18 de abril de 2021

Novo molho de pimenta no mercado

Se você é daqueles que adora um molho de pimenta, ou mesmo pimentas dando um sabor a mais na sua comida, se prepare que o gastrônomo Márcio Gonzaga resolveu juntar algumas variedades delas e criou um molho artesanal, que só ele sabe o segredo da receita, e não conta pra ninguém, apenas que leva ervas, temperos, cachaça e azeite.

Márcio se junta ao grupo de empreendedores que surgiu com a pandemia. Professor de A & B (Alimentos e Bebidas) do Senac, desde o início do ano, com as aulas suspensas por causa do ‘lockdown’, o professor, que ganha por hora/aula, se viu sem seus ganhos.

“Aí a coisa complicou. Janeiro, fevereiro e agora março. Tive que fazer algo para manter a mim e à minha família. As grandes ideias surgem das necessidades. Lembrei que, na época da faculdade, para treinar meus conhecimentos, fazia molhos de pimentas para mim e para dar de presente aos amigos e acabava que os amigos dos amigos pediam esses molhos, e para estes eu vendia. Retomei a prática e tão logo lancei o produto, o sucesso foi imediato. Tudo o que preparo, vende”, comemorou.

Gastrônomo Márcio Gonzaga criou molhos de pimenta a partir de combinados de espécies
Foto: Divulgação

Existem dezenas de espécies de pimenta pelo mundo, e em todos os lugares elas possuem admiradores. Suas variadas cores, vermelhas, amarelas, verdes e laranjas, e formatos diferentes, promovem um belo visual quando juntas num molho. Pimentas são frutos, e o que as caracteriza é sua ardência provocada pelo composto químico capsaicina. Essa ardência muda de uma variedade para outra devido ao ambiente onde nascem, e sua genética, e existe até uma escala, a Escala de Scoville, que mede o nível da ardência de uma variedade para outra.

Márcio trabalha com algumas delas: Dedo de Moça, Malagueta, Murupi amazônica, de cheiro, Jalapeño, Biquinho, Olho de Peixe, Cambuci, Verde e Cumari.

Variação dos sabores

Molho artesanal foi criado com ervas, temperos, cachaça e azeite e variedades de pimentas
Foto: Divulgação

Os molhos de pimenta produzidos por Márcio ganham mais valor por serem artesanais, preparados de acordo com a demanda, sem necessidade de conservantes, e são acrescidos de ervas como chimichurri, alecrim, gengibre; e temperos como alho e cebola, para realçar o sabor. O azeite e a cachaça, além de também darem um sabor especial, servem para prolongar a vida útil do molho.

“Nenhum dos ingredientes foi colocado por acaso. Um a um foram testados para, no conjunto, resultar num melhor sabor do molho. E não são misturados aleatoriamente. Obedecem uma ordem na colocação dentro do vidro”, acrescentou.

De acordo com os meses do ano, seguindo a sazonalidade das pimentas no mercado, os molhos preparados por Márcio vão sofrendo pequenas variações nos sabores, pois quando falta uma variedade, ele acrescenta outra, com mais ou menos ardência. As pessoas que possuem grande sensibilidade no paladar irão notar essas diferenças.

“Outra coisa que gosto de deixar bem claro é o processo de higienização pelo qual tudo aqui passa, desde os vidros, até os ingredientes e as pimentas, seguindo as normas do RDC 216. Tudo é lavado, enxugado, embalado e resfriado. Enquanto professor, ensino essas normas para meus alunos, então não devo deixar de praticá-las”, informou.

RDC 216 é um regulamento técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação, aprovado pela Diretoria Colegiada da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Vários donos de estabelecimentos desconhecem essa resolução, e acabam colocando seu negócio em risco, deixando de realizar práticas bem simples.

Márcio lembrou que as pimentas, de acordo com a variedade, são benéficas para o organismo, pois realizam ações antimicrobianas, anti-inflamatórias, anticancerígenas, melhoram a digestão, diminuem o nível de colesterol, e ajudam a emagrecer.

Poderosa Murupi

A Dedo de Moça, por exemplo, é antioxidante e possui vitaminas A e C. Devido não ter muita ardência, é utilizada até em sobremesas. A Biquinho tem menos ardência ainda. Seu formato peculiar, que lhe dá o nome, faz com que seja usada como decoração e mesmo aperitivo. A Malagueta é famosa pela ardência poderosa, por isso é mais consumida em molhos, ainda que algumas pessoas a consumam in natura. A verde Jalapeño é mexicana, utilizada no mundo todo em recheios e saladas de tomate, com o qual forma uma boa combinação. A Murupi é amazônica e não poderia faltar nos molhos de Márcio. É a pimenta brasileira mais forte, com grau 9 na Escala de Scoville, e aroma intenso. Possui diversas propriedades medicinais e antioxidantes, atuando na prevenção de doenças cardíacas, diabetes, câncer, além do envelhecimento precoce.

Márcio ensina aos seus clientes que, ao adquirir seu produto, devem deixar o molho maturar por uns 15 dias, de preferência em ambiente com pouca iluminação e ventilado. O vidro deve ser aberto diariamente para o molho ‘respirar’. Após esses dias o produto estará no ponto para ser consumido, devendo ser guardado na geladeira e com validade de um mês.

“E, dependendo do gosto de cada um, o molho pode acompanhar qualquer tipo de alimento”, ensinou. Outras informações pelo fone: 9 9181-3006. Face e Instagram: Márcio Gonzaga.            

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email