Os bons ou maus sentimentos acompanham as criaturas em sua trajetória terrena. Os sentimentos bons atestam sua espiritualidade elevada; os maus sentimentos mostram pouca evolução espiritual, um caráter incipiente, e, de acordo com os pensamentos de inferioridade irradiados, tornam-se cada vez piores, aumentam sempre em maldade.

O espírito quando encarna faz certo de processar o seu progresso espiritual. Nenhum indivíduo na Terra é perfeito. Assim sendo, todos devem procurar se aperfeiçoar. O aperfeiçoamento é feito através de trabalhos e lutas que trazem alegrias e sofrimentos, obrigam ao domínio do eu, ao reconhecimento de fraquezas e defeitos, para corrigi-los e modificar-se sempre para melhor.

O domínio do eu tem importância capital na vida dos seres; é do eu que derivam os ímpetos, o mau génio, os arroubos, todas as ações impensadas que muitas vezes causam grandes prejuízos espirituais e materiais. Portanto, o domínio do eu está relacionado ao êxito de cada um. Devem saber penetrar a fundo no seu foro íntimo, para se regenerarem. A regeneração não é exigida somente daqueles que cometem crimes julgados pela justiça. Há muita gente que se julga boa, passando por correta, e que, no entanto, precisaria de grande correção, tais são os atos condenáveis que ocultam. A regeneração do espírito faz-se à medida que vai despertando para a realidade e reconhecendo seus erros com o firme propósito de corrigir-se.

Todos que procuram conhecer-se a si próprios e evitam cometer maiores erros estão concorrendo para o seu progresso espiritual e o bem geral. É uma grande felicidade reconhecer os próprios defeitos. Os que se julgam irrepreensíveis, que se julgam infalíveis, atestam possuir grandes imperfeições.

Os criminosos que vivem nos cárceres, esses geralmente reconhecem seus crimes e a maioria arrepende-se deles, mas são obrigados a cumprir a pena. Todavia, os que vivem livres, porém cheios de maus costumes, só as dores morais os farão despertar, para reconhecerem que são imperfeitos e devem se corrigir, sem precisar de presídios. Não há nada melhor do que a liberdade de pensamento, para se despirem das vaidades, dos preconceitos, entre tantos defeitos que carregam na alma.

A vaidade só serve para prejudicar. Um ser vaidoso nunca reconhece suas faltas, julga-se uma perfeição, acha que errados são os outros. Então, cada um deve se preparar para fazer o seu progresso espiritual, e para fazê-lo é necessário reconhecer os próprios erros, para poder evitá-los.

Lembrem-se todos que o tempo é o melhor fator para a aprendizagem na vida. É o tempo que traz experiência, é o tempo que consola, é o tempo que fortifica. À medida que o tempo passa, os anos se sucedem, mais conhecimentos se tem da vida, maior é o esclarecimento, maior a lucidez no pensar, para verem as coisas de maneira diferente. Enquanto viverem num mundo de ilusões, enquanto se deixarem enganar e iludir, não podem, absolutamente, compreender a vida. É preciso que o passar dos dias e dos anos vá trazendo mais vivência, pois o caminhar na Terra nem sempre é firme. Por isso, elucidem-se, para que possam trilhar com firmeza o caminho sempre reto do dever.

A nossa finalidade é fazer com que as pessoas vivam com naturalidade, não se deixem enganar nem iludir. Fujam da hipocrisia e da mentira, criem um ambiente de tranquilidade e alegria, para que haja paz espiritual. Aprendam, pois, a receber as lições que a vida oferece, porque o tempo é o melhor mestre!

*Jamil Merched Chaar é formado em Administração de Empresas

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email