Nova pesquisa do Banco Central já prevê inflação de 4% em 2007

Pela quarta semana consecutiva, o mercado financeiro elevou a projeção para a inflação em 2007. Pesquisa semanal do Banco Central com cerca de cem instituições financeiras mostra que analistas já prevêem IPCA, usado no regime de metas, de 3,99% no ano.
No levantamento anterior, a expectativa era de 3,92%. A alta dos alimentos e serviços é os principal motivo para a mudança do cenário.
Com a quarta alta na previsão do IPCA, a projeção se aproxima do centro da meta da inflação, de 4,5% em 2007, com intervalo de dois pontos percentuais para mais ou para menos.
Em igual trajetória, o IGP-M, que reajusta os contratos de aluguel, subiu pela sexta semana seguida. Para o mercado, o índice deve terminar o ano em 4,35%. Há um mês, o número era quase um ponto percentual mais baixo: 3,55%.

Aumento da demanda

“O que vemos é uma pressão continuada nos preços. Além dos alimentos, outros itens têm chamado a atenção: serviços e alguns bens duráveis, como carros e eletrodomésticos”, diz a economista da Link Investimentos, Marianna de Oliveira Costa, ao observar que a subida desses itens reforça a tese de que parte da inflação está sendo gerada pelo aumento da demanda.
Mesmo com a inflação em alta, o mercado ainda crê em mais um corte do juro básico da economia.
Para os analistas, a taxa deve cair 0,25 ponto na reunião marcada para os dias 16 e 17 de outubro, para 11%. Depois, a Selic deve permanecer nesse patamar por alguns meses e voltar a ser reduzida em 2008, ano em que deve terminar a 10%. O cenário é idêntico ao visto no relatório anterior.

Ata do Copom

“O pessoal preferiu esperar a ata da reunião da semana passada para avaliar os fatores que levaram o Banco Central a tomar a decisão e, eventualmente, refazer o cenário”, diz Costa. A ata do Copom que explica os motivos para o corte de 0,25 ponto será divulgada na manhã de quinta-feira.
Para o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto), analistas seguem otimistas. Foi a sexta alta seguida, de 4,70% para 4,71% em 2007. Com crescimento maior do país, o mercado prevê aumento das importações e queda do saldo comercial. Pelo relatório, o superávit deve ficar em US$ 42,3 bilhões, contra US$ 42,7 bilhões do relatório anterior.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email