Ministérios formam parceria para lançar projeto sobre roteiros nacionais em SC

O Sítio Tribess, em Pomerode (SC), foi palco do lançamento oficial do Roteiros Nacionais de Imigração. O projeto do MinC (Ministério da Cultura) e do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) –que conta com o envolvimento do MTur (Ministério do Turismo), do MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário), do governo de Santa Catarina, do Sebrae (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) e de 15 municípios catarinenses– insere-se no conjunto de ações de reconhecimento e valorização da contribuição das diversas etnias na formação da identidade cultural brasileira.
Durante a solenidade, realizada nessa segunda-feira, foram assinados termos de cooperação técnica entre MinC, MTur, e MDA, Sebrae, governo estadual e prefeituras municipais, visando promover e realizar ações que auxiliem na implantação dos Roteiros Nacionais de Imigração.
O ministro da Cultura, Gilberto Gil, ressaltou que o projeto está sendo iniciado no Estado de Santa Catarina, mas que, posteriormente, outros Estados devem também receber a iniciativa projeto.
Ele exaltou a região: “Santa Catarina, esse pedaço de terra, esse 1% do território nacional com um percentual extraordinário de densidade cultural, espiritual, afetiva, com capacidade de compartilhamento, de fraternidade, de união, de comunhão humana”.
Após ter sua gestão elogiada pela senadora Idelli Salvatti (PT-SC), Gil respondeu que “tem sido uma satisfação enorme nesses quatro, cinco anos de trabalho poder contribuir para a renovação do conceito de cultura do país”.
O ministro disse ficar satisfeito pelo reconhecimento da importância do que vem sendo feito pela cultura do país. “Não exatamente pela quantidade de coisas, mas pelo significado simbólico, pelo significado de renovação, pelo significado cultural de transformação que se estabelece nesse país, que precisa ser levado adiante, que precisa ser confirmado. Faz com que o Brasil seja visto pelo resto do mundo como um Brasil original. O mundo cada vez mais reconhece o Brasil”, completou Gil.
Há cerca de 20 anos o Iphan, autarquia vinculada ao MinC, começou o trabalho de reconhecimento do legado dos imigrantes na culinária, na música, na arquitetura e outras manifestações. O presidente da instituição, Luiz Fernando de Almeida, enfatizou que a diversidade é a maior riqueza cultural do Brasil. E comentou que não basta tombar e proteger, mas precisam ser também criadas ações para que o modo de fazer possa permanecer de geração em geração.
Também são objetivos do projeto tornar conhecido, reconhecido e valorizado o patrimônio dos milhares de imigrantes que vieram para o Brasil a partir do Século 19 e transformaram definitivamente o arranjo social do país; viabilizar a sobrevivência para que as gerações futuras possam identificar-se através do curso da história; e abrir um canal para a reflexão sobre a composição da nação brasileira, suas peculiaridades, especificidades, misturas e diferenças, e, de alguma forma, participar do avanço da sociedade em busca de um mundo melhor e mais justo.
Há mais de um século, Pomerode preserva os traços culturais herdados dos colonizadores, vindos na maioria da Pomerânia, região situada ao norte da Alemanha. Conhecida por suas tradições e belezas naturais, é intitulada ‘a cidade mais alemã do Brasil’.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email