9 de maio de 2021

Michelin investe mais em produção no PIM

A fabricante de pneus Michelin vai investir R$ 100 milhões na ampliação de capacidade produtiva de sua unidade fabril instalada no PIM, de 2021 a 2024. O aporte faz parte da segunda fase do plano de expansão da empresa na região e prevê também a criação de 250 postos de trabalho, aumentando em 26% o contingente atual da planta industrial na Zona Franca de Manaus (990 trabalhadores).

A expansão na capital amazonense visa maior produção de pneus para motos e bicicletas e é uma das ações que fazem parte do plano de expansão da multinacional francesa. O plano foi apresentado durante reunião na sede da Sedecti (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia), ocorrida na semana passada, em formato híbrido (presencial e on-line), com a participação de representantes da multinacional, na cidade de São Paulo (SP).

O titular da Sedecti, Jório Veiga, participou da reunião, juntamente com a equipe técnica do Departamento de Atração de Negócios e Mercado Externo.  Em material divulgado por sua assessoria de imprensa, o secretário estadual avaliou com otimismo a iniciativa da Michelin para o aquecimento da economia no Amazonas.

“O plano de expansão da Michelin para os próximos quatro anos nos deixou muito satisfeitos porque pudemos observar que eles estão crescendo bastante, apesar da crise provocada pela pandemia da covid-19. Além disso, a fábrica também irá utilizar uma matéria-prima regional [borracha]. Tudo isso nos faz perceber que as ações que fizemos em conjunto estão surtindo efeito, além de confirmar que o ambiente de negócios proporcionado pelo Estado e pela Zona Franca de Manaus, permite que esse crescimento possa existir e de forma rápida”, declarou.

Segundo Veiga, a perspectiva do Governo do Amazonas é de que o projeto de expansão da Michelin possa crescer ainda mais nos próximos quatro anos, com a expectativa de atender, principalmente, o mercado brasileiro com o consumo dos itens produzidos na ZFM. À reportagem do Jornal do Commercio, o secretário estadual mencionou ainda que, além de incentivar a extração da borracha no interior do Estado, levando renda ao interior, a iniciativa da multinacional francesa pode atrair outros players de mercado.

“Esse projeto ainda não entrou nas pautas da reunião do Codam [Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas], mas logo será submetido. Estão finalizando o processo de licenciamento. Desconheço outro fabricante de pneus em Manaus, mas existe sempre a possibilidade de que outras empresas tenham interesse de se instalar por aqui. Principalmente vendo o sucesso de uma multinacional como a Michelin”, destacou.

O secretário executivo de Desenvolvimento Econômico, Renato Freitas, também participou da reunião. No mesmo texto da Sedecti, o executivo ressalta que o governo do Estado vem trabalhando em parceria com várias instituições na estruturação da cadeia da borracha, tendo a Michelin como um dos elos importantes dessa rede.

“A Michelin tem essa demanda pela borracha natural da Amazônia e, por isso, temos feito esse trabalho em conjunto com vários órgãos. A ideia é possibilitar que haja uma produção sustentável da borracha no interior do Amazonas, principalmente no sentido de privilegiar as associações e cooperativas comunitárias, unindo esforços para que não haja nenhum tipo de trabalho escravo”, comentou.

Cadeia fortalecida

Em resposta à reportagem do Jornal do Commercio, o presidente da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), Antonio Silva, considerou que a iniciativa da Michelin é “muito importante” para o Estado e para a indústria incentivada de Manaus, ao dar maior suporte à cadeia de produção de motos e bicicletas, complementando o segmento de duas Rodas, além de incentivar a criação de empregos.

“É uma iniciativa que se reveste de importância também porque será a fábrica uma demandante de matéria prima regional, dando impulso importante na produção sustentável da borracha do interior do Estado, bem como de toda a Amazônia Ocidental. Com a crise provocada pela covid-19, o anúncio da Michelin é de fato uma notícia muito auspiciosa. Mesmo porque, além de procurar processar a matéria prima localmente, gerará empregos em toda a cadeia de fornecimento do látex na região”, comemorou.

Opção pelo Amazonas

Conforme informações da Michelin, a empresa vem mantendo esforços na busca de fornecedores para aumentar a produção e compra do látex no Amazonas. Além disso, a empresa também vem tentando fazer o tratamento dessa matéria-prima localmente, evitando o envio dessa atividade para outros estados, além de aumentar a geração de emprego na região.

Os investimentos locais da empresa têm os pneus para motocicletas como principal item de produção. Atualmente, esse produto é fabricado na cidade de Guarulhos (SP). “Muito nos orgulha essa expansão no site industrial de Manaus. A produção local chega a completar o portfólio da empresa, reforçando nossa atuação no mercado de duas rodas, além de fortalecer e diversificar a nossa oferta no país”, explicou o diretor da unidade fabril da Michelin em Manaus, Vinícius Vieira.

Em texto divulgado à imprensa, o presidente da Michelin América do Sul, Feliciano Almeida, avaliou que a iniciativa da Michelin mostra que a fábrica segue inovando na busca de uma mobilidade mais sustentável para sua clientela. “Com este investimento, a empresa reforça a sua atuação no mercado duas rodas, atendendo às expectativas de seus clientes e provando, mais uma vez, que acredita no potencial do mercado brasileiro”, comemorou.

O mesmo texto informa que, entre 2017 e 2020, a Michelin iniciou seu processo de expansão na região com investimento similar, criando 367 novos postos de trabalho. Hoje, a empresa busca fornecedores para aumentar a produção e compra do látex do Amazonas localmente. “Além disso, também vem tentando fazer o tratamento da matéria-prima no âmbito do Estado, evitando o envio da atividade para outros locais. Com isso, aumenta a geração de emprego, reduz a pegada de carbono com transporte de matéria-prima e o custo logístico”, complementou o texto.

A Michelin é referência no segmento de fabricação de pneus. Conforme a assessoria de imprensa, a multinacional tem sua sede em Clermont-Ferrand (França), está presente em 170 países, emprega mais de 127.000 pessoas em todo o mundo e dispõe de 69 centros de produção implantados que fabricaram cerca de 200 milhões de pneus em 2019.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email