Obama quer fundo de compensação

O presidente dos EUA, Barack Obama, quer forçar a BP a reservar um fundo bilionário para compensar pessoas e empresas prejudicadas pelo derramamento de petróleo no golfo do México, informou hoje a Casa Branca.
Obama deve se pronunciar oficialmente sobre o assunto aindaesta semana, explicando seu plano para obrigar os executivos da BP a fazer isso. Segundo o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, os advogados do governo federal já estão trabalhando no assunto há vários dias.
O dinheiro não seria gerenciado pelo governo e nem pela BP, mas por uma administração independente. O tamanho do fundo não foi especificado, mas a Casa Branca fala em bilhões de dólares.
Enquanto isso, as ações da empresa atingiram as cotações mais baixas dos últimos 14 anos. O valor da BP na bolsa caiu pela metade desde que o petróleo começou a vazar, em abril.
No Reino Unido, sede da BP (seu nome surgiu como sigla para British Petroleum), cresce a sensação de que boa parte dessa desvalorização aconteceu em função de declarações da Casa Branca.
“A sobrevivência da empresa é do interesse de longo prazo do Reino Unido, é um interesse nacional decisivo’’, disse Christopher Meyer, ex-embaixador britânico nos Estados Unidos
“Desejaríamos que o governo americano enviasse menos ordens pelo megafone. Elas têm influência ativa sobre as cotações na bolsa e sobre o valor da companhia.’’
Obama disse antes que teria demitido Tony Hayward, principal executivo da BP, e apoiou a ideia de suspender a divisão de dinheiro entre os acionistas de empresa enquanto o desastre não se resolve. Disse também querer saber “qual bunda chutar’’ para conter o vazamento.
O embaixador americano em Londres, Louis Susman, disse que Obama teria feito os mesmos comentários se fosse uma empresa dos EUA.
A Guarda Costeira dos Estados Unidos também está pressionando a BP. Eles querem que a empresa explique melhor seus planos para deter o vazamento de petróleo, que se aproxima de completar dois meses.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email