Nova gestão da Conab no Amazonas é reconhecida nacionalmente

Na condição de ex-servidor da Conab, mas ainda atuando como analista e articulista do setor primário do nosso Amazonas nas páginas centenária do nosso JC, é evidente que fico muito feliz quando vejo a empresa pública na qual trabalhei por longos anos ser referência à nível nacional.

A matéria que traz esse reconhecimento está no site nacional da CONAB, e foi elaborada pela Gerência de Imprensa da própria Companhia, com sede em Brasília. Os dados estão no portal de transparência da empresa. Parabenizo os atuais gestores da regional da Conab/AM, sob o comando do ex-técnico do IDAM, hoje analista concursado da Conab, Pedro Benício, e em especial aos técnicos da área operacional, pelas mudanças implementadas que estão sendo reconhecidas pela CONAB de Brasília (matriz), onde fica a presidência do órgão.

Certamente são mudanças que vieram pra ficar, ninguém muda mais, e que estão até sendo copiadas por outros estados, pois facilita a vida do criador rural e cumpre a missão institucional. Entre as mudanças adotadas pela regional da Conab no Amazonas que estão sendo reconhecidas e copiadas por outras unidades da federação, destaca-se o maior uso da tecnologia, desburocratização e aumento das parcerias.  Como a matéria fala do Vendas em Balcão, do conhecido PROVB, aproveito para lembrar que esse ótimo programa precisa de atenção nos seguintes pontos.

Sugestões para Novos Avanços

  1. O estoque público nacional de milho continua baixando, é preciso recompor, caso contrário, o programa acabar, paralisar por falta de estoque;
  2. É um programa “SOCIAL” de abastecimento, então, tem que ter subsídio aos criadores do Norte e Nordeste (a ser implementado só quando o estoque tiver maior, agora não);
  3. Igualar os limites máximo de vendas do Norte às demais regiões;
  4. Aumentar a capacidade estática de armazenagem pública no Amazonas para aumentar o quantitativo das remoções. No passado, já chegamos a remover 5 mil toneladas de milho em grão, hoje, não pode passar de 3 mil toneladas. Aqui cabe emenda parlamentar;
  5. Definir novo critério de fixação de preço quinzenal que se adeque aos próprios normativos e aos objetivos do programa;
  6. Que a partir do ano que vem, com novos prefeitos, ou os mesmos com mandato renovado, estes procurem a Conab para ter uma Unidade Satélite em seu município para atender os pequenos criadores rurais do município e região;

*Thomaz Antônio Perez da Silva Meirelles, servidor público federal aposentado, administrador, especialização na gestão da informação ao agronegócio. E-mail: [email protected]

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email