Nova representação contra senador alagoano

O DEM e o PSDB protocolaram ontem na Mesa Diretora do Senado representação contra o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) por quebra de decoro parlamentar. No texto, o partido pede a instalação de processo contra o presidente do Senado com base em denúncia publicada pela revista “Veja” que acusa Renan de ter usado “laranjas” para comprar empresas de comunicação em Alagoas.
A representação foi assinada pelos presidentes do DEM, Rodrigo Maia (RJ), e do PSDB, Tasso Jereissati (CE). No texto, os partidos alegam que Renan cometeu ato “indecoroso” que tem potencialidade suficiente para “macular a imagem do Senado Federal e da classe política”.
Segundo os partidos, Renan utilizou seu poder político para o enriquecimento ilícito, sonegação de proventos e falsidade de informações à Receita Federal e Justiça Eleitoral. O DEM e o PSDB argumentam que, mesmo as denúncias sendo referentes ao ano de 1999, o Conselho de Ética da Casa deve investigá-las.
“Não se diga que fatos ocorridos antes do atual mandato não se projetam no tempo. Cabe aos eminentes membros do Senado da República obstruir tudo aquilo que seja indesejável à solidificação da imagem da instituição”, afirma o texto.

Processo disciplinar autônomo

Na representação, o DEM e o PSDB defendem que o conselho instaure nova investigação contra o senador e não decida incorporar o pedido no processo a que Renan já responde no órgão.
“Esta representação visa a abertura de processo disciplinar autônomo, haja vista a fartura de documentos com que a revista “Veja” ilustrou a matéria, que comprovam que o senador Renan Calheiros administrou recursos financeiros de origem não revelada”, diz a representação.
Os dois partidos cobram, além do encaminhamento da representação ao Conselho de Ética, que Renan seja notificado sobre o pedido e convidado a dar explicações sobre a denúncia. O DEM e o PSDB também cobram o depoimento de todos os citados na reportagem da “Veja”, além de “aplicação da sanção cabível” ao senador Renan caso as denúncias sejam confirmadas pelo conselho.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email