Mesa Air pede concordata e Embraer é a segunda maior credora da empresa

A retração na indústria aérea fez sua primeira vítima nos EUA em mais de um ano, a Mesa Air Group, que entrou com pedido de concordata ontem no Tribunal de Falências do Distrito do Sul de Nova York

A retração na indústria aérea fez sua primeira vítima nos EUA em mais de um ano, a Mesa Air Group, que entrou com pedido de concordata ontem no Tribunal de Falências do Distrito do Sul de Nova York. A companhia, com sede em Phenix, pretende reduzir o número de aeronaves de sua frota, mas continuará as operações normalmente depois de ter falhado em alcançar um acordo fora dos tribunais com fabricantes de aviões e outras partes.
A Mesa, que já foi uma das mais inovadoras companhias de transporte aéreo regional, tem sido pressionada por disputas judiciais e uma joint venture com a China que foi abortada.
As companhias aéreas regionais operam principalmente sob o nome de companhias maiores e têm sido pressionadas por termos de contratos mais onerosos e o abandono de jatos regionais, que tem mantido centenas desses aviões estacionados no deserto.
A canadense Bombardier e a brasileira Embraer estão listadas como as duas maiores credoras da Mesa, que possui dívida de US$ 133 milhões e US$ 42 milhões, respectivamente, junto às fabricantes de jatos regionais.
A Mesa tem uma frota de 178 aeronaves e opera rotas em nome da United Airlines – uma unidade da UAL Corp -, Delta Air Lines e US Airways Group. A companhia também voa para o Havaí sob sua própria bandeira e como Go! Mokulele, embora a segunda unidade não esteja incluída no pedido de concordata. A Mesa já estacionou 52 aviões e planeja eliminar outras 25 aeronaves de sua frota até maio.
Ontem, a Mesa disse que planeja eliminar o excesso de aviões de sua frota, uma vez que continua a enfrentar desafios nos negócios. “Ao longo dos últimos dois anos, trabalhamos de perto com as companhias de arrendamento, credores e outras partes para reestruturar nossas obrigações financeiras”, disse o chairman e executivo-chefe da companhia, Jonathan Ornstein, em uma nota divulgada à imprensa.
A companhia aérea regional pediu concordata principalmente como uma forma de romper os contratos de leasing de 130 aeronaves de sua frota, das quais não precisa mais, disse Ornstein. A mesa disse que espera acelerar a conclusão de um processo com a Delta, no qual a companhia regional está buscando uma indenização de mais de US$ 70 milhões em danos.

Corte de custos

As grandes companhias aéreas americanas reduziram os voos regionais para cortar custos e buscaram renegociar os contratos para pagar tarifas menores para suas transportadoras regionais. A Mesa transportou 11,2 milhões de passageiros em 2008, de um total de 13 milhões em 2007.
No período de nove meses encerrado em 30 de junho de 2009, o mais recente relatório financeiro, a Mesa registrou um prejuízo líquido de US$ 24.2 milhões, depois de ter obtido um lucro no ano de 2008.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email