4 de março de 2021

O Esporte como Aliado da Saúde Pública

Na próxima sexta-feira, 19 de fevereiro, é comemorado o Dia do Esportista. A prática desportiva, seja no âmbito profissional ou não, é fundamental para o ser-humano nos mais diversos aspectos. Isso já é um fato mais do que comprovado. Por isso, o Esporte como Política Pública é fundamental para a toda a sociedade, para que esta possa ter uma vida mais saudável. O desporto é um grande aliado da medicina preventiva, uma vez que grande parte das doenças que assolam a sociedade são oriundas ou majoradas pelos hábitos cada vez mais sedentários da população, somado a uma alimentação pouco saudável e não nutritiva.

Por isso, quanto mais se investe na promoção de práticas de exercícios regulares para todos os cidadãos, a tendência é que haja a diminuição real no número de pessoas que procuram os estabelecimentos de urgência e emergência de saúde. Ou seja, quanto mais se investe em uma população ativa fisicamente, menos pessoas doentes haverá. Portanto, além dos inúmeros benefícios que o investimento em esporte traz para as pessoas individual e coletivamente (como socialização, surgimento de novos atletas profissionais e de alto rendimento, por exemplo), a saúde pública é uma das áreas mais beneficiadas, desde que haja uma ação coordenada e contínua nesta questão, como Política de Estado.

Podemos observar os mais diversos aspectos impactados positivamente pelo cotidiano desportivo, nos mais variados setores da sociedade, como na Saúde (física, mental e psicológica), na Economia, na Segurança, na Educação, entre outras. Contudo, não basta apenas a construção e/ou ampliação de espaços como quadras poliesportivas ou ‘academias a céu aberto’. É necessário haver campanhas massivas e perenes de conscientização e incentivo a essas práticas, por parte do Poder Público; com o devido acompanhamento profissional contínuo, além da segurança e manutenção constante dos espaços públicos destinados a este fim e a abertura de espaços públicos ociosos nos fins de semana, como locais que oportunizem esporte e lazer à comunidade. Isso é investir em vidas.

Nas escolas, nas fábricas e empresas, nos postos de saúde e nos hospitais, por exemplo, é preciso haver uma recomendação e incentivo para as práticas desportivas como sendo uma parte intrínseca do dia a dia (levando em consideração cada caso em particular, com as diferentes características e necessidades, os tipos de esporte adequados e a duração indicada, de acordo com a realidade de cada indivíduo). Pois é fato que toda e qualquer atividade física precisa da orientação de um profissional especializado, como os da Educação Física.

Dentre tantas vantagens que gera no organismo como um todo, a prática de exercícios diminui o risco do desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Pois quando o corpo está em movimento o organismo produz o HDL, conhecido como o colesterol bom, atenuando o chamado colesterol ruim (LDL), ao mesmo tempo em que se reduz o nível de triglicérides no sangue. Isso facilita o fluxo sanguíneo e torna menor o risco de doenças no coração, além de prevenir o AVC (Acidente Vascular Cerebral), síndrome metabólica, diabetes tipo 2, artrite e até mesmo alguns tipos de câncer.

E ao contrário do muitos possam achar, não é somente em academias que as pessoas estarão cuidando de sua saúde e bem-estar. Práticas simples do cotidiano podem contribuir para uma vivência muito mais sã; como a corrida, a pedalada, a caminhada, a natação, a subida e descida em degraus de escadas… propiciando assim uma maior resistência do coração, reduzindo também a pressão arterial e os riscos de doenças cardíacas. Até mesmo para a qualidade do sono, o esporte traz um ganho enorme. O organismo humano precisa dormir, geralmente, cerca de 8 horas por dia para manter as suas funções orgânicas de modo saudável. E nesta questão, o exercício físico contribui primordialmente para a redução do risco de insônia, bem como no controle de outros males, como a síndrome das pernas inquietas, pois a movimentação do corpo controla os ciclos circadianos (funciona como uma espécie de relógio biológico).

Ou seja, a prática de atividades físicas é indispensável em todas as etapas da vida, seja na infância (contribuindo para um desenvolvimento sadio), na fase adulta e na terceira idade. Em toda e qualquer faixa etária, o hábito de se exercitar regularmente é sinônimo de qualidade de vida e de bem-estar. São diversas modalidades e possibilidades que existem. E é indispensável o papel que todos, em especial as autoridades, as instituições e os formadores de opinião, têm na construção de uma nova mentalidade cultural, com a difusão do valor que a atividade física tem na vida de cada indivíduo; a curto, médio e longo prazo. O poder público, os familiares, as escolas, os hospitais, o mercado de trabalho, a imprensa. É um trabalho conjunto que, apesar de não ser uma tarefa fácil, é perfeitamente possível e necessário de ser realizado para que haja a promoção de uma vida mais saudável para todos. Conscientização, persistência, perseverança, estrutura e comprometimento com o bem-estar da coletividade são pilares que certamente farão toda a diferença neste processo.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email