Mural de camadas sobrepostas

Um mural de camadas que vão se sobrepondo umas às outras. Essa é a sensação que a escritora Alexandra Vieira de Almeida pretende transmitir para o leitor por meio do livro “Painel”, que chega à sua segunda edição. A ideia é criar, por meio das poesias, um mosaico com elementos variados, misturando, em suas páginas, o subjetivo, o onírico e o denso.

Segundo a autora, a obra se caracteriza principalmente pela pluralidade. A escritora explica que o título do livro tem ligação com a representatividade de um mosaico, como um verdadeiro caleidoscópio, onde o sonho e a realidade se mesclam. Para a poeta consagrada Astrid Cabral, a poesia de Alexandra “nocauteia a realidade”.

Nas páginas, a poeta carioca procura a metáfora como forma de apresentar a potência poética junto de diferentes imagens dimensionadas pelo onírico. Símbolos do inconsciente são lapidados pela arte como forma de trazer o interior para o exterior. “O dentro e o fora se conjugam belamente em muitos dos poemas metalinguísticos que abordam o próprio fazer da poesia”, comenta Alexandra.

Para Marcelo dos Santos, Doutor em Literatura Comparada pela UERJ, responsável pela orelha de “Painel”, a escritora “conduz o leitor para um lugar poético, construído por seus versos imagísticos no momento mesmo em que convite e imaginação se articulam”.

Ficha Técnica

Título: Painel

Editora: Penalux

Gênero: Poesia

Páginas: 98

www.editorapenalux.com.br/loja/painel

Ciência com consciência

Ciência com consciência

 Consciência sem ciência e ciência sem consciência são radicalmente mutiladas e mutilantes. Segundo Edgar Morin, há três séculos o conhecimento científico não faz mais do que provar suas virtudes de verificação e de descoberta em relação a todos os outros modos de conhecimento. Em Ciência com consciência, Morin alerta, então, para a necessidade de uma nova consciência para a ciência e pergunta: “A aventura científica nos conduz à catástrofe ou a um mundo melhor?” Para Edgar Morin, a ciência criou meios extremamente poderosos de transformação, manipulação e destruição, como as armas atômicas e as experiências genéticas, que ameaçam o meio ambiente. A ciência, com sua realidade multidimensional, pode reproduzir efeitos profundamente ambivalentes. O pensamento científico é ainda incapaz de se pensar, de pensar sua própria ambivalência e sua própria aventura.Nesse sentido, “Ciência com consciência enfrenta o duplo desafio: apontar problemas éticos e morais da ciência contemporânea, cujos múltiplos e prodigiosos poderes de manipulação, nascidos das tecnociências, têm imposto ao cientista, ao cidadão e à humanidade inteira o problema do controle político das descobertas científicas e a necessidade epistemológica de um novo paradigma que rompa os limites do determinismo e da simplificação, e incorpore o acaso, a probabilidade e a incerteza como parâmetros necessários à compreensão da realidade. […] Como resposta a esses desafios, Morin, objetivamente, nos oferece, em oposição ao paradigma clássico da simplificação, os fundamentos do novo paradigma complexo, capaz de ampliar os horizontes da explicação científica, tanto nas ciências físicas e biológicas quanto nas sociais”.

Ficha técnica

Título: Ciência com consciência

Autor: Edgar Morin

Editora: Bertrand Brasil

Páginas: 350

Gênero: Ciência e Sociedade

A Sorte Segue a Coragem! 

A sorte segue a coragem

Nesse livro, o filósofo Mario Sergio Cortella afirma que o sucesso ou o fracasso não devem ser atribuídos a forças externas. A obra discute em vinte capítulos comportamentos e caminhos para que saibamos cultivar a própria sorte.

Lançado em 2018, o professor traz em sua obra mais recente a ideia de que a coragem é como uma força virtual que se dá de maneira consciente e organizada. Assim, é preciso que haja uma disponibilidade e uma ação eficaz para que as coisas deem certo.

A sorte, no livro, é tratada a partir de outro ponto de vista. Para o autor, a coragem anda ao lado da sorte e somente através do sacrifício e do esforço pessoal é possível fazer acontecer as coisas na vida. A sorte deve ser enxergada como mais um elemento que pode ajudar nessa trajetória. A reflexão é trazida ao longo das 192 páginas e busca mostrar que não devemos nos colocar como vítimas. É preciso fazer acontecer e aproveitar as oportunidades que aparecerem.

Ficha técnica

Título: A sorte segue a corage

Autor: Mario Sergio Cortella

Editora: Planeta

Páginas: 192

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email