Pesquisar
Close this search box.

Natalia Demes defende revitalização do Centro de Manaus

Marco Dassori

Twitter: @marco.dassori   Face: @jcommercio

A Fecomercio-AM (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Amazonas) deu prosseguimento, nesta terça (2), às sabatinas com os pré-candidatos à Prefeitura de Manaus. Intitulada “Manaus em Foco”, e veiculada pelo podcast “Caminhos do Comércio”, a série teve sua terceira edição focada, desta vez, na advogada, diretora da Associação Humaniza Coletivo Feminista, e integrante do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher e da Comissão de Direito Ambiental da OAB/AM, Natália Demes (PSOL). Na conversa com os empresários, ela falou de suas propostas para revitalização do Centro, resíduos sólidos e mobilidade urbana, entre outros temas.

Além de operadora do Direito, a entrevistada é ativista social, sendo conhecida por sua atuação em defesa dos direitos humanos e causas sociais. Presidente do diretório municipal do partido, Natália Demes estreia em uma candidatura majoritária, focando em políticas de inclusão social, combate à desigualdade, e proteção ao meio ambiente. Em suas palavras, sua campanha é voltada para a renovação política e o fortalecimento da participação popular na administração municipal.

Está no páreo com pelo outros nove pré-candidatos, todos a serem sabatinados pela Fecomercio-AM. A lista inclui o atual prefeito, David Almeida (Avante); o presidente da Aleam, Roberto Cidade (União Brasil); o deputado federal Capitão Alberto Neto (PL); o também deputado federal Amom Mandel (Cidadania); a empresária Maria do Carmo Seffair (Novo); o engenheiro e ex-deputado estadual, Eron Bezerra (PCdoB); e o professor Gilberto Vasconcelos (PSTU). Completam o rol o ex-deputado federal Marcelo Ramos (PT), e o deputado estadual, Wilker Barreto (Mobiliza), que já foram entrevistados. As edições especiais do podcast serão postadas diariamente nas redes sociais da entidade, até o dia 9.

“Quero cumprimentar a todos. Não só aquelas pessoas que integram nossa categoria, mas também uma parte da população, que nos ouve. Queremos dar boas-vindas à pré-candidata, e ter o prazer de conhecer um pouco de suas ideias e projetos”, apresentou o presidente em exercício da Fecomercio-AM, Aderson Frota, na abertura do programa. “Ela é um representante do mundo feminino e do empoderamento que as mulheres representam hoje na sociedade. Por isso, é muito positivo tê-la conosco”, emendou.

Revitalização do Centro

Natália Demes iniciou sua apresentação, buscando maior proximidade com os interlocutores. “Sou filha de comerciantes. Passei minha vida vendo meus pais gerindo seus negócios, preocupados como crescer, viabilizar a regularidade do empreendimento, e cuidar de seus empregados. Isso me levou a ocupar vários espaços na administração e na execução de algumas funções, desde a adolescência. Sou muito orgulhosa dessa trajetória, e entendo que temos de ter um olhar voltado para o comércio, porque muitas empresas padeceram com a pandemia. Hoje, vemos como o setor tem se reerguido, e nosso programa vem a contribuir para que esse crescimento continue”, afiançou. 

Indagada sobre suas propostas para a reerguer o Centro de Manaus, a advogada lembra que, embora o comércio tenha se deslocado para os shoppings, alguns pontos da região já contam com algum tipo de revitalização do ponto de vista cultural e comercial – como a praça São Sebastião. Mas, no entendimento da ativista faz-se necessário que esse processo seja estendido a outas partes da região, e a solução para tanto passaria por um “olhar social e de infraestrutura”.

“No ambiente cultural, existem certos locais que fazem parte do circuito da noite manauara. Foi, inclusive, aberto um mirante. Mas, falta um pouco de acessibilidade, e que o Centro seja inteiramente revitalizado. E populações em situação de rua têm ocupado as ruas do Centro, e isso deixa o comércio inseguro. Temos uma proposta para que imóveis desocupados possam abrigar atividades comerciais, mas também dando uma resposta em termos de preservação do nosso patrimônio cultural”, avaliou, acrescentando que a arborização também é um dos pontos fundamentais nessa estratégia.

Mobilidade urbana

Natália Demes diz que Manaus precisa de “plena mobilidade” e defende tarifa zero para o transporte público e renovação da frota por veículos elétricos, para atender a parâmetros ambientais. “Estamos falando de uma forma de melhorar a possibilidade de o comércio continuar funcionando, com todos ocupando seus postos de trabalho e beneficiando quem vai consumir. Precisamos de um transporte efetivo, acessível, rápido, confortável e que conduza a todos os espaços da cidade. Por isso, necessitamos ampliar as rotas, compreendendo como as populações se movimentam”, justificou.

Respondendo a uma pergunta dos internautas sobre eventuais soluções para os problemas de trânsito da cidade, a advogada reforçou a necessidade de cuidado com acessibilidade dos manauaras, incluindo vias de pedestres, melhor sinalização, e inteligência no controle do trânsito, o que requer investimentos significativos e um corpo técnico adequado. Mas, ela avalia que o poder municipal deve ir além da fiscalização. 

“A fiscalização tem de ser parte da prefeitura. Mas não é só com as multas que a gente consegue mudar. A propaganda em prol dos cuidados no trânsito tem de ser constante e criativa, para acessar a população. Precisamos também dar possibilidade para as pessoas regularizarem seus veículos. E temos de alcançar a problemática da mobilidade urbana. Não é por vontade que uma mãe leva três crianças em uma moto para a escola”, ressalvou.

Meio ambiente

Questionada sobre o que faria para garantir coleta regular de resíduos sólidos em todos os bairros, com maior eficiência e oferta coleta seletiva, a pré-candidata disse que a questão precisa de respostas rápidas e “interdisciplinares”, em face do impacto ambiental implicado. Ela diz que a população tem dificuldade de lidar com o problema, em razão de uma “produção exacerbada” de resíduos sólidos, e que a situação pede “novas ideias”, com a promoção de audiências públicas e incentivos às famílias envolvidas – inclusive fiscais.

“[São descartados] principalmente resíduos plásticos, que não são biodegradáveis. E há outros resíduos, como baterias, frascos de medicamentos. Precisamos trabalhar não só na coleta, mas na educação ambiental, inclusive com a finalidade de reservar o que pode ser reciclado ou reutilizado. Precisamos também que o programa de coleta seja feita com movimentos que já têm se ocupado de entender a cidade e a dinâmica do descarte de resíduos. Temos, por exemplo, o institutos do Lixo zero”, defendeu.

Natália Demes frisa que a igualdade de gênero – e também de raça e classe – é tida em seu projeto como um filtro fundamental, até para não reproduzir “opressões” na execução de políticas sociais. “Fiquei muito satisfeita em ver como, em geral, o olhar é que as mulheres precisam ocupar cargos de liderança, porque suas habilidades e virtudes são essenciais para a construção de uma sociedade”, enfatizou. “Mas, precisamos fortalecer uma rede de educação básica, para que haja qualidade no cuidado de nossas crianças, e mulheres qualificadas e com disponibilidade para ocupar esses cargos, sem terem de abrir mão da chefia de suas famílias que, por vezes, é feita só por ela”, arrematou.

Marco Dassori

É repórter do Jornal do Commercio
Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Notícias Recentes

Pesquisar