Negócios estimulam vendas de carros

Segundo dados da B3, companhia de infraestrutura de mercado financeiro, o Amazonas foi o segundo estado que mais financiou veículos na Região Norte do país. O mercado somou cerca de 23 mil unidades de automóveis, números que representam um crescimento de 2,4% em relação ao mesmo período de 2016. Os dados incluem unidades novas e seminovas entre carros leves e pesados, além de motos.

Do total financiado, os automóveis leves foram responsáveis por 72% das negociações, com 16.689 unidades vendidas a crédito. Números referentes aos seis primeiros meses de 2017.

O resultado mostrou um avanço de 4,7% na comparação com o mesmo período do ano passado. Números que colocam o Amazonas apenas atras do estado do Pará.

De acordo com o consultor de vendas de seminovos da Via Marconi, Marcelo Mesquita, as vendas de carros tiveram um crescimento de 20% em relação ao mesmo período de 2016. Segundo ele, um dos fatores desse desenvolvimento é o fato de o governo ter liberado o saques das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e, principalmente pelo crescente número de desemprego, fator primordial que tem levado muitas pessoas a investirem em um veículo para utiliza-lo como fonte de empreendedorismos

"Temos notados muito perfis de compradores. Com esse período difícil da nossa economia muitas pessoas estão perdendo seus empregos em vários setores, e a alternativa que elas têm encontrado é fazer sua renda de forma autônoma. Tenho conversado com muitos compradores que têm investido em carros para vender sanduíches, cachorro-quente, frutas, roupas e outras coisas. É incrível o quanto isso tem crescido. Isso tem aumentado muito a venda de carros financiados, principalmente aqui no setor de seminovos", conta.

Outro fator destacado pelo consultor de vendas foi o surgimento do UBER, empresa norte americana que tem expandido seus serviços eletrônico no setor de transportes urbanos em todo o Brasil. Com o o grande numero de desemprego, muitos amazonenses tem buscado na nova plataforma, uma alternativa de gerar renda e assim sobreviver ao grande colapso de desemprego no país, que cresceu 13,7 % segundo ultimo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"Nesse primeiro semestre de 2017 muitos clientes apareceram para comprar carros fabricados a partir de 2008, um exigência para fazer parte do UBER. E as vendas cresceram muito. Muito deles pegaram o dinheiro de sua rescisão e financiaram o carro dando um grande valor como entrada. Aqui no setor de seminovos estamos vendendo cerca de 12 a 15 carros por semana. Diminuímos de 60 para 20 a quantidade de carros no pátio e estamos com dificuldades de fazer reposição. Ano passado a maior dificuldade que nós encontrávamos no financiamento de um carro era o alto número de inadimplência", destacou.

Se do lado dos seminovos as vendas tiveram um crescimento grande, no setor de carros novos os ventos sopram de forma lenta. Segundo o consultor de vendas, Leonardo Caminho, da Braga Veículos, o número de venda de veículos financiados apresentou um crescimento tímido em relação ao mesmo período de 2016.

"Ano passado notamos no perfil de muitos compradores o receio de serem demitidos. Foi um período tenso e de venda muito baixa. As pessoas tinham medo de investir. Agora em 2017 melhorou um pouco em relação ao ano passado. As pessoas estão mais cautelosas e pesquisam a melhor maneira de não se endividarem. Geralmente elas usam o seu seminovo de entrada. As vendas estão crescendo de forma lenta", destacou.

De acordo com o economista, Francisco de Assis Mourão Junior, esse grande número de consumo de veículos financiados no primeiro semestre é um fator positivo somente se for com o intuito de empreender.

"O aumento da compra de veiculo é um fator positivo se for visto pelo ponto de investimento para gerar renda. Em um período de dificuldades econômicas e crises em nossa política, muitas pessoas que foram demitidas de seus respectivos empregos, buscam uma alternativa para sobreviver. E viabilizam no empreendedorismo a chance de se reerguerem. Mas é preciso ter um controle financeiro para o negócio não virar um problema . O consumos desse ponto de vista é bom porque surge como alternativa. Incentiva o consumo com o intuito de melhorar a economia", disse.

O total de veículos financiados no Brasil no primeiro semestre do ano atingiu 2.425.796 unidades, entre automóveis leves, motocicletas, pesados e outros. Isso representa um aumento de 7,4% em relação ao mesmo período de 2016. Desse total, veículos novos somaram 845.217 unidades vendidas a crédito, enquanto os usados chegaram a 1.580.579.

Números
132.109 veículos financiados na Região Norte no primeiro semestre de 2017
Financiamento de carros leves 83.145
Motos somaram 45.081 unidades financiadas

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email