27 de maio de 2022

O macroeconômico da economia

Common sense thinking is not covered by scientific truth. The scientific is loaded with criticality of what is covered in reality. This useless war has already impacted the entire world economic system. Not the War!!!

Por razões diversas e solicitações para discorrer sobre a Macroeconomia tão falada atualmente como Política Econômica no senso comum de políticos e demais argumentistas e, como docente nessa área não me furtarei em explanar nesse reduzido traço sobre tema científico de máxima relevância para toda sociedade.

Vamos lá, Macroeconomia é uma área da Ciência Econômica que estuda o Sistema Econômico do países como todo e seus cenários, abrangendo as variáveis complexas de Inflação, o PIB (Produto Interno Bruto), o Desemprego, a taxa de Câmbio, a taxa de Juros (e no Brasil é a Selic [12,75% ao ano] (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia), o consumo, a Produção, os Gastos do Governo, o Investimento, os Tributos.

São funções de Governo, as análises macroeconômicas para avaliar e estabelecer Políticas Econômicas para o país, destacando os ciclos econômicos e o crescimento econômico de longo prazo e as oscilações de curto prazo e a capacidade do país gerar riquezas. Explicações sobre a taxa juros: a Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira, sendo o principal instrumento de Política Monetária utilizado pelo BC (Banco Central) para controlar a inflação e ela influencia todas as taxas de juros do país, como as taxas de juros dos empréstimos, etc.

A Política Econômica (PE) em um país diz das ações de governo que objetivam melhorias na economia nacional e contribui para o crescimento econômico, bem-estar social e melhoria de vida da sociedade. Em outras palavras, a Política Econômica são ações planejadas de Governo, objetivando atingir determinadas metas da economia nacional, como administrar economicamente a Nação. Essas ações envolvem o Poder Legislativo, o Executivo, e alguns Órgãos diretamente, como o Banco Central, etc, assim as ações de Política Econômica são determinantes para buscar o desempenho econômico positivo do país, podendo ser em crescimento ou estagnação econômica, por seu envolvimento com o Orçamento Público, com a oferta de moeda no mercado, com o Sistema Tributário, com o mercado de trabalho, com a taxa de juros e a taxa cambial, pois essas variáveis afetam a vida de todos em sociedade, positiva ou negativamente praticada por Governo, sendo mal sucedida, como por exemplo, a inflação ou aumento de desemprego. Independe de quem esteja no Governo, estabelecidas as metas a serem perseguidas naquele mandato, por exemplo: a diminuição da inflação, aplica-se instrumentos de Política Econômica, que no caso pode ser a Política Monetária cujo um dos objetivos é o controle da quantidade de moeda em circulação, para poder controlar a inflação, por meio do controle da quantidade de dinheiro circulando no mercado, promovendo o aumento da taxa de juros (Selic), por intermédio do Banco Central o qual realiza também outras operações, como os redescontos bancários e os depósitos compulsórios, sendo que essas medidas tomadas pelo governo podem ser: expansionista ou contracionista.

Para melhor entendimento, a Política Econômica pode ser classificada conforme seus objetivos, assim: 1- Política Econômica alocativa: é focada no melhoramento da alocação dos recursos na economia, visando o aumento da eficiência; 2- Distributiva: é melhorar a distribuição de renda na sociedade visando a diminuição da desigualdade social; 3- Estabilizadora: É voltada para a estabilização da economia por meio do controle de indicadores, como por exemplo, a hiperinflação; 4- Política Econômica Expansionista: é contribuir com o crescimento econômico, por meio de incentivos na produção e consumo. Com relação ao método, ela é classificada como estrutural ou conjuntural: a) Estrutural: De acordo com a classificação de método, a Política Econômica estrutural é focada na modificação da estrutura econômica a longo prazo; b) Política Econômica conjuntural: a conjuntura econômica é voltada para a administração de situações a curto prazo.

A Política Econômica pode ser  (i)expansionista ou (ii)contracionista, quando expansionista porque a inflação está em baixa, medidas são para estimular o consumo, mais dinheiro no mercado circulando, taxa de juros em baixa (Selic), maiores investimentos, maiores acesso ao crédito às empresas e às pessoas, sendo que tudo isso pode levar ao aumento de demanda e que leva ao aumento de preços e à inflação (segundo o IBGE, a inflação de abril 1,06% e a inflação anual 12,13% e nos USA 8,3% anual).

O melhor da Política é a busca do equilíbrio econômico. Já a PE contracionista é menos praticada nas economias mundiais, mais é válida sua adoção, pela qual o governo busca reduzir a inflação, com diminuição do consumo, aumento da taxa de juros (SELIC), restrição ao crédito e aos investimentos, porém, a oferta cai e o consumo também, os preços sobem, mas a inflação sobe também, com a baixa oferta os produtores causam desemprego e baixo investimento.

Quanto à Política Fiscal, como instrumento de PE, é o planejamento orçamentário do país, que cuida da receita pública (é a arrecadação tributária) e da despesa (são as despesas e gastos do governo, como pagamento de funcionários, etc) do governo, que pode ser deficitário ou superavitário. A Política Fiscal objetiva o equilíbrio das contas públicas, o que a torna muito importante, pois o governo arrecada trilhões em impostos, mas nunca é o suficiente para cobrir todos seus gastos. O governo pode criar tributos, ou aumentar ou diminuir alíquotas dos tributos existentes (como no caso, fez agora com o Imposto sobre Produtos Industrializados -IPI). O Brasil é considerado um dos países com mais impostos no mundo, para minimizar isto, a solução seria realizar reformas administrativas e tributárias objetivando acabar com os gastos públicos desnecessários e estimular a economia por parte do governo. Por outro lado, a Política Cambial, outro instrumento de PE e no Brasil a taxa de câmbio é flutuante, isso significa que o valor do Real (R$) varia diariamente. Para controlar a variação, o governo adota várias ações, como por exemplo, a compra e venda de moedas estrangeiras, principalmente do dólar (U$S).

A Política Cambial pode gerar vários impactos em fatores macroeconômicos, como por exemplo, nas exportações e importações, quando a moeda estrangeira (o dólar U$S) está em alta, a tendência dos produtores nacionais direcionarem seus produtos para as exportações, mas podem ocasionar inflação, pois ficam menos produtos no país, quando acontece o contrário, favorece as importações, o que pode acarretar desemprego no país, pois diminui a fabricação no Brasil. Assim, em breves palavras explicativas sobre como funciona a Política Econômica no Sistema Econômico  de um país, lógico que a PE possui outras abordagens e impactos na vida da sociedade.

Nílson Pimentel (*)

(*) Economista, Engenheiro, Administrador, Mestre em Economia, Doutor em Economia, Pesquisador, Consultor Empresarial e Professor Universitário: [email protected] 

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email