O crime desafia o sistema

O episódio do assassinato, com requintes de crueldade, do traficante Frank Oliveira da Silva, o “Frankezinho do 40”, cujos restos mortais foram encontrados fatiados dentro de uma mala jogada no rio Negro, mostra de forma bem eloquente que o crime organizado está mais vivo do que nunca no Estado e impõe suas próprias regras. Os chefes de bandos julgam, condenam e matam seus desafetos, ao arrepio da lei e das instituições. Mais do que nunca é preciso unir todos os órgãos envolvidos na segurança pública para promover um combate efetivo a estas quadrilhas. Afinal, ao permitir que a polícia e a sociedade soubessem o que fizeram, os marginais que assassinaram o presidiário queriam mostrar a todos que ousem desafia-los o que acontece com quem cruza o caminho deles. E por trás disso tudo está, sem nenhuma dúvida, o repulsivo e lucrativo tráfico de entorpecentes.

Acéfalo

Aliás, o sistema prisional do Estado não tem comando neste momento. O delegado federal Wesley Aguiar, convidado pelo governador Omar Aziz para assumir a Secretaria de Justiça e Cidadania, até hoje não foi liberado pelo Ministério da Justiça para assumir o cargo. Depois do que aconteceu, ele deve estar agradecendo pelo atraso na liberação.

Luta

O deputado Sinésio Campos (PT) resolveu encampar de uma vez a luta pela implantação de um polo de exploração da silvinita no Amazonas, uma bandeira que deveria ser do Executivo. No início da semana, ele comandou visita oficial a mina de cloreto de potássio “Taquari-Vassouras”, no município de Rosário do Catete, em Sergipe, a única do Brasil em operação desde 1986. De propriedade da Companhia Vale do Rio Doce, ela produz em média 560 mil toneladas do minério por ano e atende apenas 10% da demanda nacional. O parlamentar levou prefeitos, vereadores e técnicos para convencê-los da importância do potássio para o futuro do Estado.

Turismo arriscado

A Comissão Especial de Reforma do Regimento Interno da Câmara Municipal de Manaus aprovou relatório que institui a tribuna popular semanal, com duração de 30 minutos, e se prepara para avaliar na semana que vem a proposta que prevê a entrega da pauta aos vereadores com 24 horas de antecedência. São, a rigor, as únicas mudanças relevantes que constarão do “novo” Regimento.

Guerra

O deputado Tony Medeiros (PSL) deu o tom do que promete ser o clima do Festival de Parintins deste ano. Irmão do ex-vice prefeito Messias Cursino (PDT), derrotado na tentativa de se eleger prefeito em 2012, ele chamou o vencedor daquele pleito, o atual mandatário Alexandre da Carbrás (PSD), de “incompetente”, em discurso ontem na Assembleia Legislativa. “Parintins está mergulhado em grandes problemas às vésperas do Festival Folclórico. Se o governador Omar Aziz não intervir, será o caos, uma vez que o festival de Parintins é uma festa de alcance mundial e não fica bem mostrar uma cidade totalmente esburacada e alagada para o mundo”, atacou.

Sessão

O Tribunal de Contas do Estado do Amazonas tem uma pauta de 33 processos na sessão de hoje. Destaque para os recursos do prefeito de Autazes, Raimundo Penalber Sampaio, e do ex-prefeito de São Gabriel da Cachoeira, Pedro Garcia, além dos julgamentos das contas do ex-prefeito de Barreirinha, Gilvan Aquino Seixas, e do prefeito de Tonantins, Simeão Garcia do Nascimento.

Proximidade

O vice governador José Melo está cada vez mais próximo do prefeito Arthur Neto. Os dois têm se reunido a cada dois dias. Anteontem, por exemplo, sentaram para conversar sobre o SOS Enchente. Ficou decidido que vão juntos a alguns municípios distribuir o socorro às vítimas da subida dos rios. Na semana passada, eles já haviam se reunido com 20 vereadores de Manaus, na casa de um deles. No jantar de aniversário da primeira dama Goreth Garcia, na mesma segunda-feira (27), também estiveram juntos.

Chapa

Melo estaria convencendo Arthur a liberar o vice prefeito Hissa Abrahão para compor chapa com ele na disputa pelo governo. O problema agora é encontrar uma vaga para a deputada Rebecca Garcia. Ela também quer disputar o governo, mas se não conseguir concretizar o desejo, deve voltar a Brasília para reassumir o mandato e se candidatar à reeleição. Dificilmente aceitaria se candidatar “por fora”, só para ajudar o grupo do poder a forçar o segundo turno contra o senador Eduardo Braga.
Família

Por falar em Braga, ele deve passar o final de semana prolongado em Manaus, já que no sábado a filha mais velha dele, Brenda, casa-se no civil com o empresário Saulo Furtado. A agenda do político deve privilegiar, portanto, as atividades em família, mas nada impede que receba alguns aliados para articulações e audiências.

Rede nacional

Estudantes amazonenses que participam do Telecurso, programa educacional da Fundação Roberto Marinho, tiveram destaque nas matéria exibidas nos principais telejornais da Rede Globo da última segunda-feira, data em que se comemoravam os 35 anos do projeto. O governador Omar Aziz esteve entre os convidados da solenidade que festejou, no Rio de Janeiro, os resultados alcançados até aqui.

Homenagem

Políticos amazonenses prestaram, ontem, homenagens ao empresário Roberto Civita, morto na noite de domingo em São Paulo. Ele era o controlador da Editora Abril, que publica, entre outros títulos, as revistas “Veja” e “Exame”. A exceção foi o senador Alfredo Nascimento (PR), para quem as publicações comandadas pelo falecido editor foram cruéis quando de sua saída do Ministério dos Transportes.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email