Micro e pequena empresa quer investir mais em 2010

A grande maioria dos donos das micro e pequenas empresas paulistas está otimista em relação a 2010 e pretende investir nos negócios no próximo ano. Esses são os principais resultados da pesquisa Expectativas das MPEs Paulistas para 2010

A grande maioria dos donos das micro e pequenas empresas paulistas está otimista em relação a 2010 e pretende investir nos negócios no próximo ano. Esses são os principais resultados da pesquisa Expectativas das MPEs Paulistas para 2010.
A sondagem foi realizada pelo Sebrae-SP (Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa de São Paulo), com empresas de micro e pequeno porte de todo o Estado, entre setembro e outubro deste ano, para identificar a opinião dos proprietários das micro e pequenas empresas sobre o ano de 2009 e as expectativas para 2010.
As perspectivas dos empresários para o seu negócio estão baseadas em expectativas de manutenção da inflação e melhora do nível de atividade da economia. Nesse cenário, para 72% dos empresários paulistas o faturamento das empresas irá aumentar e 71% planejam investir, principalmente, na compra de máquinas e equipamentos e na reforma das instalações das empresas.
Os empresários apostam no aumento do nível de atividade da economia, ou seja, aumento de produção (62%), redução do desemprego (61%), manutenção de taxa de inflação (46%) e queda (45%) ou manutenção (33%) nas taxas de juros.
As principais estratégias das MPEs para 2010 são o aperfeiçoamento de produtos e serviços já existentes, citado por 88% dos proprietários e o lançamento de novos produtos e serviços, destacados por 80% do grupo de empresários ouvidos.
Outro dado que denota otimismo é o fato de os empresários esperarem aumento (51%) ou manutenção (44%) do número de empregados em 2010.

Recuperação da economia

Passada a pior fase da crise internacional, já se delineia uma recuperação da economia. Os diversos setores foram afetados de forma diferenciada a partir de outubro de 2008. “A indústria e o setor agropecuário sentiram mais a crise num primeiro momento devido à retração da oferta de crédito e queda das exportações. Já comércio e serviços sentiram queda nas vendas devido a postura mais cautelosa do consumidor”, explicou o consultor do Sebrae-SP Pedro João Gonçalves, responsável pela pesquisa.
“O cenário atual aponta para uma retomada gradual, baseada em tendências como nível de atividade mais forte, inflação sob controle e recomposição de gastos do consumidor. Essa recuperação começou por comércio e serviços e deve atingir indústria e agropecuária”, acrescentou Gonçalves.
Na opinião do diretor-superintendente do Sebrae-SP, Ricardo Tortorella, as estratégias das MPEs para 2010 indicam que pretendem aproveitar a retomada da economia para alavancar negócios. “Após passarem por um ano difícil, em 2009, os empreendedores têm perspectivas favoráveis”, declarou.

Balanço de 2009

Os empresários estão divididos em sua avaliação quanto a 2009: segundo 43% dos proprietários de MPEs, o ano foi parecido com 2008. Já para 35% o ano de 2009 foi pior que 2008 e para 22% foi melhor.
A avaliação da indústria foi mais pessimista em relação aos demais setores da economia: 48% declaram que 2009 foi um ano pior que 2008. Já os setores do comércio (48%) e serviços (40%) avaliam o ano de 2009 como semelhante a 2008.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email