O fantasma na Nova Igreja Batista

Tudo pronto para a mais nova encenação dos artistas da NIB (Nova Igreja Batista). Mais para falar de amor e menos para assustar, desta feita a peça encenada será o musical ‘O Fantasma da Ópera’, em versão inédita. Os artistas da NIB já possuem um amplo know-how na criação de espetáculos teatrais como “A Bela e a Fera”, e o sucesso de todo final de ano “Um Sonho de Natal”. A montagem de “Le Fantôme de l’Ópera” faz uma releitura da história, misturando fantasia e realidade com a temática cristã, “que encantará adultos, jovens e crianças. Um verdadeiro show para a família inteira”, falou o pastor Leonardo Caiado, diretor-geral do espetáculo, que estreia no sábado (8).

“Agora traremos esse clássico da literatura francesa escrito por Gaston Leroux. Está sendo tão prazeroso trabalhar nesse musical que ainda nem estreou e já está confirmado que o reapresentaremos novamente no próximo ano”, adiantou o pastor. “Aqui na NIB estamos permanentemente em atividades da Igreja, da mesma forma nos ensaios das peças. Para ‘O Fantasma da Ópera’ já estamos há ao menos seis meses ensaiando”, falou.

Trabalho voluntário
Ao todo, mil artistas e voluntários trabalham diretamente no espetáculo, num mix artístico de teatro, dança, patins artístico, orquestra, balé clássico, percussão, artes acrobáticas e circenses. Fora do palco, mais de dois mil voluntários ajudam na recepção, estacionamento e logística do evento. “Durante esta semana um grupo de voluntários esteve em alguns cruzamentos movimentados da cidade divulgando o musical. Eles fazem parte do grupo de divulgação, e não são os atores, apesar de irem trajados com roupas idênticas às do musical. Na NIB todos somos voluntários”, disse o pastor.

Missão
E como em todos os espetáculos da Nova Igreja Batista, a entrada para o espetáculo será gratuita. “De graça recebemos, de graça devemos dar, falou Jesus aos seus discípulos sobre suas missões. Nós da NIB também somos discípulos de Jesus, por isso não cobramos nada para que as pessoas assistam às nossas peças”, acrescentou. “Uma das nossas missões na Igreja é levar histórias sobre o caráter, os valores morais e o amor de Deus, e ‘O Fantasma da Ópera’ é uma história de amor, por isso foi escolhida por nós para ser encenada”, explicou.

A paixão do fantasma
O romance se passa no século 19, na Ópera de Paris, e conta a estória de Christine Daaé, uma jovem humilde que tem a música na alma. O talento veio do pai, um violinista que ganhava a vida apresentando-se nas ruas e cuja morte levou consigo todo o entusiasmo musical de Christine, porém, mesmo que relutante, a jovem decide entrar para o conservatório de Paris, mas não consegue progressos na vida artística.

Um dia, em seu camarim, ouviu uma voz, a mais bela voz que já tinha ouvido em toda sua vida, e acreditou que aquela era a voz do Anjo da Música, remetendo-a a uma estória infantil que seu pai contava quando ainda era criança. Mas a voz que escutara, e que trouxera novamente ao seu coração a alegria de cantar, não pertencia a nenhum anjo e sim a Erik, um gênio musical que também era arquiteto e ilusionista, nascido com uma terrível deformidade no rosto e que por isso vivia nos porões da Casa da Ópera, os quais tinha ajudado a arquitetar, um verdadeiro e imponente complexo construído em cima de um grande lençol de água subterrâneo.

E foi esse o lugar que escolheu para refugiar-se da sociedade por causa de sua incômoda aparência, o que o obrigava a usar uma máscara escondendo metade de sua face.

Enquanto vivia nas fundações da Casa da Ópera usava de estratégias para assustar a administração e conseguir benefícios. Por isso ficou conhecido como ‘O Fantasma da Ópera’, fazendo com que muitas pessoas acreditassem que a Casa era assombrada.

Sem contato visual nem consciência de quem era ele, a jovem Christine era motivada pela voz de Erik, que a ajudava a desenvolver todo o seu potencial. Erik, então, apaixona-se por ela e a transforma em uma extraordinária soprano. Christine canta com a alma inspirada nas lições de seu misterioso tutor e projeta no palco toda a emoção e excitação de se envolver com voz com a qual fantasiava.

No entanto, a fascinação inocente que a jovem alimentava pelo fantasma era um inconsciente disfarce de um sentimento quase edípico, porquanto o fantasma trazia à memória as lembranças de seu velho pai que tanto amava. Era este o principal motivo que segurava Christine ao domínio de Erik, o fantasma.
Na verdade, o coração da jovem batia por um amigo de infância, com o qual se reencontra na Casa de Ópera, o tenor Raoul de Chagny.

Quando Erik descobre o afeto entre os dois, sente-se traído por uma suposta ingratidão de Christine, transformando seu amor em uma assustadora obsessão.

O QUE?O Fantasma da Ópera – musical cristão
QUANDO?De 8 a 16 de julho
ONDE?Auditório da Nova Igreja Batista, avenida Torquato Tapajós, 4444 – próximo ao viaduto do aeroporto
QUANTO?Entrada franca
INFORMAÇÕES? (92) 9 9215-0597 e www.nib.org.br
HORÁRIOS?Segunda a sexta: 20h; sábado: 17h30 e 20h; domingos: 15h, 17h30 e 20h

RECOMENDAÇÃO AOS ESPECTADORES:
Dê prioridade para assistir no primeiro fim de semana. Chegue o mais cedo possível. As vagas no auditório e no estacionamento são amplas, mas limitadas

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email