MERCADO FINANCEIRO – Empresas captam R$ 11,1 bi

As empresas brasileiras captaram R$ 11,1 bilhões em dezembro no mercado local, com maior destaque para o segmento de renda fixa, tendência vista durante todo o ano de 2011, segundo a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). Debêntures lideraram as ofertas, respondendo por 53,4% dos títulos de renda fixa.
“Estes títulos se apresentaram como boa alternativa para a manutenção dos planos de captação das empresas no cenário de incerteza e de retração dos investidores estrangeiros decorrente da crise nos países europeus”, justifica a Anbima, em seu boletim mensal.
O mercado de ações permaneceu sem captações em dezembro, movimento visto em cinco meses de 2011. No acumulado de 2011, as empresas brasileiras levantaram R$ 112,7 bilhões, volume menor que o obtido no ano passado, de R$ 243,6 bilhões, valor impulsionado pela captação de R$ 120,2 bilhões da Petrobras. Também é inferior aos R$ 113,8 bilhões somados em 2007.
Os títulos de renda fixa também lideraram a captação anual, respondendo por 83,2% das captações domésticas ou R$ 93,7 bilhões, por conta da baixa participação das ofertas de ações, que totalizaram apenas R$ 19 bilhões em 2011- o volume mais baixo dos últimos anos. A captação em renda fixa foi recorde da série observada desde 2006, sendo que 84,6% delas foram distribuídas com esforços restritos.
No perfil de captação das empresas em 2011, de acordo com a Anbima, o destaque foi para debêntures, com participação de 43,1% . Em seguida, vieram: notas promissórias (16%) e FIDCs (Fundos de Recebíveis) (13,1%), emissões primárias de ações (12,5%) e CRIs (Certificados de Recebíveis Imobiliários) (11%)>
Em dezembro, foram realizadas duas captações externas com títulos de dívida que somaram US$ 3,6 bilhões. Com isso, o total levantado subiu para US$ 38,6 bilhões no ano passado. “Apesar da volatilidade do mercado internacional, as captações externas voltaram a ser realizadas nos últimos meses de 2011”, destacou a Anbima em seu boletim.
Quando considerado o montante levantado em renda fixa e em ações no mercado internacional, o volume captado no cenário doméstico de renda fixa teve uma participação de 53,8% do total. De acordo com a associação, o porcentual ficou bem próximo ao obtido em 2008 (53%), “quando o então cenário também de crise externa direcionou as captações para o mercado local”.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email