9 de maio de 2021

Mito se alia à pandemia para fugir do impeachment

O artigo mostra como mito se aliou à pandemia, a fim de fugir do impeachment. 

Há décadas não temos líderes estadistas. Pelo contrário,  só presidentes manipuladores que decepcionam: a) Sarney, aliado dos militares da ditadura e que herdou deles a incapacidade de combater a corrupção, reduzir a alta dívida pública e inflação; b) Collor, o fajuto caçador de marajás que confiscou a poupança do povo; c) FHC, mestre em abafar escândalos; d) Lula, chefe de esquemas sofisticados de corrupção durante o Mensalão e Petrolão; e) Dilma, a mãe do PAC que tentou mascarar contas públicas, mas caiu por crimes com pedaladas fiscais; f) Temer, chefe do Quadrilhão do MDB que recebia malas de dinheiro ilícito e ainda orientava os membros do esquema “tem que manter isso ai, viu”; g) Capitão Bolsonaro, o miliciano que entrará para a história como um dos piores presidentes do Brasil. Além da piora dos indicadores econômicos, de combate à corrupção e ambientais, o Mito já foi considerado pelo jornal Washington Post <http://bit.ly/2ZFncJf> o pior líder mundial em lidar com a pandemia. Além disso, o Brasil foi eleito pelo Instituto Lowy de Sydney o pior em gerenciar a pandemia <http://bit.ly/3pHpJx8>. 

O Capitão do Exército Jair Bolsonaro herda outro fato macabro, o de pior presidente da história do Brasil em número de pedidos de impeachment. O detalhe é que os 68 pedidos contra a recordista anterior Dilma ocorreram em 5 anos, enquanto que o Mito acumula 70 pedidos <http://bit.ly/338dnom> em menos de 2,2 anos.

Sob a gestão de Bolsonaro, durante a pandemia, há vários fatos e comportamentos que evidenciam que o Presidente atua de forma deliberada para manter o vírus descontrolado, ganhar tempo, dar mais pastas e cargos para criminosos do centrão para ampliar base do governo, eleger aliados para presidir a CD e o Senado, a fim de se blindar e evitar o mesmo destino de Collor, Dilma e Trump.

No dia 30/01/20 a OMS afirmou que o novo coronavírus representava uma Emergência de Saúde Pública de importância internacional e que a organização estava pronta para orientar os países. A OMS ofereceu 7 recomendações aos países, entre elas: implementar decisões baseadas em evidências científicas, acelerar o desenvolvimento de vacinas, terapêuticas, diagnósticos, combater fake news, revisar planos de preparação, estimular cooperação, etc <https://bit.ly/3qHUIKO>.

Vários alertas diários foram emitidos para as autoridades. Até o dia 11/03/20, quando a OMS elevou o estado da contaminação da Covid-19 para pandemia, o mundo já tinha 11.387 casos registrados, dos quais 332 foram fatais. Enquanto isso, no Brasil o carnaval de 2020 rolou solto, sem controle nas fronteiras, o 1o caso de Covid-19 foi em 26/2/20 e a 1a morte oficial foi em 17/03/20. Mesmo com os alertas da OMS, dos cientistas e até tardiamente da ABIN (47 relatórios com 950 páginas sobre a subnotificação, falta de leitos de UTI e defesa do isolamento social: http://bit.ly/3pBXQqh; http://bit.ly/3jtHmgQ), o Mito agiu para piorar a situação:

1o) ignorou os alertas e minimizou o impacto do vírus

Palavras registradas: está superdimencionado. é fantasia da imprensa, outras gripes mataram mais, gripezinha, tenho histórico de atleta, brasileiro não pega nada, e daí, não sou coveiro, conversinha mole, país de maricas, etc <http://bit.ly/3qHNq9T>;

2o) boicotou medidas de protocolo de segurança

Não usou máscaras, atacou isolamento social, estimulou aglomerações, assinou decreto que autorizava cultos, anulado pela justiça, sem contar os banhos de praia, a campanha “o Brasil não pode parar”, proibida pela justiça, bem como manifestações políticas <http://bit.ly/3un4owt>. Isso tem gerado uma legião de negligentes que estão indo parar no cemitério <Ex.: https://bit.ly/3oH9L6V; http://bit.ly/3aHXVVc>; 

3o) brigou e demitiu profissionais da saúde

O Pazuello foi o único louco que aceitou as ingerências anticientíficas do mito, um general do Exército que não é médico, sem experiência em gestão do SUS. Profissionais experientes da saúde foram tirados dos seus postos no Ministério da Saúde e substituídos por militares, maioria sem formação na área de saúde ou experiência no SUS, resultando em morosidade, baixa execução do orçamento, falta de critérios para transferência de recursos, disseminação e compras de remédios sem eficácia contra a Covid-19, falta de EPIs e oxigênio, etc. Os sucessivos erros de gestão já estão sendo alvos de investigação <https://bit.ly/3uiTdoz; http://bit.ly/3iteqpk; http://bit.ly/3sgvT93);

4o) espalhou 928 fake news e informações distorcidas

Entre jan/19 e dez/20, mito disseminou 2158 fake news ou informações distorcidas <http://bit.ly/2GNdH4n>, das quais 928 (43%) estão relacionadas à Covid-19 <http://bit.ly/3aJvaWx>. A máscara do fiteiro vive caindo, até o STF emitiu nota oficial para desmentir publicação em redes sociais de que teria proibido o governo federal de atuar no enfrentamento da Covid-19, deixando a responsabilidade exclusivamente para governadores e prefeitos <http://bit.ly/3aH3Jhz>;

5o) atacou imprensa, governadores e prefeitos

Atitude que não permitiu o país agir de forma eficiente, econômica, transparente e integrada contra a pandemia.

6o) divulgou e estimulou a compra de remédios sem eficácia cientificamente comprovada contra a Covid-19

Como resultado, há vários casos de pessoas morrendo <Ex.: http://bit.ly/3pE8axJ; http://bit.ly/2OVoHAN> ou com quadro clínico <Ex.: https://bit.ly/2MhQtXq> agravado após tomarem esses remédios. Até o criador do Kit Covid morreu de Covid19 em set/20 <http://bit.ly/2NR2lQj>. Essas ações já estão virando caso de polícia, basta ler artigo do ex-delegado da PF Jorge Pontes <http://bit.ly/3sj3izM;>, a notícia-crime enviada pela Ministra Rosa Weber para a PGR <http://bit.ly/2P0pVuI> e o pedido de investigação feito por ex-procuradores-gerais da república <http://bit.ly/3dvXC1v> contra o Presidente; 

7o) atacou a OMS, a China e a Vacina Coronavac

Enquanto presidentes de países modelos adotam atitude de cooperação global para a aceleração da vacinação, em nosso país, presenciamos ataques sistemáticos do presidente e seus seguidores à OMS<http://bit.ly/3pCd8eF; http://bit.ly/2Mb2ihU>, à China <http://bit.ly/3uvfY8W> e à  Coronavac <http://bit.ly/3bmgopi>. Segundo o Instituto Butantan, o desgaste diplomático entre o governo federal e a China atrasou a entrega de doses da Coronavac ao Ministério da Saúde <http://glo.bo/3ujWe86>, além disso os gestores desse instituto enviaram ofícios em jul/20 oferecendo ao Ministério cerca de 60 milhões de vacinas ainda em 2020 e outras 100 milhões a partir de jan/21, mas o Ministério só decidiu comprar a vacina em jan/21. 

Finalmente, para fins reflexão sobre o impacto das atitudes supracitadas, eis os ensinamentos de três estadistas: a) quando os sábios governam, o povo se alegra, mas quando o ímpio domina, o povo geme (Rei Salomão em Provérbios 29:2); b) a mentira nunca vive o suficiente para envelhecer (Sócrates); c) pode-se enganar alguém durante muito tempo, pode-se enganar a muitos durante algum tempo, mas nunca se conseguirá enganar a todos durante o tempo todo (16o Presidente dos EUA Abraham Lincoln).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email