Minas tem R$ 68,7 milhões para estrutura

O ministro do Turismo, Luiz Barretto, se reuniu na última segunda-feira, 18, em Belo Horizonte (MG), com a secretária de Estado de Turismo, Érica Drumond, para fazer um balanço dos projetos estaduais financiados com recursos do MTur (Ministério do Turismo).
De 2003 a 2007, foram investidos cerca de R$ 300 milhões em Minas Gerais e para este ano já foram empenhados R$ 68,7 milhões para projetos de infra-estrutura turística.
Ao falar dos projetos em andamento, o ministro ressaltou a importância da iniciativa do Estado de empregar os recursos de forma diversificada, contemplando obras que vão do saneamento básico até a pavimentação de estradas.
“Às vezes, são feitas obras que aparentemente não são relacionadas ao turismo, mas que, na verdade, beneficiam diretamente a atividade, melhorando também as condições de vida das pessoas”, explicou o ministro.
Nas cidades históricas de Serro e Diamantina, por exemplo, estão sendo realizadas obras de saneamento básico com investimentos da ordem de R$ 24, 3 milhões, envolvendo recursos do Prodetur Nordeste 2. Na região do Vale do Aço, os primeiros oito quilômetros da estrada que liga o distrito de Ipoema, no município de Itabira, com Bom Jesus do Amparo, serão financiados com R$ 5,12 milhões oriundos de convênio entre o governo do Estado e o ministério.
O ministro do Turismo disse também que Belo Horizonte tem todas as condições de ser uma das subsedes da Copa do Mundo de 2014. Ele lembrou que o estado tem quatro destinos entre os 65 indutores do desenvolvimento regional (Belo Horizonte, Diamantina, Ouro Preto e Tiradentes) com prioridade para receber investimentos do ministério. “No entanto, isso não significa que somente esses quatro serão contemplados. Precisamos trabalhar com foco e planejamento para atender às necessidades de melhorar a infra-estrutura turística do país para a Copa”, esclareceu.
A secretária Érica Drumond adiantou que a pretensão de Minas Gerais, além de sediar jogos, é apresentar de seis a oito destinos como candidatos a acomodar seleções estrangeiras durante o campeonato mundial de futebol.
“Nossa demanda é grande, mas o Estado tem condições de buscar jogos de abertura ou de final da Copa e também para receber os times. Assim que forem definidas as subsedes vamos sugerir algumas cidades com condições de infra-estrutura e leitos para este fim”, disse.
Um outro assunto em pauta foi o aumento do fluxo turístico no estado, com a ampliação das rotas aéreas nacionais e internacionais, que interligam os principais destinos turísticos de Minas aos grandes centros emissores de turistas do Brasil e do exterior.
Nos cinco primeiros meses deste ano, 23,7 mil estrangeiros desembarcaram no Aeroporto Internacional Tancredo Neves. O volume é seis vezes superior ao registrado no mesmo período do ano passado, quando 3,9 mil turistas visitaram o estado, segundo dados da Infraero.
A secretária anunciou que a partir de amanhã, 22, entra em operação a nova rota operada pela Copa Airlines, ligando a capital mineira ao Panamá. Com essa rota, Minas Gerais estará interligada a outros 36 destinos operados pela companhia às principais cidades da América do Norte como Orlando, Los Angeles, Miami, Nova York, além do Caribe e outros importantes centros da América Latina.
Para o próximo mês, estão previstas duas novas rotas internacionais da TAM, ligando Belo Horizonte a Paris e a Miami. Atualmente, estão em operação vôos diários da capital mineira para Santiago, no Chile, e para Buenos Aires, na Argentina.
De domingo a sexta-feira, saem vôos para Assunção, no Paraguai, e cinco vezes por semana, para Lisboa, em Portugal. São ações que pretendem fortalecer Minas Gerais como a terceira porta de entrada no país, depois do Rio de Janeiro e São Paulo.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email