, afirmou Marcel Alexandre (PMDB). “O governador Omar tem feito uma administração transparente e honrosa. Sua ida para o PSD seguramente engrandece o partido”, disse o líder do PSL na CMM e presidente regional do partido, Massami Miki.
O vereador Dr. Francisco Gomes (PMN) avisou, durante sessão plenária desta segunda-feira na CMM (Câmara Municipal de Manaus) que seguirá os passos do governador. “Omar troca de partido numa visão de estadista, para defender os interesses do Amazonas”, afirmou Gomes em seu discurso.
“Nestes cem dias de governo, não há alarde, mas o cumprimento das metas previstas durante a campanha. Essa tem sido a marca de Omar à frente do governo”, complementou Gomes, que deve também migrar para o PSD, assim como sua colega Glória Carrate (PMN). “Nós, do PMN na Casa, seguiremos, com certeza, o governador.
Apesar da animação dos políticos com a novidade, o futuro do PSD ainda está envolto em indefinições. A principal delas é a probabilidade de uma fusão com o PSB, como havia sido anunciado antes da criação oficial do partido de Kassab.

Possível fusão com PSB descartada

A possibilidade de fusão entre o novo PSD (Partido Social Democrático) e o PSB (Partido Socialista Brasileiro), comandado pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que era dada como certa, agora está sendo descartada.
No Amazonas, o ex-prefeito e provável candidato do PSB às eleições de 2012, Serafim Correa, em entrevista ao Jornal do Commercio, afirmou categoricamente que não existe “hipótese” para a junção das legendas.
A possibilidade foi cogitada nos bastidores políticos durante a criação do PSD, mas parece ter sido abandonada pelas lideranças dos dois partidos. Nas últimas semanas, o prefeito de São Paulo desconversou sobre a fusão, que provavelmente seria uma estratégia para inseri-lo em um partido com maior representatividade, diferente de sua antiga legenda, o DEM (Democratas), sem ser acusado por infidelidade partidária.
“A ideia está abandonada”, disse, antes de encontro da Frente Nacional de Prefeitos, em Brasília.
De acordo com Serafim, a concorrência com mais um partido deve causar eleições acirradas em 2012.
“A criação do PSD faz valer o espírito democrático. Com as recentes adesões do novo partido teremos um processo eleitoral acirrado em 2012”, avaliou, evitando emitir maiores comentários.

Novo partido não é novidade

Para o cientista político e sociólogo, Carlos Santiago, não há nenhuma novidade na desistência das lideranças, que segundo ele se tratam de dois blocos com identidades distintas, entretanto ele ressalta que na trama política nada pode ser considerado definitivo.
“Temos que levar em consideração que na política, o que é definido hoje, pode ser desconsiderado amanhã”, alertando para a possibilidade de uma fusão futura.

Serafim prevê confronto com Braga em 2012

O ex-prefeito Serafim Corrêa já espera um confronto com representantes ligados à nova legenda nas próximas eleições, provavelmente com o senador Eduardo Braga (PMDB), já que o governador Omar Aziz sinalizou apoio a Braga no próximo pleito.
“Claro que iremos apoiar o Eduardo (Braga) no ano que vem. O partido caminhará ao lado dele, mas não sei se ele será candidato”, disse, no último domingo, na ALE (Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas), onde oficializou a entrada no novo partido.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email