Motos e bikes fabricadas no PIM protegem a floresta

Quantos empregos o segmento de Duas Rodas gera em Manaus, na Amazônia e pelo Brasil afora? Este é um dado econométrico que ninguém comenta, até porque iria contradizer a ideologia oficial que nos impõe custos tributários irreais. O que importa, porém, é seguir fazendo o que nos compete fazer e cumprir mais efetivamente ainda nossa contribuição, tanto na geração de empregos, oportunidades como na proteção do patrimônio natural. Os dados a seguir pretendem demonstrar a equação de quem empreende na Amazônia pela via sustentável.

Razões de entusiasmo 

Conforme dados da ABRACICLO, o polo de Duas Rodas congrega dez indústrias de motos e quatro de bicicletas. Quanto às motocicletas, no ano de 2018, foram produzidas 1.036.788 unidades e a projeção para o ano de 2019 foi de uma produção total de 1.105.000 unidades, o que corresponde a um incremento de 6,5%. Provavelmente encerraremos o ano com boas surpresas. Num contexto de maior oferta de crédito, com taxas de juros mais atrativas e novos players, como os bancos digitais, aumentou o interesse do consumidor pela aquisição de  modelo 0 km. Modelos mais arrojados na inovação tecnológica e no design corroboram as expectativas de crescimento. Com as bicicletas, o quadro é mais otimista, com incremento de 22,7% em relação a 2018. Até o final deste ano, a associação está projetando um total de 857 mil unidades, sendo um incremento total de 10,8% em relação ao ano de 2018.

Investimentos robustos 

Segundo a SUFRAMA, dados de Jan-Ago/ os investimentos no setor de Duas Rodas já estavam em US$1.3 bilhão. A aquisição de insumos correspondeu a US$1.8 bilhão, sendo que desse total, 39,17% foram adquiridos na região. O faturamento das empresas nesse período chegou a US$2.5 bilhões ou R$9.9 bilhões, crescimento de 5,67% em dólar e 15,18% em reais. Isso representou 15,13% do total do faturamento do PIM, ficando atrás apenas dos polos de eletroeletrônico e de bens de informática.

Generosos postos de trabalho 

A mão de obra empregada, segundo os registros oficiais, final de agosto de 2019, ultrapassava 14 mil pessoas, correspondendo a 16% do total de empregos do Polo Industrial de Manaus. Certamente, com o ambiente favorável proporcionado pela aprovação da Reforma da Previdência, privatizações, juros e inflação baixos e retomada do emprego, o volume de produção e vendas do setor de Duas Rodas deve continuar em franca recuperação nos próximos anos, especialmente dos postos de trabalho, que movimentamos indiretamente muito mais do que possamos imaginar.

Serviços ambientais para o Brasil e o Mundo.

Empresas como a MotoHonda, que empregam em torno de 5 mil pessoas, ou seja, mais de 25 mil em Manaus, tem aproximadamente 1000 concessionárias por todo o Brasil. Quantos empregos cada uma delas gera? E os fornecedores de insumos? Façamos o cálculo e especulemos projeções positivas. Temos que colocar, neste cenário, o valor no serviço ambiental de proteger a floresta pois é fácil imaginar os danos se muitas dessas famílias estivessem vivendo às custas da Biodiversidade. Gerar emprego aqui significa conservar o patrimônio natural e ajudar o Brasil e o Mundo a respirar melhor e reduzir desastres ambientais de acordo com a Ciência.

*Nelson Azevedo é economista, empresário e presidente em exercício da FIEAM

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email