Museu da Cidade de Manaus leva cultura mesmo na pandemia

A 19ª Semana Nacional de Museus continua até o dia 23, domingo, e os museus de Manaus, mesmo fechados devido à pandemia, não pararam de promover cultura seguindo os novos caminhos proporcionados pela internet. Com exceção do Teatro Amazonas, que reabriu seu museu para visitas presenciais agendadas, com limite de dez pessoas por visita, os demais estão realizando atividades virtuais e com bastante aceitação por parte do público, mostrando que esta é uma forma de visitar estes espaços que veio para ficar. Um bom exemplo é o Museu da Cidade de Manaus, da prefeitura, administrado pela Manauscult, que está de portas fechadas há mais de um ano, mas continuou ativo.

O Museu suspendeu suas atividades com o público presente no dia 17 de março de 2020, totalizando, até agora, 14 meses sem atendimento presencial. Neste período, continuou suas atividades educativas através de lives, que incluíram, além do próprio Museu, outros importantes espaços culturais e de memória como o Mercado Municipal Adolpho Lisboa, a Catedral Metropolitana e o Casarão de Inovação Cassina.

“Outra importante ação foi a divulgação do aplicativo do Museu, no qual o visitante, sem sair de casa e com total segurança, pode conhecer todos os espaços da instituição na palma da mão, literalmente, através do celular, usufruindo dessa ferramenta, em português e inglês, e tendo acesso a mais de duas horas de conteúdos interativos com textos, vídeos e animações para todas as idades”, explicou Leonardo Novellino, gestor do Museu.

Leonardo Novellino, “Museu é de vital importância para o nosso município”
Foto: Divulgação

Reabertura em breve

Para a Semana Nacional de Museus, o Museu da Cidade de Manaus programou uma série de seminários bem interessantes, como um sobre a arte tumular, que aconteceu no dia 18, e outro sobre os mercados históricos, que acontecerá no dia 22. Para organizar os seminários foi criada uma comissão de especialistas, que por sua vez, verificou a necessidade de explorar conteúdos poucos debatidos na cidade e com grande potencial de interesse, selecionando um rol estrelado de experts das áreas a serem estudadas com o objetivo de contribuir com a formação social de quem deles participa. Parte desse conteúdo ficará registrado e disponível nas plataformas e mídias sociais da internet, podendo ser consultado posteriormente.

Aguardando o fim da pandemia e a breve reabertura do Museu, Leonardo prepara a instituição para receber, novamente, o público, mas sem deixar para trás as atividades virtuais.  

“Além dos habituais serviços prestados de receptivo turístico, visitação monitorada e turismo pedagógico, de forma presencial, esperamos continuar com o formato educativo híbrido, incluindo sempre o mundo virtual, devido a positiva experiência e interesse das pessoas ao usufruírem esse recurso pedagógico que tanto nos aproxima, não importa a distância. Esperamos, também, oferecer novidades como apresentações artísticas e culturais nos arredores do Museu e por todo o Marco Zero”, adiantou.

Leonardo lembrou que o Museu está aberto para receber e apoiar projetos de qualquer pessoa ou entidade, dependendo da harmonia com a política curatorial da instituição.

De vital importância

Desde que o Museu da Cidade de Manaus foi inaugurado, em 2013, já recebeu mais de 210 mil visitantes, principalmente dos Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido e Argentina. Nos últimos anos houve um aumento nas visitações de países da Ásia como China e Coréia do Sul.

Os visitantes manauaras respondem pela metade das visitações. Do resto do país predominam paulistas e cariocas e, nos últimos anos, houve um crescimento de nordestinos com destaque para os baianos. Antes da pandemia, a média de visitação mensal era de três mil pessoas.

Os visitantes manauaras respondem pela metade das visitações
Foto: Divulgação

Em seus espaços o Museu guarda as histórias das disputas de poder, intrigas palacianas e alternâncias de governos que houveram como a monarquia, a república, a gestão da intendência municipal, da Câmara, da província, do Estado, da prefeitura. Para os aficionados em arqueologia, uma sala mostra parte de um sítio arqueológico e urnas funerárias. Para os entusiastas da arquitetura, o prédio é uma jóia raríssima do neoclássico e um livro aberto sobre restauro e gestão do patrimônio histórico. Para os que amam a formação social e antropológica do povo de Manaus, a exposição do mercado é um deleite, sem falar das outras salas e diferentes acervos.

“O Museu da Cidade de Manaus é de vital importância para o nosso município, pois ele traz a reflexão sobre a origem, construção e desenvolvimento do lugar onde pertencemos e vivemos, Manaus. Cumpre a sua missão de formar públicos de museus, criando na população o hábito de usufruir e desenvolver esse importante serviço educativo, social e terapêutico que contribui com a melhoria da qualidade de vida de munícipes, estudantes e visitantes de todas as idades”, finalizou.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email