Mesa gastará R$ 36 mi com apartamentos

A Mesa da Câmara decidiu ontem abrir licitação para usar R$ 36 milhões de seu orçamento para reformar apartamentos funcionais de Brasília cedidos gratuitamente aos deputados federais. Dos 432 imóveis, cerca de 120 estariam vazios à espera de reformas.

Cada um dos 513 deputados tem direito a morar em um apartamento, mas pode optar pelo recebimento de R$ 3.000 mensais a título de auxílio-moradia.

A reunião da Mesa decidiu também estender ainda mais o prazo para o que o ministro do TCU Aroldo Cedraz, ex-deputado pelo PFL (hoje DEM) da Bahia, desocupe o imóvel que usa. Mesmo tendo tomado posse no tribunal em janeiro, Cedraz não deixou o imóvel da Câmara.

A Mesa da Câmara negara pedido do ministro para continuar morando no apartamento e havia dado prazo até 30 de setembro para sair. Como isso não se deu, estendeu o prazo até 31 de dezembro.

Cedraz disse que já solicitou outro imóvel à Secretaria de Patrimônio da União e que, enquanto não o recebe, permanece em “um dos diversos imóveis desocupados” da Câmara. Por isso, não receberia auxílio-moradia a que teria direito.

Também na reunião de ontem voltou a ser discutida a venda aos bancos do direito de administrar a folha de pagamento dos funcionários. O objetivo é arrecadar recursos para a construção de um novo prédio de gabinetes.

Outros assuntos discutidos informalmente foram o aumento da “verba de gabinete”, hoje em R$ 51 mil mensais, e a possibilidade de pagar 13º salário para deputados federais aposentados.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email