“Morar nos Estados Unidos é vantajoso” diz Leonardo Leão

Levantamento do escritório especializado em imigração AG Immigration com sede nos Estados Unidos, no último ano, mostrou que cerca de 19.825 brasileiros conseguiram a autorização, o desejado Green Card, no último ano fiscal americano. Os números são levantados pelo escritório junto ao Departamento de Segurança Interna americano, órgão responsável pelos processos de imigração. Em 2019, o número de Green Cards concedidos a brasileiros foi de 15.394, ou 28,7% menor do que no levantamento mais recente, o que pode ser reflexo da pandemia.

O Green Card não é um sonho tão distante como se imagina. Existem categorias de vistos para profissionais que dão a oportunidade, sem a necessidade de uma oferta de emprego de uma empresa americana. Para falar um pouco mais sobre o Green Card e o país do Tio Sam, o Jornal do Commercio ouviu o especialista em direito internacional, advogado e consultor de negócios internacionais Leonardo Leão, da Leão Group.

Jornal do Commercio: O Green Card dá o direito de a pessoa ficar para sempre nos EUA, ou ela pode ser expulsa se fizer algo grave?

Leonardo Leão: O Green Card é um documento temporário, que pode ter validade de dois ou dez anos. Ele gera direitos e deveres ao seu portador. Sobre os direitos: privilégio de residência permanente, direito a trabalho, seguro social, ir e vir dos Estados Unidos. Os deveres são: o portador do Green Card deve passar ao menos 180 dias por ano no país e precisa estar em dia com suas obrigações tributárias e criminais, ou seja, se ele cometer um crime ou ficar devendo impostos, pode ter o documento revogado e perder o direito de residência nos Estados Unidos.

JC: Hoje, quais profissionais são aceitos de imediato nos EUA?

LL: Devido à realidade que o país tem passado, a retomada econômica e da atividade empresarial no período pós-pandemia (a economia americana dá claríssimos sinais de superaquecimento), quase todas as áreas estão com demanda por profissionais. Atualmente, em uma caminhada pelas cidades americanas, dá para notar que as empresas estão contratando nos mais diversos níveis, desde profissionais da área de atendimento e serviços, até profissionais qualificados. Esses profissionais precisam ter um projeto de atuação e se propor a trabalhar nos Estados Unidos para atender a alguma lacuna da sociedade americana. Tais profissionais são aceitos de imediato.

JC: E quem eles não querem por lá?

LL: Os profissionais estrangeiros que eles não fazem questão de ter por lá são aqueles que estão em abundância e podem tirar ou disputar o emprego com um deles. Querem profissionais que venham solucionar uma carência do mercado de trabalho. Também não querem aqueles que vão somente para usurpar a sociedade, ou seja, vão para fazer funções informais, não pagar impostos oriundos da sua renda e utilizar benefícios públicos americanos sem contribuir com nenhum centavo de dólar para fazer jus a tal.

JC: Por que é vantajoso morar nos EUA?

LL: Na minha opinião, morar nos Estados Unidos é vantajoso se a pessoa se propõe a contribuir para a sociedade americana, fazer um trabalho oficial, legal e que vá contribuir para a sociedade como um todo. Com isso, a pessoa tem direito à documentação, seguro social, permissão de trabalho, pagar impostos e utilizar benefícios públicos para ter uma qualidade de vida melhor para ela e para a família, além de criar novos horizontes para o negócio ou carreira. Os EUA, hoje, enfrentam uma situação totalmente diferente da situação dos demais países do mundo. A economia americana está bem aquecida nesse período pós-pandemia, é um grande provedor de oportunidades e é a maior economia do mundo. Então, ir em direção a essas oportunidades é, sim, vantajoso em relação a outras partes do mundo.

JC: Então, o sonho americano não é uma ilusão de quem deseja ficar rico?

LL: Pode ser uma ilusão para aquelas pessoas que acham que existe o antigo sonho americano de ir sem dinheiro no bolso, ficar fazendo trabalhos extra oficiais e trabalhos braçais, sendo explorado dentro dos Estados Unidos. Nesse caso, realmente o sonho americano pode se tornar uma grande ilusão, a pessoa pode se meter em uma grande enrascada. Também pode acontecer isso quando a pessoa vai despreparada, com dinheiro, mas sem uma assessoria para direcionar de que forma ela deve aplicar esse dinheiro. Eu sempre digo que a economia americana pode te alçar à riqueza em poucos dias, mas também pode te levar a ter grandes problemas em poucas horas, caso você não esteja bem assessorado e invista o dinheiro em alguma coisa ilusória.

Leonardo Leão é mestre em Direito pela University of Miami School of Law, com especialização na University of Miami Division of Continuing & International Education. É pós-graduado em Direito Empresarial e Trabalhista pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) e possui MBA pelo Massachussets Institute of Business.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email