4 de julho de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Nova variante da ômicron vem se disseminando rapidamente

As atividades econômicas estão funcionando a pleno vapor. Porém, a disseminação de uma nova variante da ômicron começa a gerar muitas preocupações, não só no Brasil com em todos os países. Ontem, as autoridades de saúde anunciaram o registro de dois casos de Covid-19 em pessoas infectadas pelo novo vírus em Manaus.

Batizada de subvariante BA.2, a nova ômicron não está apenas se espalhando mais rápido, mas também pode causar doenças mais graves e combater algumas das principais armas que temos contra a Covid-19, segundo sugere a nova pesquisa envolvendo a pandemia.

Em teses, as vacinas desenvolvidas até agora não seriam capazes de controlar a nova infecção. A prefeitura de Manaus e o governo do Amazonas mantêm o plano de contingência para aumentar a cobertura vacinal na capital e nos outros 61 municípios do interior do Estado.

Neste final de semana, pelo menos 500 postos estarão abertos durante o mutirão de vacinação, não só para o coronavírus, mas também para influenza (gripe). Por enquanto, a Covid-119 está hipoteticamente controlada na região. No entanto, grande parte da população vem negligenciando cuidados básicos como uso de máscara, álcool em gel e evitar aglomerações.

As casas de show já reúnem grandes públicos. Praticamente, ninguém mais está preocupado com a tragédia que deixou milhares de mortos no Amazonas durante as duas fases mais agudas da pandemia.

Ontem, a diretoria da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou a flexibilização das medidas sanitárias em aeroportos e aeronaves. De acordo com o órgão, as atualizações foram feitas após a decretação do fim da Espin (Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional) em decorrência da Covid-19. 

De acordo com as novas normas, está permitida a volta do serviço de bordo, a retirada da máscara para alimentação e o retorno da capacidade máxima de passageiros no transporte para embarque e desembarque pela área remota. 

A obrigatoriedade do uso de máscaras dentro do avião e nas áreas restritas dos aeroportos continua mantida, além do desembarque realizado por fileiras e os procedimentos de limpeza e desinfecção de ambientes e superfícies. O distanciamento físico continua recomendado sempre que possível. 

Na quarta-feira (11), a Easa (Agência Europeia para a Segurança da Aviação) e o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças informaram que, a partir da próxima segunda-feira (16), deixam de recomendar máscaras obrigatórias em aeroportos e voos.

Em comunicado conjunto, a Easa e o ECDC afirmaram que vão “retirar a recomendação de uso obrigatório de máscaras médicas nos aeroportos e a bordo de voos”. Lembram, no entanto, que “a máscara facial continua a ser uma das melhores proteções contra a transmissão” do SARS-CoV-2, especialmente para pessoas mais vulneráveis.

Claro, o fim das restrições é importante para manter as atividades. Porém, cada um deve decidir como se prevenir de um vírus que deixou muitos mortos no mundo. Quem garante que, realmente, já estamos livres do coronavírus? O tempo dirá. Nada contra o que determinam as autoridades sanitárias. Mas os cuidados sempre vão prevalecer como estratégias eficazes para o controle de doenças.

Nota abre Perfil

Linha tênue mantém democracia?

A democracia brasileira parece estar por fio. Apenas uma linha tênue separa o regime de exceção com os preceitos democráticos na atual conjuntura em que vivemos, segundo analistas. A pendenga entre o STF e o governo federal em torno das eleições se acirra a cada dia. Já se fala até em novo golpe. Mas até onde podemos dar crédito a esse alarmismo desenfreado? Eis a questão. Agora, o que assusta é o ministro Edson Fachin, presidente do TSE, declarar que eleição é tema de forças desarmadas, numa alusão direta à cúpula das Forças Armadas e às insinuações golpistas de Bolsonaro e de ataque às urnas.

A treta veio logo após o TSE nega sugestões das Forças Armadas para o processo eleitoral. Claro, devemos admitir que vivemos outros dias, diferentes daqueles que antecederam a tomada do poder pelos militares em 1964. Porém, não devemos descartar essa possibilidade. As instituições parecem estar enfraquecidas, o País vive uma crise política e econômica de grandes proporções, abrindo precedentes para situações ainda inimagináveis. “A Justiça Eleitoral está aberta a ouvir, mas jamais está aberta a se dobrar a quem quer que seja tomar as rédeas do processo eleitoral”, disse Fachin. Realmente, é preocupante.

Responsabilidade

A Petrobras vem suscitando muitas discussões, motivada principalmente pela sua política de preços. Ontem, o deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) culpou o presidente Jair Bolsonaro (PL) pelo aumento dos combustíveis. O chefe do Planalto acabou demitindo o ministro das Minas e Energia, numa tentativa de mostrar aos consumidores que o governo está levando a sério os impactos em torno dessa questão. Porém, Bolsonaro não apita nada na estatal e não tem pulso para frear nada.

Urnas

Da mesma forma, Serafim Corrêa criticou insinuações de que Bolsonaro estaria orquestrando um ataque às eleições por duvidar da segurança das urnas eletrônicas. Para o deputado, as supostas agressões à Justiça Eleitoral merecem o repúdio de todas as forças constituídas e da própria sociedade. “Os militares são importantes para defender o País, reconhecemos essa atuação relevante, mas não têm nada a ver com as eleições”, questionou o parlamentar. São questiúnculas que antecedem o pleito.

Cobrança

Parlamentares do Amazonas voltaram a cobrar, ontem, a investigação do suposto esquema de escuta montado por Luismar Bonates, ex-secretário de Estado de Segurança Pública do Amazonas, para monitorar de forma ilegal autoridades, inclusive da própria Polícia Civil. Ele teria interesse especial na chamada ‘maleta espiã”, grupo do qual tinha controle total, segundo denunciou o ex-secretário de Inteligência Samir Freire ao Gaeco, acusado por roubo e extorsão. O caso ainda vai render muito.

Internet

Já tramita na Câmara Municipal o projeto que prevê a instalação do sistema 5G, três vezes mais veloz que o 4G. Em breve, a proposta deve ser submetida à votação. A nova ferramenta é revolucionária. Por ora, só 12 capitais brasileiras possuem infraestrutura para receber a tecnologia, mas no Amazonas essa inovação ainda está engatinhando. Os vereadores discutiram as vantagens dos novos aparatos tecnológicos, além de impactos sobre custos. Arquivos são baixados instantaneamente. É impressionante.

Fiscalização

O prefeito David Almeida (Avante) e o governador Wilson Lima (UB) reforçam a cada dia a aliança para a reeleição. Os dois aparecem sempre juntos fiscalizando o andamento das obras de recapeamento de pelo menos 10 mil ruas em Manaus, como anunciou o prefeito. Essa aproximação acontece desde o ano passado, culminando em parcerias com investimentos de R$ 680 milhões em projetos de infraestrutura urbana na capital. Colado na imagem de Almeida, Lima tem tudo para se reeleger este ano.

Multa

O Procon-AM multou a Claro/Net em R$ 3,6 milhões pelos constantes apagões de internet, principalmente pelo ocorrido em 15 de fevereiro de 2022. Comércio, indústrias, órgãos e consumidores denunciaram muitos prejuízos com a pane no sistema. Os problemas têm sido recorrentes, provavelmente atribuídos à expansão das operadoras na contratação de novos clientes, sem, porém, terem condições de dar a contrapartida adequada aos usuários. A eficácia é o principal diferencial de mercado.

Emergência

Vários municípios já decretaram situação de emergência com a enchente que avança no Amazonas. Cidades da Região Metropolitana de Manaus já amargam muitos prejuízos. Lavouras são perdidas.  Rebanhos de gado e aves foram transferidos para flutuantes e ficarão nessa situação enquanto durar a cheia. Ribeirinhos recorrem às tradicionais marombas para continuar em casa. Pontes são improvisadas. Em alguns locais, o deslocamento só pode ser por barcos. Cenário de um ambiente inóspito.

Covid-19

O Amazonas registrou dois casos de Covid-19 pela subvariante BA.2 da ômicron, do novo coronavírus, segundo alertou ontem o Centro de Vigilância em Saúde a partir de informações de sua unidade no Estado e da direção nacional. A nova cepa pode causar doenças mais graves e está se espalhando rapidamente, informaram as autoridades sanitárias. Porém, o fim das restrições cria ambientes propícios para a disseminação do vírus. E corremos o risco de sofrer situações angustiantes. Vale investir na prevenção.

FRASES

“Cigás planeja duplicar unidades”.

Clóvis Correa Júnior, diretor comercial da empresa, ao anunciar novos investimentos.

“Quem trata da eleição são as forças desarmadas”.

Edson Fachin, presidente do TSE, sobre supostas insinuações de ataques às urnas.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email