Movimentação tem queda de 3,5% no primeiro semestre

Como resultado da queda nas operações de comércio exterior do PIM (Pólo Industrial de Manaus), a movimentação de contêineres cheios nos portos alfandegados de Manaus caiu 3,54% durante o primeiro semestre deste ano, na comparação com o mesmo período de 2006.
De janeiro a junho, o Porto Chibatão Navegação e Comércio, o Superterminais Comércio e Indústria e o Porto de Manaus receberam 58.541 unidades cheias, contra 60.689 movimentadas na primeira metade do último ano.
No fechamento do semestre, os terminais apresentaram uma retração de 5,96% em junho, ao contabilizar 10.560 contêineres, ante os 11.229 registrados em igual mês do ano passado. As informações fazem parte do relatório divulgado mensalmente pela SNPH (Superintendência Estadual de Navegação, Portos e Hidrovias).
Para a inspetora da Alfândega do Porto de Manaus, Maria Elízia Alves de Andrade, a diminuição do número de contêineres movimentados é reflexo da queda nas importações e exportações efetuadas pelas indústrias. De acordo com os indicadores industriais da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus), de janeiro a junho as importações das empresas instaladas no PIM caíram 3,94%, enquanto as exportações reduziram em 45,81%, no paralelo com o mesmo período de 2006.

Operações encolhem

Dos 10.560 contêineres movimentados em junho nos portos de Manaus, 68% procederam das operações de importação e 31% foram exportados. Ainda no sexto mês, a navegação de longo curso (realizada entre países) reduziu 3,85%, saindo de 5.521 (junho 2006) para 5.308 contêineres. Já a navegação de cabotagem (realizada entre portos brasileiros) indicou um decréscimo de 7,98%, caindo de 5.708 para 5.252 unidades.
Responsáveis pela diminuição do volume de contêineres descarregados, o Porto de Manaus e o Superterminais decréscimos tanto no comparativo semestral quanto no mensal, enquanto o Porto Chibatão alcançou um crescimento significativo em ambos os períodos.
Com retração de 65,67% no primeiro semestre e de 58,09%, especificamente em junho, o Porto de Manaus demonstrou o pior desempenho, seguido pelo Superterminais, que experimentou baixa de 8,49% no acumulado do ano e de 24,72% no sexto mês de 2007.
Ao contrário dos demais recintos alfandegados, o Porto Chibatão obteve acréscimo de 53,29% no primeiro semestre e de 41,35% em ju-nho. Líder no mercado de cabotagem, no qual responde por mais de 70% da carga movimentada em Manaus, o Porto Chibatão foi o terminal que mais cresceu nos últimos dois anos.
Segundo Maria Elízia, a empresa foi favorecida pelo declínio do Porto de Manaus. “Há alguns anos o porto do Centro tinha o domínio da cabotagem no Estado do Amazonas. Após o alfandegamento do Chibatão, a maioria dos clientes do antigo porto público migrou para o recinto privativo”, explicou a inspetora.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email