Nível de estresse dos motoristas é avaliado por cientistas

Para avaliar até que ponto o estresse no trânsito de Manaus interfere na vida dos motoristas uma pesquisa comparou a emoção raivosa de 400 motoristas que diariamente enfrentam o calor e o trânsito de Manaus. O estudo intitulado, “A emoção raivosa em motoristas de automóvel, caminhão, motocicleta, ônibus e táxi” foi a tese de doutorado do psicólogo e professor da Ufam, Luis Alberto Passos Presa.
De acordo com Passos, os acidentes de trânsito são uma das principais causas de mortes violentas no Brasil. “O estado emocional do motorista é importante para a Direção Segura. A emoção raivosa é uma das causas dos acidentes, pois prejudica a percepção, a tomada de decisão e a psicomotricidade”, revelou.
O pesquisador disse ainda que os resultados da pesquisa mostram que a média de emoção raivosa varia conforme o tipo de motorista. Porém, ele afirma que não houve diferença significativa na emoção raivosa média entre homens e mulheres que dirigem automóveis.
“Os resultados sugeriram ser importante avaliar os níveis de emoção raivosa nos motoristas experientes e nos candidatos a motorista, quando estes realizam a avaliação psicológica, visto que a emoção raivosa pode ser uma importante causa de infrações e acidentes de trânsito”, alertou.
A pesquisa foi realizada no período de 2007 a 2010. Para realizar o trabalho o pesquisador contou com o suporte do Programa de Apoio à Formação de Recursos Humanos Pós-Graduados do Estado do Amazonas (RH-Interinstitucional) da Fapeam (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas), por meio do qual recebeu cerca de R$ 40 mil para realizar a pesquisa.
Participaram da pesquisa 400 motoristas, sendo 80 de automóvel, 80 de caminhão, 80 de motocicleta, 80 de ônibus e 80 de táxi. Foram aplicados questionários com 20 e 44 itens com respostas em quatro níveis.
Segundo o pesquisador, os resultados demonstraram que os motoristas que apresentam menor emoção raivosa na vida, em geral, tendem a apresentar menor emoção raivosa quando dirigem e vice-versa. Já os motoristas de automóveis apresentaram emoção raivosa média significativamente mais alta que os motoristas profissionais de caminhão e de ônibus e mais baixa do que motoristas de táxi e de motocicleta.
Este trabalho e outros três trabalhos, que também foram financiados pela Fapeam, foram selecionados para serem apresentados no período de 1 a 3 de setembro, durante o 4º SEPEGE (Seminário de Pesquisa em Geografia Humana), organizado pelo Departamento de Geografia da USP (Univesidade de São Paulo) . Os autores dos outros trabalhos foram: Aldeneia Soares da Cunha, Cristiane Barroncas Maciel Costa Novo e Jociane Trindade dos Santos.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email