O que fazer com seu carro da Ford?

A notícia de que a Ford estava fechando suas fábricas no Brasil após 101 anos produzindo veículos caiu como uma bomba na indústria automotiva no começo de 2021. Cerca de 5 mil trabalhadores perderam seus empregos, levando as cidades de Camaçari (BA) e Horizonte (CE) ao desespero. Neste cenário, milhões de proprietários de veículos nacionais da Ford também ficaram assustados.

Afinal, o que donos de Ka , Ka Sedan ou EcoSport devem fazer agora que a fabricante descontinuou os modelos no Brasil? A reportagem do iG Carros consultou especialistas do mercado automotivo para entender qual é a melhor iniciativa a ser tomada nos próximos meses.

Paciência 

O consultor Paulo Roberto Garbossa, da ADK Automotive, afirmou que no primeiro momento, é natural que proprietários de carros nacionais da Ford fiquem assustados, mas ressalta que o mercado irá se ajustar em breve .

“Se o proprietário vender o carro agora, no calor do momento, pode perder dinheiro. Se esperar alguns meses, vai ver que continua inserido no mesmo mercado de antes”, afirma Garbossa à reportagem do iG.

“É preciso ter paciência para não tomar atitudes precipitadas. Você comprou o carro porque gostou. Ele te atende, e isso é o que importa”, continua o especialista. “Use o carro. Na hora que for vender, você vai se encontrar no mesmo mercado de sempre”.

Paulo Garbossa também ressalta que Ka, Ka Sedan e EcoSport continuam bem servidos de peças de reposição , independentemente de terem saído de linha. “Tome o Celta como exemplo. Ele foi descontinuado pela GM há muitos anos, mas a demanda por ele nunca caiu. No mercado, não faltam peças do Celta. Isso também acontecerá com os seminovos da da Ford” finaliza

Michelin promete pneus 100% sustentáveis até 2050

Conceito Michelin Vision é a proposta da empresa para o pneu do futuro
Foto: Divulgação

Até 2050, a Michelin quer que os pneus sejam produzidos com materiais 100% sustentáveis. Para isso, a fabricante francesa de pneus vai se inspirar no conceito Vision, um pneu sem ar mostrado em 2017, que além de ser biodegradável permite a reimpressão do desenho da sua banda de rodagem de acordo com o piso.

De acordo com a Michelin , dos mais de 200 ingredientes usados atualmente na receita de manufatura de um pneu da empresa, por volta de 30% têm origem natural, sustentável ou são resultado do processo de reciclagem de pneus usados. Além da borracha natural e sintética, a lista de matérias-primas de um pneumático atual inclui também metais, fibras, negro de fumo, silica e resinas.

Para aumentar esse índice de sustentabilidade dos pneus, desde 2019 a companhia trabalha em conjunto com as empresas Axens e IFP Energies Nouvelles no projeto BioButterfly, para produzir um substituto para o butadieno derivado de petróleo — componente necessário para a produção da borracha sintética —por um produto equivalente obtido a partir da fermentação de matéria orgânica.

A fabricante francesa de pneus está envolvida ainda em outros projetos com a canadense Pyrowave e a startup francesa Carbios que preveem o uso de embalagens de plástico e garrafas PET, respectivamente, para a obtenção de estireno e outros ingredientes necessários.

Buell confirma que vai voltar com 10 modelos até 2024

Marca deixou o mercado há 12 anos
Foto: Divulgação

A marca Buell vai voltar ao mercado de motos com 10 novidades até 2024. A fabricante continuará sendo controlada pela Harley-Davidson com modelos de alto desempenho. Serão os mais velozes fabricados nos Estados Unidos, de acordo com a marca. Além disso também haverá versões com apelo aventureiro, ideais para viagens longas.

A volta da Buell vai começar com o relançamento da plataforma 1190 antes da marca se voltar para outros modelos com menor cilindrada e menos peso, além dos que serão feitos para encarar caminhos de terra, sem contar os elétricos. Portanto, a intenção é atuar em vários segmentos do mercado de motos

Um das motos Buell da nova leva será a superesportiva EBR 1190RX , com motor de 185 cv. Para 2023 está prevista a aventureira 1190SX. Ainda entre as novidades que a marca deverá lançar estará a exótica 1190 HCR, feita para escalar montanhas, com o mesmo potente motor de dois cilindros em V das demais.

Mais detalhes sobre a volta da Buell ao mercado de motos deverão ser anunciados durante o evento Daytona Bike Week 2021, que está previsto para acontecer entre os dias 5 e 14 de março, na Flórida (EUA), com algumas restrições por causa da pandemia do novo coronavírus.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email