3 de julho de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Novela do terminal pesqueiro já tem 43 anos sem solução

No meu livro “Pingo nos Is”, página 102, tem documento do Ministério da Agricultura, datado de 03 de julho de 1979, que recebi quando representava o Amazonas na Câmara Federal, em Brasília. Diz o ofício 173: “…Informamos a Vossa Excelência que o senhor Ministro aprovou a construção do armazém frigorífico e do Terminal Pesqueiro de Manaus, assim como a rede de armazéns metálicos da Cibrazem…”. De 1979 até hoje, ano 2022, já passamos 43 anos sem frigorífico e sem terminal pesqueiro, o que demonstra, no meu ponto de vista, que algo não está correto no setor pesqueiro do estado. Arrisco dizer que é a falta de união das diversas lideranças que envolvem o setor, a disputa por votos em momentos eleitorais, esquecendo das verdadeiras melhorias ao pescador artesanal. 

Essa “novela” não acaba, e vejo que o terminal pesqueiro de Manaus que nem inaugurado foi, já está incluído em edital de concessão pelo governo federal. E os milhões investidos na obra que nem inaugurou. Parece que R$ 18 milhões. Quem paga essa conta?

Nessas quatro décadas, inclusive também com registros no meu livro “Pingo nos IS”, o assunto ocupou várias vezes as manchetes dos jornais do estado. Em nada prosperou, entrou governo e saiu governo e as soluções não apareceram. Quem perdeu? O pescador artesanal, que elegeu nesse período vários parlamentares para o defender.

Parece ironia, na terra da riqueza do peixe extrativo não dispomos de um Terminal Pesqueiro para recebimento, beneficiamento e estocagem desse produto de alto valor nutricional que, em épocas de safra, os de menor valor de mercado continua sendo desperdiçado.

É muito triste esse descaso!

Lembro, com saudade, do meu amigo Pedro Falabella, que sempre lutou por essa causa. De acordo com notícias vinculadas na mídia local, o governador Wilson Lima, diante dos entraves que envolvem o terminal construído ao lado da Panair, já sinalizou a construção dessa estrutura em outro local. Quando for concluída a obra, sugiro que esse terminal leve o nome de “Pedro Falabella” por todo seu envolvimento com o setor pesqueiro do estado.

Fico torcendo para avançar, pois não somente beneficiará o pescador artesanal, mas o piscicultor, o manejador de pirarucu e o consumidor, pois envolve segurança alimentar

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email