Manaus conta com uma variedade de estilos na gastronomia, com excelentes opções, mesmo para quem quer apenas desfrutar de iguarias regionais, como tacacá, açaí, tapioca, jaraqui frito com farofa etc. Mas, se o manauense ou o turista preferir, também há pratos mais elaborados, como bolinho de tambaqui com chutney de cupuaçu e molho de pimenta arube, entre outras delícias oriundas da fusão amazônica e internacional.

No Largo São Sebastião, no Centro, zona sul de Manaus, há diversas opções de restaurantes. No sobrado que está localizado na esquina das ruas 10 de Julho e Tapajós, há três deles: Caxiri, Delícias Caseiras e Tacacaria Amazônia.

O Caxiri é especializado em gastronomia amazônica com padrão internacional, oferecendo pratos como rosbife de maminha assada e purê de batatas com puxuri e jambu e também drink com cupuaçu, entre outras criações da casa. O Delícias Caseiras oferece refeições à base de peixe, carnes, aves com molhos e temperos regionais e é sempre bem frequentado. O Tacacaria Amazônia também trabalha com o conceito de alta gastronomia e oferece, entre outras inovações, tacacá com pirarucu, com charque e com camarão. Também serve carnes, cuscuz, moquecas e outros pratos.

Ainda na rua 10 de Julho, há várias outras opções de onde se pode comer bem, dentre eles o restaurante do hotel Juma Ópera, que apresenta diversas criações unindo os sabores da terra com técnica de cozinha internacional, como filé de pirarucu fresco com crosta de castanha do Brasil e costelas de tambaqui no mel de tucupi.

Seguindo pela 10 de Julho, há ainda o Tacacá da Ivete Tacacaria e Restaurante, com o melhor da cozinha regional, e a Casa Monsenhor, que serve café da manhã e refeições de almoço e janta, e oferece como destaque os famosos pastéis de Belém. No Largo, há também o Tambaqui de Banda, que oferece, entre outros pratos, a banda de tambaqui assada na brasa.

“O atrativo do Largo São Sebastião para mim é essa mistura de cultura, arte e gastronomia. Além do Largo reunir várias tribos, tem uma cena cultural muito grande. Tem a Galeria do Largo, tem o próprio Teatro Amazonas e também alguns restaurantes que são bem legais, com opções para todos os gostos. Pra quem gosta de pizza, tem a Splash. Pra quem gosta de bar, tem o tradicional Bar do Armando, mas também tem outros, como o Piaf, Tambaqui de Banda etc”, comenta o jornalista Daniel Jordano, que costuma frequentar os restaurantes do local.

Café com história

Consultora de vendas Ladis Rodríguez destaca a variedade do cardápio do Café Palácio

O Largo São Sebastião e o seu entorno também dispõem de várias opções de chá e/ou café da tarde. Um deles é o Café Palácio, localizado no interior do Centro Cultural Palácio da Justiça, na avenida Eduardo Ribeiro. O acesso ao local é pela recepção do Palácio. Se for interesse do visitante, ele pode agendar um passeio pelas dependências do centro cultural, antes de se sentar para comer. O local serve diversos tipos de bolos, biscoitos e também pastéis de Belém, chás, sucos, cremes e outras guloseimas.

“É um local muito agradável e confortável. E a atenção ao público por parte de sua equipe de trabalho é excelente. Eu certamente voltarei aqui, porque gostei da variedade das comidas e do atendimento”, ressalta a consultora de vendas Ladis Rodríguez, durante sua primeira visita ao centro cultural.

Cultura latino-americana

O La Finca se destaca no cenário dos restaurantes locais por apresentar um cardápio gastronômico com base na cultura colombiana e peruana, oferecendo pratos feitos com milho, como arepas com recheios de carne ou queijo, empanadas com recheios de carne, frango ou legumes, ceviche, frutos do mar, caldos e sopas. O local está localizado na rua Diogo de Mendonça Furtado, Dom Pedro, zona Centro-Oeste, e costuma lotar nas noites de sábado, quando oferece um show musical com a cantora peruana Tati Corazón e banda, interpretando um repertório de salsas, boleros, cumbia, merengue e hits pop de Shakira, Juanes, Alejandro Sanz e outros astros da música hispânica.

Ecletismo nos bairros

Outro ponto de Manaus que concentra um grande número de restaurantes e bares é a Praça dos Caranguejos, no conjunto Eldorado, na zona Centro-Sul de Manaus. Eles oferecem refeições rápidas, como tira-gosto, sanduíches, porém dispõem de pratos à base de peixe, carne e aves também. Um dos mais famosos no local é o Monique Bar, criado em 1983 e que foi o primeiro a funcionar no local, oferecendo a iguaria pelo qual a praça ficou conhecida. Além do Monique, há o Mika’s Chopp, Espetos Eldorado, Mix Grill Pizzaria, Ponto 1000 Chopp Grill, Tacacá do Ishiba, Papagaio’s, Rei do Caranguejo e Tá Bom.

No conjunto Vieiralves, também há diversidade de bares e restaurantes, tanto os especializados em peixe, como o Mukkeka, na rua Rio Branco, quanto em carnes, como a Picanharia Vieiralves, na rua Acre. Há, ainda, as opções localizadas nas praças de alimentação do Parque das Laranjeiras, na avenida Professor Nilton Lins, em Flores, na zona Norte, e do Dom Pedro, na avenida Pedro Teixeira, bairro homônimo, zona centro-oeste.

Bar oferece atrativos culturais 

Local oferece atividades como exposições de telas, fotografias e lançamentos de livros

O Cervantes Bar é um dos mais recentes estabelecimentos comerciais de Manaus que possui proposta cultural. Ele funciona no Largo de São Sebastião, na rua Costa Azevedo, nº 232, Centro, zona Sul e foi inaugurado no dia 5 de fevereiro deste ano, porém, assim como os demais empreendimentos considerados não essenciais, teve de fechar em março, só reabrindo no mês de agosto. O funcionamento é de segunda-feira a sábado, das 16h às 23h.

Além de oferecer bebidas alcoólicas, sucos, refrigerantes e refeições (sanduíches, caldos, sopas, petiscos etc) para os seus frequentadores, o Cervantes Bar dispõe de um salão para exposição de telas, fotografias e para performances artísticas. Há também outro ambiente para lançamento de livros, consulta e comercialização de produtos culturais que se encontram disponíveis no local, dentre eles os livros artesanais produzidos por uma das proprietárias, Mel Kenia, que é artista visual e escritora e também de outros escritores. Os livros criados por Mel utilizam materiais reciclados, como CDs, diversos tipos de papéis, cartolinas, papelão, barbantes e tampas de garrafas de refrigerantes.

“A Cultura sempre caminhou comigo. Eu sou artista visual, desde a década de 80. Então, eu resolvi fazer algumas coisas para fomentar a arte. Eu queria dar oportunidade para artistas para que eles viessem para um espaço no Largo (São Sebastião), sem a burocracia de outros espaços culturais”, explica Mel, que criou o Cervantes Bar juntamente com o seu sócio, José Rodrigo.

Ela ressalta que o Cervantes Bar não impõe exigências aos artistas na utilização do local e que eles também estão livres para comercializar seus produtos. Mel conta que, com a reabertura dos espaços, o Cervantes Bar contará com uma programação especial, que está em fase de elaboração. Ela destaca que o cardápio do bar também terá inovações, com a introdução de novos molhos e sanduíches.

“Os artistas que expõem aqui podem comercializar as suas obras. Eu abro o espaço para os artistas visuais, escritores e outros que estiverem interessados em expor no Cervantes. Basta vir falar comigo que eu verifico se tem espaço na agenda. Neste momento, está encerrando uma exposição, e a próxima inicia no dia 9 de outubro. Mas o espaço também está aberto para lançamento de livros”.

Reportagem de Guilherme Gil

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email