Olimpíadas fomentam o e-commerce

Prata, ouro, bronze: as medalhas dos Jogos Olímpicos, tão importantes para os atletas, acabam importando também para os consumidores do país. Ao menos no Brasil. Com a chegada de brasileiros no pódio, a procura e a venda de produtos esportivos em lojas digitais aumentou. Sites como Centauro e Mercado Livre viram suas compras crescerem nessas últimas semanas. 

É o caso da Centauro que, segundo informações enviadas ao CNN Brasil Business, observou um crescimento superior a 400% em produtos voltados para a prática do skate —impulsionado principalmente por Rayssa Leal, a Fadinha, que com 13 anos ganhou sua primeira medalha de prata na modalidade skate street. 

O mesmo aconteceu por conta da medalha de prata do skatista Kelvin Hoefler no Mercado Livre. Na segunda-feira (26), a plataforma registrou recorde de vendas em patins e skates, o que fez a companhia bater o recorde de vendas em patins e skates. Em relação às últimas quatro segundas-feiras anteriores à vitória dos skatistas, o Mercado Livre contabilizou um aumento de 50% nas vendas da categoria.

Com a medalha de ouro de Ítalo Ferreira no surf na terça (27), a Centauro afirmou que as buscas por itens de surf aumentaram 100% —dobrando em relação ao período anterior à medalha. 

“Sentimos um crescimento expressivo nas buscas na Centauro por produtos relacionados às modalidades olímpicas”, explica Gustavo Milo Marasco, gerente executivo de marketing da Centauro. “Contudo, é importante ressaltar que o efeito Olimpíada não é imediato. Durante o evento, surgem novos ídolos e, consequentemente, cresce a procura e o número de praticantes de determinadas modalidades”, diz.

Segundo Marasco, as Olimpíadas são diferentes da Copa do Mundo porque, durante a competição de futebol, “as pessoas compram um produto específico, como a camisa da Seleção Brasileira de Futebol, para acompanhar o evento”.

“O efeito Olimpíada é menos agudo, porém mais duradouro. Muitas crianças, a partir de agora, vão começar a andar de skate e comprar produtos da modalidade ao longo do tempo, inspiradas pela Fadinha e também pelo Kelvin Hoefler”, afirma. “Muitos outros atletas que vamos ver nos próximos dias se tornarão referência para os brasileiros, especialmente jovens e crianças. Os ídolos têm esse papel”.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email