6 de dezembro de 2021

OCB/AM conta com mais de dois mil cooperados no Amazonas

No dia 21 de outubro foi comemorado internacionalmente o Dia Mundial do Cooperativismo de Crédito, o DICC. Hoje, conforme dados do Sistema OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), aproximadamente 11,9 milhões de brasileiros foram beneficiados por alguma modalidade de crédito por meio das instituições financeiras credenciadas pelo Banco Central, como por exemplo, Sicredi e o Bancoop/Sicoop.

Dados do Banco Central mostram que as operações de crédito líquidas de provisão, ativo de maior relevância no SNCC (Serviço Nacional de Consultas Cadastrais), alcançaram R$ 213,2 bi. Com relação a captações também aumentou a taxas maiores que o SFN (Serviço Financeiro Nacional), totalizando R$ 290,1 bilhões (42,4% ao ano no SNCC e 25,7% no SFN). O SNCC se manteve como o segmento do SFN com maior expansão de crédito.

O presidente do Sistema OCB/AM, José Merched Chaar, destaca o esforço da Cooperativa em levar modalidades de crédito para os cooperados. “Aqui no interior do Amazonas, nós fomos abençoados, inauguramos em Itacoatiara recursos para agricultura, para o pequeno empreendedor mais facilitado, também em Rio Preto da Eva, Manacapuru, Presidente Figueiredo, Apuí e Humaitá. Em Guajará, inauguramos uma agência levando recursos, e aqui em Manaus foi pulverizando, que nós temos agências da zona Leste ao Centro”, destaca Merched, que ainda ressalta que no último ano, os bancos cooperados tiveram um crescimento acima de 20%, contra 12% das instituições financeiras tradicionais. 

“Nós temos uma mão amiga nos bancos cooperados, por isso quando eu chego no interior os prefeitos pedem para levar os bancos para as cidades porque lá não tem às vezes nem agência de Correios para pagar uma conta”, observa. 

Reflexos da pandemia

Como todos os setores da sociedade, o cooperativismo também sentiu os efeitos da pandemia do novo coronavírus tanto no aspecto econômico, como social e de saúde principalmente. O fechamento dos comércios, e a necessidade do afastamento refletiu imediatamente nos resultados de alguns setores. “Foi um fator de prejuízo para todo o sistema de cooperação, quem mais sofreu com isso, foram o transporte, cooperativas de educação e de consumo também, não teve aula, as pessoas não estavam mais saindo. Artesanato, turismo então foi um fracasso”, comenta José Merched. 

Para ajudar o sistema de transporte, principalmente do setor executivo de Manaus, o Sistema OCB/AM, promoveu no último dia 20 de outubro um curso de capacitação de condutores em parceria com o Detran-AM (Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas), com intuito de valorizar e reciclar a classe. “Nós investimento R$ 200 mil para reciclar 600 motoristas dos modais alternativo e executivo, com curso de educação e direção defensiva e também tivemos o cuidado de envolver a prefeitura e o IMMU (Instituto Municipal de Mobilidade Urbana), e pedimos ao secretário de Segurança Pública, general Carlos Alberto Mansur, que nos orientasse nas situações. Como em caso de um assalto, qual deveria ser o comportamento do nosso motorista ou cobrador se tivesse em uma situação dessa”, comenta. 

No entanto, o setor agrícola teve um crescimento considerável neste período de pandemia, como destaca o presidente do Sistema OCB/AM, “O sistema agropecuário prosperou e muito. Mesmo não havendo aula, o governo do Estado teve a sensibilidade de adquirir produtos agrícolas das cooperativas e levar para estas crianças terem uma alimentação reforçada. O governo federal combateu com as bolsas, com os auxílios, mas foi paliativo, o cooperativismo agropecuário que conseguiu superar”, pontua.

Setor agrícola, segundo o presidente do Sistema OCB/AM é o que mais cresce no Amazonas – Foto: Alberto Cesar Araujo/Aleam

Atualmente, o governo do Amazonas tem feito investimentos na produção rural, com apoio de projetos para a produção de fertilizantes, calcário, além de maquinário.

José Merched destaca que o Amazonas tem vocação para a produção de alimentos, e o cooperado do interior do estado deve ser incentivado. 

“O cooperado que está lá no interior, a gente facilita pra ele vender para a merenda escolar, mas nós temos que mantê-lo no seu habitat, fazendo o que ele sabe fazer, gosta de fazer para viver com dignidade, é essa a finalidade do cooperativismo”, conclui. 

Atuação

Presidente da OCB/AM José Merched Chaar e a superintendente Cláudia Sampaio Inácio – Foto: Alberto Cesar Araujo/Aleam

O sistema OCB/AM atua para levar benefícios para as pessoas por meio do cooperativismo, buscando conquistas junto a diversos setores, entidades e aos poderes executivo, legislativo e judiciário. O objetivo é desenvolver práticas para o desenvolvimento social e econômico sobre o viés cooperativista. O presidente do Sistema OCB/Am José Merched Chaar faz uma definição chave para entender todo este processo. “Investir na atividade fim, que é melhorar o conhecimento, a competitividade, facilitar a vida das cooperativas para que elas possam prestar melhor serviço, ou vender seus produtos. Essa é a nossa meta”. 

Foto/Destaque: Alberto Cesar Araujo/Aleam

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email