Não relaxe. Controle o peso do seu amigo pet e previna várias doenças

Parece mesmo que não adianta. Muitos tutores insistem em tornar o seu amigo pet um glutão em essencial. Os bichinhos comem tanto, tanto, e ingerem além do que seus organismos necessitam, e pronto! Começam a engordar, ficando vulneráveis para toda sorte de doenças, principalmente a obesidade.

A comida não deve se tornar um vício. E quem come demais, a tendência é encurtar a vida. Isso vale tanto para os seres humanos quanto para os animais, sem distinção. O problema é que costumamos transferir para os amigos de quatro patas nossos maus hábitos alimentares.

Negligenciar esses cuidados é um risco iminente. Vai um pouquinho mais de ração, um petisco rico em sódio e gordura, uma porção da ‘comida de gente’, como muitos chamam, e quando menos se espera o bichinho começa a ‘tufar’.

Então, se você é um daqueles que apreciam ver o seu pet gordinho na vã ilusão de que ele está com saúde, fique atento. O sobrepeso pode estar predispondo doenças silenciosas que vão impactar lá adiante. E causará muito sofrimento para o seu amigo e também para o seu bolso.

Seu amigo de quatro patas estará predisposto a desenvolver, além da já famosa obesidade, problemas cardíacos, renais, hormonais etc. E são tantos, tantos, que agora prefiro ‘pisar no freio’ para não assustá-lo demais. E só lembrar de que a prevenção é a melhor opção para proteger o seu amiguinho. 

Portanto, faça opção pelo manejo alimentar, pois são medidas que podem prevenir vários distúrbios no futuro. Dose as porções servidas diariamente. No caso dos cães, fracione a alimentação de acordo com o peso e a idade do animal – nos primeiros meses, eles devem comer de manhã, à tarde e à noite. Com os gatos, também não é muito diferente.

E, à medida que os bichinhos crescem, a quantidade de vezes servida diariamente vai diminuindo. Até ficar adulto, lá pelos um ano e meio de vida, os animais só devem ser alimentados uma vez por dia. E cabe a você escolher a hora. Em geral, muitos optam em servir as porções à noite.

Evite deixar as rações à disposição dos animais. O alimento fica exposto a moscas, formigas e outros insetos. Contaminado por bactérias, fica impróprio para o consumo e acaba causando infecções. Se o bichinho não comer, recolha a ração e volte a dar quando ele estiver com fome.

São hábitos saudáveis que podem proporcionar uma boa qualidade de vida ao seu amigo pet. Mas só depende de você. Eles precisam ser condicionados desde cedo a ter essa rotina. Se não, ficarão com aqueles olhinhos recorrentes de ‘pidão’ todas as vezes que observar alguém comendo alguma coisa.

Claro, todas essas boas práticas alimentares devem vir acompanhadas de exercícios físicos diários, espaços para atividades lúdicas, brincadeiras, interação com outros animais e pessoas, além do afeto e do carinho que você proporciona ao pet.

Não se engane. Eles também têm depressão, sentem a ausência do tutor e podem ficar tão apegados que acabam adoecendo. O emocional também impacta muito negativamente na saúde dos bichinhos.

Você deve descobrir a medida exata e o tempo que dispuser para dar essa afetividade de que ele tanto precisa. Carinho, afeto, atenção, também aumentam a imunidade. O organismo terá mais condições de combater as doenças. E ainda permitir uma maior longevidade para os nossos amigos. 

Afinal, os animais têm um ciclo de vida muito curto. Vivem de 10 a 14 anos, em média. E só você poderá permitir que eles fiquem por mais tempo ao seu lado.

POR DENTRO

. Boa alimentação (só produto animal)

. Manejo alimentar

.Fracionamento (de acordo com a idade)

. Evitar excessos

. Atividades físicas

. Espaço para interagir, brincar

. Carinho

. Afetividade

. Vacinas em dia

. Check up a cada seis meses

DICA ANIMAL

‘Que tal, proteger a minha pelagem’ 

São tantos hoje os problemas dermatológicos em animais domésticos que chegam a dar arrepios. A situação já é recorrente em consultórios e clínicas veterinárias. E uma das principais causas são as dermatites por maus hábitos alimentares.

E aí vêm os distúrbios secundários, como a piodermite, principalmente, que é a infecção de pele. E também descamações, queda de pelo etc. Os bichinhos ficam com uma aparência tão carcomida que chega a despertar sentimentos de muita piedade por parte de quem os observa.

Em geral, você pode evitar tudo isso. Sirva somente uma alimentação apropriada para o seu amigo. Ela contém os nutrientes necessários para deixá-lo saudável. Terá mais condições de combater doenças oportunistas. Mas se relaxar nesses cuidados, custará muito caro para o seu bolso e também para a saúde do seu amigo.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email