18 de maio de 2021

‘Não existe plano de vacinação’ diz vereador Amom Mandel

 O vereador Amom Mandel (Podemos) diz não existir um plano municipal de vacinação em Manaus, uma condição adversa que contribui para a ocorrência de toda a sorte de infortúnios verificados na campanha de imunização contra a Covid-19 no Amazonas.

Parlamentar mais jovem eleito nas últimas eleições na capital, ele ressalta que vem acompanhando de perto a crise sanitária por conta da pandemia na cidade. Junto com voluntários abnegados, tem varado muitas madrugadas para avaliar ações do poder público, tentando amenizar o sofrimento da população e frear o avanço da doença.

E lamenta assistir o quanto, segundo ele, a nova prefeitura tem sido negligente, no enfrentamento ao novo coronavírus, enquanto centenas de pessoas morrem por falta de leitos, oxigênio, num sistema de saúde que não estava preparado para atender a tanta demanda de doentes.

Amom salienta que não faz parte da base de apoio ao prefeito e nem da oposição. E que seu maior interesse é defender a população, independente de partidos, credos ou questões ideológicas.

“Estamos há menos de um mês da nova gestão e já assistimos, infelizmente, escândalos envolvendo pessoas que furaram a fila da vacinação. É inconcebível, inimaginável, como alguém pode ser tão egoísta e, de forma sorrateira, burlar a lista de prioridades para ser vacinado indevidamente”, critica. “É uma desumanidade”, acrescenta o vereador.

Ele tem cruzado informações sobre a lista de vacinados enviada pela prefeitura de Manaus ao TCE-AM (Tribunal de Contas do Estado do Amazonas) depois das denúncias sobre irregularidades na campanha. E pôde constatar na listagem, junto com sua equipe, nomes errados e CPFs repetidos e inválidos.

O vereador já lançou o seu gabinete virtual que o conecta em tempo real às demandas da população, tornando as relações e esse feedback mais transparentes. Segundo ele, hoje os maiores pedidos são de alimentos, oxigênio e mais leitos.

“Vemos que as pessoas passam fome em Manaus, estão praticamente engessadas para enfrentar uma situação tão adversa como essa, sem condições para levar alimentos aos seus familiares”, diz. “Estou em paz com a minha consciência. E cumpro o meu papel para o qual fui eleito”, afirma.

Amom põe em prática, ainda, uma iniciativa inovadora na Câmara Municipal – fará um processo seletivo para o pessoal que vai compor o seu gabinete. E diz que pelo menos 5 mil pessoas já buscaram informações sobre as vagas.

“Uma empresa de fora será contratada para fazer a seleção”, salienta.

 O vereador falou com exclusividade ao Jornal do Commercio.

Jornal do Commercio – O sr. vem acompanhando as ações de enfrentamento à Covid-19 em Manaus. E tem sido um árduo defensor de medidas mais eficazes contra a crise sanitária. Como tem sido esse trabalho?

Amom Mandel Lins Filho – Minha luta tem sido incansável. Constatei muitas incongruências, principalmente na campanha de vacinação.

Estamos há menos de um mês da nova gestão da prefeitura e a capital já está envolvida em escândalos em nível nacional.

Não me omito, assumi o compromisso de fazer tudo com a maior transparência possível. Tenho acompanhado toda a situação de perto.

Já comecei a plantar as árvores, já cumpri alguns desses compromissos.

Lancei o gabinete virtual. No último domingo, completamos o sétimo ou oitavo dia esperando uma resposta da prefeitura sobre a vacinação.

Na lista de vacinados liberados no site da Semsa, analisamos os documentos enviados ao TCE-AM. Há uma série de erros.

Virei a madrugada no domingo com 127 voluntários. Descobrimos 1.513 CPFs errados, inválidos.

Encontramos 12 nomes repetidos, quatro em branco.

Apuramos as denúncias de que acadêmicos foram vacinados como médicos. A gente precisa realmente apurar se esse tratamento foi correto, se eles estão na linha de frente contra a Covid-19, assim como o pessoal da limpeza.

Aí, sim, nesse caso, justificaria a vacinação deles nesse momento.

Recebi milhares de denúncias pelas redes sociais.

Vou levar de dois a três dias pra concatenar essas informações e enviar aos órgãos, cobrando que os culpados sejam responsabilizados.

JC – A Câmara Municipal de Manaus realizou a sua primeira sessão virtual extraordinária. Como os vereadores lidaram com essas diferenças…?

Amom Lins Filho – Conseguimos uma fluidez muito boa. Mas vários pediram um minuto de silêncio. E quando vimos, já tinham se passado mais de uma hora e meia (rss).

Acho que a reunião foi muito fluida, todos mostrando ter comprometimentos. E esperamos ter mais sessões até o fim do recesso parlamentar.

Pedi a adoção de um calendário especial para que a presidência da Casa atenda aos nossos pedidos. E voltar posteriormente com todas as atividades, de fato, para termos as ferramentas possíveis.

JC  – Como parlamentar e cidadão, qual sua avaliação sobre as denúncias de ‘fura-fila’ na vacinação em Manaus, em detrimento de pessoas que  realmente estavam no grupo de prioridades?

Amom Lins Filho -Vejo como algo muito lastimável, é uma  prova de como estão os tempos modernos. É algo completamente repudiável, inimaginável.

Não é possível que tenhamos seres humanos furando fila, que sejam realmente humanos. E ainda acham que são humanos. É uma falta de humanidade.

Profissionais arriscando suas vidas todos os dias.

Pessoas morrendo todo dia, pessoas com comorbidade. Com milhares de denúncias de gente que não poderia tomar a vacina e achar que a vida delas era mais importante.

E essas pessoas com seu egoísmo recebendo a vacina indevidamente…..

JC – Essa situação não ocorreu só em Manaus. Houve também em Roraima, onde na cidade de Alto Alegre a namorada do prefeito foi vacinada. E aconteceu também em todo o Brasil, praticamente. É preocupante….

Amom Lins Filho – Espero que com a cumplicidade, a transparência das redes sociais, as pessoas percebam a importância da política para promover transformações que evitem situações calamitosas como essa.

Que o gabinete virtual, a ouvidoria, tragam uma reação positiva em cadeia, não somente na administração pública, como também na sociedade mesmo.

JC –Existem possiblidades de buscar outros caminhos ou outras esferas para tentar fazer essas correções….?

Amom Lins Filho -Existem, sim, os órgãos de controle foram todos acionados. Estamos entrando em contato com os responsáveis nos órgãos pra mandar os dados que a minha equipe conseguiu extrair das listas de vacinados.

Estou fazendo uma filtragem de todos esses dados pra mandar a todos os órgãos.

JC – O parlamento está em recesso, mas vemos que o sr. não está parado. Nas suas atividades, qual a principal demanda da população que tem chegado a sua equipe, são oxigênio, internação, alimentos?

Amom Lins Filho – Estamos numa crise humanitária. E  o foco é a transparência com as pessoas, por isso valorizo muito o voluntariado.

Mesmo não sendo minha competência, tenho procurado ajudar em várias situações.

Como no caso do Enem, conseguimos adiar o exame. É uma das ações que encontramos de omissões, de absurdos, nas mais diversas esferas do poder.

Pessoas morrendo e querendo se fazer um evento como o Enem.

A aglomeração não ocorre só nas salas de aulas, acontece também em ônibus, em outros lugares.

A principal demanda é justamente quanto à comida. Parece que as pessoas estão passando fome. Também pedem oxigênio, leitos, remédios.

Faço tudo para atender tantos pedidos, clamores, mas não podemos atender a todos, infelizmente….

JC– Como está o processo seletivo anunciado para o pessoal do seu gabinete, já avançou em que etapa….?

Amom Lins Filho – O meu processo seletivo é encarado como muita transparência.

Estou fechando com uma banca, com pessoas de fora do estado, pra que tenhamos um trabalho muito transparente.

Pelo menos 5 mil pessoas já buscaram informações sobre o processo. As inscrições vão acontecer como qualquer iniciativa desse tipo, com lançamento de edital etc.

JC – O sr. tem obtido sucesso nas redes sociais, onde existem até memes comparando sua luta como a de Harry Potter contra Voldemort. Como encara essa questão?

Amom Lins Filho – Encaro com muito humor, não me incomodo com as críticas. Me fizeram muitas até antes de ser eleito….Sem problemas.

JC – Em pouco mais de 20 dias, o sr. já viu, tem ciência, como estão as ações da nova prefeitura de Manaus. Se alguém lhe perguntar – faz parte da base de apoio ao prefeito ou é da oposição?

Amom Lins Filho – Não sou da base e nem da oposição porque não me oponho a pessoas, só a situações. Vejo que nesse momento acontecem absurdos em Manaus.

Se aparecer algo positivo, vou apoiar, como no caso do auxílio que foi aprovado por unanimidade para ajudar as pessoas durante a crise sanitária.

Entendo que isso é algo bom para a população

Meu lado é o lado da população. O meu lado é o lado da minha consciência.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email