10 de abril de 2021

Microempresários mostram sua força

O IEL (Instituto Euvaldo Lodi) realizou, no último sábado, 1º, a 3ª Feira de Micro Negócios do Amazonas, que contou com a participação de mais de 58 expositores de variados segmentos, entre os quais, alimentício, cosmético, confecção e artesanato

O IEL (Instituto Euvaldo Lodi) realizou, no último sábado, 1º, a 3ª Feira de Micro Negócios do Amazonas, que contou com a participação de mais de 58 expositores de variados segmentos, entre os quais, alimentício, cosmético, confecção e artesanato.
A feira tem o propósito de orientar o pequeno e micro empresário e dar a oportunidade para que este possa divulgar seu trabalho e produto.
A gerente de Desenvolvimento e Negócios do IEL, Kátia Meirielle, conta que a edição deste ano veio focada para o tema Copa do Mundo. “Todos os anos formalizamos um tema e, como a Copa esta muito próxima, optamos por essa escolha”, justificou.
Outro destaque, segundo a executiva é o crescimento da procura pelo evento. “Começamos com 28 expositores, hoje alcançamos 58, sendo que só três não são formalizados, um grande avanço para o micro e pequeno empresário”, comemorou.
Na avaliação de Kátia Meirielle, o sucesso do evento se deve também à integração dos órgãos e instituições organizadores: IEL, Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa), Sesi (Serviço Social da Indústria) e Sesc (Serviço Social do Comércio). “Eles são fundamentais para orientar, incentivar, instruir e preparar este empreendedor, que antes não tinham amparo para enfrentar os desafios constantes em seu dia a dia. Por meio de palestras e assessorias, ele se sente melhor preparado para os desafios do mercado das micro e pequenas empresas no Amazonas”, avaliou.

Espaço para divulgar

A empresária no ramo de confecções, Emanuelle Pampolha, falou da importância da feira. “Fazemos parte do Polo de Moda do Amazonas e a feira nos proporciona um espaço para divulgar nosso trabalho, mostrando marcas pouco conhecidas do público”, frisou. O Polo de Moda no Amazonas completa em maio um ano de existência, com 12 empresas encubadas.
De acordo com a Emanuelle, a meta agora é exportar, aproveitando que a marca “Amazônia” é bem aceita no mercado exterior. Atualmente, a empresa vende sua produção para os lojistas e pessoas que compram o produto para revenda. “O mercado interno está absorvendo com sucesso nossa produção na moda infantil, feminina, masculina, de praia e fitness entre outras”, comemorou.
Demonstrando-se contente com a oportunidade de divulgar seu produto, a micro empresaria do segmento de doces, Jeane Graziela Moreira, que participa pela primeira vez do evento neste ano, destacou a importância da feira. “Sem duvida, é uma grande oportunidade para nós, empresários. Apesar de já termos boa clientela, a feira é uma vitrine e o canal de divulgação que nos possibilita sair do anonimato. É a oportunidade de mostrarmos nossos produtos para a outros empresários e a comunidade em geral”, destacou.
O diretor técnico do Sebrae, Mauricio Seffair, destacou o projeto Empreendedor Individual, como sendo um dos principais destaques da feira. As vantagens, conforme o dirigente, passam pela gratuidade na formalização, isenção de taxas para registro da empresa, tributação simplificada, cobertura previdenciária e acesso a serviços bancários (inclusive credito), além de apoio técnico, jurídico e contábil. “A parceria com a Fieam [Federação das Industrias do Estado do Amazonas], trouxe para a feira, a divulgação desse projeto que muito beneficiará o trabalhador que ainda atua na informalidade”, finalizou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email