12 de abril de 2021

Novos secretários, missões diferentes

A oxigenação que o governador Omar Aziz quer dar em sua gestão começou com a posse, ontem, de dois novos secretários

A oxigenação que o governador Omar Aziz quer dar em sua gestão começou com a posse, ontem, de dois novos secretários. Na Sefaz, Afonso Lobo tem a missão de continuar aumentando a arrecadação por meio de mecanismos mais eficientes e eficazes de fiscalização, sem necessariamente aumentar a tributação. Afonso, técnico capacitado, deverá dar a resposta que o governador espera. Além de ficar atento aos imbróglios nacionais como a equiparação do ICMS e a redistribuição dos royalties do petróleo. Na Segov, Rebecca Garcia emplaca com o objetivo de melhorar o gerenciamento do governo e pavimentar uma candidatura nas eleições de 2014.

Opção

Por sinal, tem muita gente fazendo uma leitura diferente da presença de Rebecca no governo de Omar. Para a maioria, a ex-deputada federal vem para aprender “ser executiva” e se transformar na candidata ao governo com apoio do governador. Outros, apesar de concordar com o “aprendizado”, discordam do cargo. Na verdade, Rebecca vira opção de Omar para o Senado, caso o entendimento com Braga continue. Governo só em caso de rompimento total com o líder do governo no Senado.

Compras

Pela previsão da Federação do Comércio, o consumidor amazonense pretende gastar em média R$ 305 com os presentes natalinos. A pesquisa indica também que os brinquedos e o vestuário são os preferidos. Apesar dos atrativos dos shoppings, mais da metade dos entrevistados preferem comprar no centro da cidade. Os motivos são: os preços e a variedade.

Idosos

Pelos números divulgados pela Presidência da República a violação dos direitos humanos contra os idosos aumentou quase 200 por cento, comparando o ano passado com 2012. Um dos motivos desse aumento podem ser creditados pela introdução recente do registro de denúncias por meio do telefone Disque 100. A situação preocupa ainda mais porque os idosos não têm uma rede especializada de assistência, diferente das crianças que contam com o apoio dos conselhos tutelares.

Dia D 1

O Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas chamou a atenção da sociedade, ontem, Dia D da Saúde Indígena, anunciando três ações civis públicas e 14 recomendações a diversos órgãos e municípios com o objetivo de tentar minorar a situação dessas populações. Para se ter uma ideia da calamidade em que vivem os primeiros habitantes das terras brasileiras, basta, andar na periferia de Manaus. Não precisa nem ir às aldeias no interior.

Dia D 2

Casas, se é que se pode chamar, feitas de lona e papelão. Fonte de renda, oficialmente nenhuma. Educação, só no papel e nas propagandas. Mas, é a saúde que é a pior. As doenças vão das mais simples como gripe e diarreia, as mais complicadas adquiridas do contato com o homem branco, como as sexualmente transmissíveis. Enfim, já passou da hora de se ter uma política de saúde pública para os parentes. Por tudo isso, espera-se que a atitude do MPF continue ainda mais firme na defesa dos povos indígenas.

À deriva

A Câmara Municipal de Manaus não renovou, no último dia 1º, o contrato que mantém com a empresa Lay Out, para administração de sua televisão -transmitida pelo canal 99 da NET. Também não lançou novo processo licitatório nem fez acordo emergencial com nenhuma outra produtora. Resultado: os funcionários estão trabalhando sem saber se continuam contratados nem se passarão as festas de final de ano sem salário.
Reboque

Vale ressaltar que a TV Câmara vive hoje a reboque da TV Assembleia. Até o cabo que manda as imagens para a NET sai do Legislativo Estadual, que tem total controle sobre a programação do canal 99 e acaba de fazer parceria com o Senado para lançar um canal aberto de rádio e TV, em que ocupa parte mínima da programação, é verdade, mas ainda assim conquistou um avanço.

Melancólico

Com mais este imbróglio, o presidente Isaac Tayah (PSD), que vê reduzirem-se a cada dia suas chances de reeleição, pode terminar a gestão de forma melancólica, com desmandos que encobrem o que de bom ocorreu nestes dois anos. Já se vê às voltas com questionamentos sobre a compra do novo painel eletrônico, a não votação do fim do “auxílio-paletó” e agora se depara com esta situação, que se agrava na medida em que se sabe da situação precária da TV Câmara, muito mal gerida pela Lay Out.

Avanços

A gestão Tayah tem um mérito: abriu as portas da Câmara para todas as categorias da sociedade. A própria eleição dele, assim como a do prefeito Artur Neto, agora, arejaram a política amazonense, fazendo o Estado respirar ares mais democráticos. Jogar isso fora com atitudes nada republicanas é um crime para a própria história política do vereador, que acaba de conquistar seu quinto mandato.

Desautorizados

A Moto Honda da Amazônia não autoriza qualquer um de seus funcionários graduados a se envolverem em questões políticas locais. Apesar de não ter se manifestado oficialmente, esta foi a repercussão interna que mais se ouviu no final de semana, depois que esta coluna revelou a influência dos japoneses no posicionamento político do vereador nissei Massami Miki (PSL). O fato é que ele ouve muito os executivos da terra de seus pais para tomar decisões.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email