No Brasil, chamadas de spam cresceram 9% em 2020

Não é nenhuma surpresa, mas o Brasil segue como o país mais afetado por chamadas de spam em todo o mundo. O volume de ligações fraudulentas ou simplesmente incômodas cresceu 9% em nosso país ao longo de 2020, com os nossos conterrâneos recebendo quase 50 contatos desse tipo a cada mês, com os celulares tocando de maneira indesejada quase duas vezes por dia.

Os dados da Truecaller colocam o Brasil em uma posição de liderança isolada no ranking mundial de spam, ainda que o crescimento, por aqui, tenha sido mais baixo que a média global. Em todo o mundo, o volume de ligações indesejadas cresceu 18%, para 31,3 bilhões de chamadas, com os golpes por telefone e os contatos ostensivos de telemarketing servindo como um caminho para as empresas durante o período de isolamento social, ainda que o incômodo aos possíveis clientes seja o principal resultado disso.

De acordo com as informações, o fluxo de spams no Brasil teve um aumento de 141% desde 2017, ainda que existam alterações na forma como tais chamadas acontecem. Se antes eram as operadoras de telefonia e internet as maiores responsáveis, os serviços financeiros como cartões e segundos, além de golpistas, assumiram papel de destaque em nosso território, com 42% e 48% das chamadas, respectivamente.

Os Estados Unidos aparecem em segundo lugar com 28,4 chamadas de spam recebidas por mês, quase uma por dia, um aumento de mais de 56%. O Truecaller chamou a atenção para esses dados, que fez com que o território saísse da 9ª posição em 2019 para a vice-liderança, enquanto a Índia, que foi a primeira colocada do ranking por muitos anos, aparece agora em nono lugar com a aprovação de leis locais e maior uso de aplicativos bloqueadores pela população.

Por conta dos números brasileiros, a América do Sul segue como a região mais atingida por chamadas de spam, com a maior parte dos países que compõem o top 10. Novas normas locais, entretanto, fizeram com que vizinhos normalmente sofridos caíssem de posição, como é o caso do Chile, Peru e Colômbia. Ao mesmo tempo, chamou a atenção dos pesquisadores o surgimento de diversos países europeus, como a Hungria, a Polônia e a Espanha, entre os que mais recebem chamadas desse tipo, sendo que muitos dos territórios do Velho Continente nem mesmo apareciam em listagens anteriores.

Os números do Truecaller também mostram um fluxo de crescimento constante no volume de spam telefônico, com os totais globais quase dobrando entre 2018 e 2020. A empresa chama a atenção para um aumento significativo nas chamadas automáticas, feitas por robôs, enquanto os golpes usando engenharia social e o telefone também cresceram amplamente, seguindo a tendência em segurança digital que também levou a uma alta nos ransomwares e ataques de phishing por e-mail, todos se aproveitando do trabalho remoto e dos índices mais baixos de proteção de colaboradores e redes internas.

O mês de outubro foi o período de maior atividade entre os spams telefônicos, com aumento de 22,4% nas chamadas, enquanto, na média anual, os números tiveram crescimento de 9,6% por mês a partir de maio, com o início do isolamento social que levou empresas a reverem as formas de atingir os clientes. Manteve-se, entretanto, a tendência de “descanso” de golpistas e centrais de contato durante os finais de semana, com a maioria das chamadas acontecendo de segunda a sexta.

Os números reforçam a necessidade de atenção por parte dos usuários de telefonia, principalmente aqueles com pouca intimidade com tecnologia, que acabam sendo a isca mais fácil de golpes. Usar aplicativos de identificação ou bloqueadores pode ser um bom caminho para evitar golpes e incômodos, assim como evitar passar dados ou contratar serviços no impulso, durante uma chamada recebida. Caso tenha um problema com uma companhia, prefira desligar e retornar o contato a partir de números oficiais, para garantir a segurança.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email