Ministério descarta risco de desabastecimento

Pela segunda vez nesta semana o Ministério de Minas e Energia fez um anúncio oficial para rechaçar possibilidades de desabastecimento de energia no país. O Secretário de Energia Elétrica da pasta, Ildo Grüdtner, leu uma nota para a imprensa. “A não ser que ocorra uma série de vazões pior do que as já registradas, evento de baixíssima probabilidade, não são visualizadas dificuldades no suprimento de energia no país em 2014”, diz o texto lido pelo secretário.
De acordo com a nota, o sistema de transmissão de energia possui uma rede de 116 mil quilômetros, “suficiente para o escoamento da energia do país aos centros de consumo”.
O texto diz ainda que a operação dessas linhas vem sendo feita dentro dos padrões de segurança, mesmo com “os recordes na demanda máxima, por elevação das temperaturas”.
Para todo o ano de 2014 o Ministério de Minas e Energia diz que o sistema “apresenta-se estruturalmente equilibrado” e “com sobras”.
O cálculo usado para reforçar esse raciocínio considera um risco de deficit de energia de 5%, que é o valor estabelecido pelo Conselho Nacional de Política Energética. Além desse limite, portanto, haveria uma sobra de 6.200 MW médios, o equivalente a 9% da carga prevista.
Por último, considerando as previsões de chuva, o governo diz que, ao final do período úmido, em abril, os níveis de armazenamento nas regiões Sudeste/Centro-Oeste e Nordeste serão suficientes para garantir o suprimento energético do sistema
Ontem, o CMSE (Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico) se reuniu em Brasília para avaliar as condições de suprimento de energia do país, especialmente com a falta de chuvas nos reservatórios das hidrelétricas. A reunião foi coordenada pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão.
O CMSE admite que o período úmido de 2014 tem se caracterizado por uma estiagem prolongada nas regiões Sudeste, Sul e Nordeste. No entanto, as avaliações sobre o histórico desde 1931, inclusive em 2001, quando foi decretado racionamento de energia pelo governo federal, corroboram a garantia do suprimento em 2014. “Simulando-se o sistema com essas séries históricas de afluências, não se constata nenhuma série que apresente deficit de energia para atender ao mercado”.
Apesar dos baixos níveis dos reservatórios, o CMSE prevê que os níveis de armazenamento, ao final do período úmido são suficientes para garantir o suprimento energético do Sistema Interligado Nacional. Segundo o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), os reservatórios do Sistema Sudeste/Centro-Oeste estavam ontem com 36,28% da capacidade de armazenamento.
O Comitê foi criado em 2004 com a função de acompanhar a continuidade e a segurança do suprimento eletroenergético em todo o país.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email