Novas tecnologias determinam desempenho de produtos do PIM

A transição tecnológica vem conduzindo a oscilação per­cebida nas produções do PIM. Enquanto a fabricação de televisores de LCD (tela de cristal líquido) apresentou incremento de 499,90% em janeiro de 2008 em comparação ao mesmo mês do ano anterior, em contrapartida o volume da produção de TVs convencionais (cinescópio) e de plasma teve decréscimo de 26,29% e de 3,13%, respectivamente, neste período.
O presidente do Sinaees (Sindicato da Indústria de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares de Manaus), Wilson Périco, afirmou que o crescimento da fabricação das televisões de alta tecnologia já era esperado. “A produção de televisores de LCD devem crescer ainda mais ao longo deste ano”, garantiu.
Segundo o executivo, a expectativa do setor é conquistar o equilíbrio do segmento, reduzindo a retração dos aparelhos com CRT.
Périco comentou que a perspectiva é alcançar ao menos o desempenho obtido em 2006, quando a produção de televisores do PIM (Pólo Industrial de Manaus) chegou a 12.625 milhões de aparelhos. A cifra é 22,57% superior ao total fabricado em 2007, que foi de 10.300 milhões de TVs. Em relação ao faturamento, as vendas deste produto somaram o montante de US$ 2.060 bilhões no ano passado contra US$ 2.572 bilhões em 2006.
No entanto, o dirigente disse que não acredita que os Jogos Olímpicos, que vão ocorrer neste ano em Pequim, na China, sejam responsáveis pelo acréscimo na produção de televisores. “Não sei se as Olimpíadas vão ter grande impacto. Creio na estabilização do mercado devido às novas tecnologias”, avaliou.
Sobre a queda da fabricação de televisões de plasma especificamente, o presidente do Sinaees disse que esta tecnologia é inferior comparada ao LCD, que garante menor consumo de energia e qualidade de imagem melhor.
Outro fator apontado para explicar a disparidade do desempenho das duas novas tecnologias foi a redução do custo do LCD, que tem possibilitado as indústrias a investirem ainda mais na aquisição deste insumo.
O segmento de set-top boxes foi outro que apresentou crescimento por conta da inovação tecnológica. No mês um de 2008, a produção dos conversores do sinal de TV do analógico para o digital registrou incremento de 28%. “Assim que o novo sistema de TV brasileiro for disseminado, o número da produção de decodificadores vai crescer, acompanhando este processo”, afirmou, lembrando que atualmente, somente parte da cidade de São Paulo recebe o sinal lançado em dezembro de 2007.
A maior parte da produção de conversores do pólo é vendida para outros Estados e para o exterior. Em janeiro deste ano, foram fabricados 418.139 set-top boxes na ZFM (Zona Franca de Manaus) e 327.206 no mesmo intervalo de 2007, chegando a 4.675 milhões de unidades no acumulado do ano.

Negócios estão em alta

Do total das vendas realizadas em janeiro de 2008 (378.215 de decodificadores), as realizadas para o mercado nacional contabilizaram 324.862 e as exportações 51.000. A receita obtida com as vendas dos decodificadores foi de US$ 23.052 milhões no mês um de 2008. Considerando todo o ano passado, o faturamento alcançou a cifra de US$ 334.955 milhões.
Apesar da queda no volume da fabricação de televisores convencionais e de plasma, assim como a de aparelhos de DVD (19,39%) –justificada por Périco pela concorrência com os produtos importados– o pólo eletroeletrônico iniciou o ano com desempenho positivo de 9,31%. A receita do setor somou o montante de US$ 739.566 milhões em janeiro de 2008 enquanto que em igual mês do ano passado chegou a US$ 676.546 milhões. No total, o setor alcançou receita de US$ 11.914 bilhões em todo o ano de 2007. Os dados constam nos indicadores de desempenho econômico do PIM, divulgados pela Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email