No Dia do Churrasco, aposta é no delivery

Hoje, 24, é o Dia do Churrasco. A data foi criada através de lei, no Rio Grande do Sul, em 2003. Como existem gaúchos em todo o Brasil e o churrasco acabou por ganhar apaixonados admiradores no país inteiro, a data passou a ser comemorada em cada pedaço do território nacional. Na realidade o 24 de abril destaca o dia do churrasco, como prato típico, e do chimarrão, como bebida símbolo, dos gaúchos, mas o chimarrão continua sendo apreciado somente pelo povo do Sul.

Em Manaus o sucesso do churrasco é antigo. Só o Adolpho Assador Oficial, no Parque Dez de Novembro, já tem mais de 30 anos de existência e, segundo os clientes, suas carnes nunca perderam a essência do sabor. Há sete anos, quem está à frente do negócio é Adherbal Menezes Netto, filho de Adolpho, que continua supervisionando o preparo do churrasco no restaurante.

“Me orgulho em dizer que meu pai foi o primeiro a preparar a picanha no bafo, em Manaus. Até hoje esse prato é o carro-chefe do Adolpho”, lembrou Adherbal.

O toque especial do chef no preparo da picanha no bafo, além dos temperos, é a carne ser assada envolta em papel alumínio. O segredo para se atingir o sabor que todos admiram é saber quando a brasa está no ponto, a altura que a carne deve ficar da brasa, como aproveitar a gordura da picanha e o tempo para assar.

“E só trabalhamos com carnes especiais na parrilla, uma técnica de assar a carne que confere ao alimento um sabor mais especial, sem a interferência da fumaça”, explicou.

Adherbal destacou ainda os cortes especiais do bife ancho e do t-bone. O ancho (largo em espanhol) é de origem argentina. Trata-se de um bife com, no mínimo, dois dedos de altura. O T-Bone é uma bisteca em cujo centro um osso forma a letra T, com carne dos dois lados: no lado menor, filé mignon; no maior, contra-filé.

“Nossas carnes são todas de angus, raça bovina aperfeiçoada há séculos na Escócia, e considerada de qualidade superior”, disse.

Dez peças de costela

O Duque Restaurant, no Manoa, completa onze anos agora em 2020. Começou servindo comida caseira numa fusion como comida regional já que seu proprietário Duque Agenor é do interior do município de Nhamundá, onde aprendeu a fazer comidas com a mãe e, em Manaus, trabalhando em hotéis e renomados restaurantes, se aperfeiçoou na comida regional.

“Mas no meu restaurante, logo tive que colocar uma área específica para a churrasqueira porque os clientes pediam”, revelou.

Até hoje o Duque Restaurant mantém o buffet tradicional: comida caseira versus comida regional, mas o churrasco de costela ganhou um local de destaque.

A costela é considerada uma das mais saborosas carnes para churrasco e, para os restaurantes, a que apresenta um dos melhores custo x benefício. Há dois tipos de costela: a minga, ou ponta de agulha, bem entremeada de carne e gordura; e a ripa, com fibras mais rígidas e ossos maiores, geralmente usada no churrasco de fogo de chão.

A costela tem bastante gordura. Enquanto assa lentamente em fogo médio, o sabor vai passando para a carne e evita que ela fique ressecada, deixando-a com gosto único.

“Por dia assamos dez peças de costela, de domingo a domingo”, garantiu Duque, confirmando que para o manauara todo dia é dia de churrasco.

Nesse período de quarentena, tanto o Adolpho Assador Oficial quando o Duque Restaurant estão atendendo com delivery. O Adolpho manda entregar; no Duque o cliente faz o pedido e vai pegá-lo na porta do restaurante.

Serviço

Adolpho Assador Oficial

Av. Tancredo Neves, 920 A – Parque Dez de Novembro

Fone: 3307-7777

Duque Restaurant

Av. Francisco Queiroz, 11 – Manoa

Fone: 9 9101-8661

Fazendo em casa

A escolha da carne é uma das etapas mais importantes do churrasco, escolher um produto de qualidade e o corte adequado é imprescindível.

Cortes como a picanha, costela, contrafilé, alcatra, maminha e a fraldinha são as mais consumidas, cada uma com suas particularidades, mas todas muito saborosas no churrasco.

Algumas dicas e truques: deixar a carne na temperatura ambiente antes de assá-la e salgar antes de colocar na churrasqueira.

Posicionar a mão aproximadamente a 15 cm do braseiro. Se não conseguir ficar por mais de cinco segundos, está na temperatura ideal para colocar a carne.

Quanto mais afiada a lâmina, menos pressão será necessária na hora de fatiar: é muito melhor deixar o garfo para trinchar em linha reta em cima da carne e exercer pressão de modo que ele fique estável enquanto fatia a carne.

Para carne de boi o recomendado é que se utilize apenas sal grosso. O que varia é apenas a quantidade e o tipo de sal que vai ser utilizado, de acordo com o corte.

Não virar a carne o tempo todo. Cada corte tem um tempo certo para chegar ao ponto desejado. Virar apenas uma vez antes de servir.

Não furar. Vale para todo tipo de carne (muitos têm mania de fazer isso com a linguiça). Reter o líquido dentro da carne é dos segredos para um churrasco suculento.

Não jogar água na churrasqueira. Se precisar controlar o fogo utilizar cinzas do churrasco anterior ou se não tiver, espalhar o carvão na churrasqueira.

Após retirar da churrasqueira, a peça de carne precisa descansar um terço do tempo de cozimento para garantir que os sucos permaneçam agindo em seu interior.

Fonte: Evaldo Ferreira

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email