Mudanças fazem parte das organizações

As mudanças fazem parte do cotidiano das organizações e dos indivíduos. A resistência é fato normal neste processo, pois, todos nós teremos, um certo desconforto quanto ao acontecimento. O otimismo e o pensamento positivo devem ser os procedimentos adotados por todos os envolvidos nesses momentos para que as decisões sejam de alto grau e confiança. Para isso necessitamos de transparência em todos os atos praticados, todavia, não é isso que ocorre nas organizações e isto faz com que as pessoas e os profissionais envolvidas não sejam resilientes (proativos à mudança) prejudicando consideravelmente a qualidade do serviço prestado juntamente com uma baixa pro­dutividade empresarial comprometendo assim a rentabilidade da organização.

Nossas organizações necessitam, em caráter de urgência, de um maior grau de planejamento nas mudanças. As pessoas res­ponsáveis deste processo não podem esquecer que adminis­trar este momento de modo otimista e com pensamentos positivos cria a sensação real de que a mudança é necessária e trás um crescimento em relação ao mercado e como conseqüência teremos participantes com baixo grau de resistência facili­tando o processo de mudança e aumentando a credibilidade resultando numa participação atuante de todos que se destacarão quando da necessidade da ação no plano traçado pela organização envolvida.

As empresas precisam esclarecer para seus funcionários a necessidade do planejamento estratégico, tático e operacional no momento de uma mudança. O que vemos atualmente é a falta de transparência nos processos de mudanças onde funcionários são “enganados” a colaborar no processo para ter a estabilidade de continuar. Todavia após a finalização do projeto aquilo prometido é esquecido e outras decisões são tomadas quebrando todo o processo de confiança que existia. O pior de tudo isso é que os funcionários/colaboradores que continuarem percebem a instabilidade crescente criando uma elevada resistência ao momento comprometendo o projeto como um todo.

Há uma necessidade crescente do ser humano para ser mais proativo e buscar o me­lhor equilíbrio profissional fazendo da mudança uma rotina necessária. Devemos buscar o progresso da organização e melhorar a qualidade do serviço prestado aos clientes internos e externos. Não podemos es­quecer que melhorando a qualidade de vida de nossos funcionários/colaboradores, também, estaremos criando uma situação de equilíbrio entre as dificuldades diárias e as necessidades de mudanças para aumentarmos exponencialmente a produtividade com qualidade e junto aumentar a rentabilidade da organização fazendo com que está sobreviva e cresça dentro do mercado competitivo que hoje existe.

Certamente, não podemos esquecer que para isto ocorrer temos que envolver os funcionários de modo que todos possam participar de forma ativa neste processo. Devemos saber administrar de modo estratégico, com planos bem definidos buscando nas pessoas o otimismo, a credibilidade com confiança, a situação de proatividade, o querer fazer e isto facilitará a operacionalização de todo o processo que necessitamos implantar. Como conseqüência o resultado será o sucesso e assim conseguiremos atingir os objetivos traçados fazendo com que todos os envolvidos sejam beneficiados e criem para as empresas o melhor ambiente para se trabalhar e progredir em todos os sentidos.

Flávio Guimarães é diretor da Guimarães Consultoria e Treinamento Empresarial, administrador de empresas, especialista em empresas públicas e privadas, pós graduado em Gestão Estratégica de Negócios e professor universitário.
e-mail: [email protected]

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email