Mercado de TVs plasma e LCD projeta crescer 100%

As vendas de televisores plasma e LCD (tela de cristal líquido) devem apresentar um resultado recorde no próximo ano, atingindo o patamar de 2 milhões de unidades, número superior em 100% à comercialização prevista para 2007 (em torno de 1 milhão) conforme a estimativa da Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica).

O diretor-executivo do Cieam (Centro da Indústria do Estado do Amazonas), Ronaldo Mota, destacou que a queda no preço desses produtos no último biênio constituiu como fator decisivo para a elevação das vendas. “O custo ao consumidor final apresentou uma queda em torno de 50%, ou até mais nos últimos dois anos. Assim, hoje, as pessoas que têm condições estão preferindo adquirir os modelos mais modernos, então, as projeções de vendas são bastantes positivas”, disse.

De acordo com os indicado­res eco­nômicos mais recentes da Su­frama (Superintendência da­ Zona Franca de Manaus), entre os meses de janeiro e se­tembro foram produzidas 605,57 mil unidades de televisores plasma e LCD, mais que o dobro das 257,11 mil unidades fabricadas no mesmo­ intervalo de 2006.

Com base nesses resultados positivos, a Abinee projeta que esse crescimento deverá se manter no próximo ano.
De acordo com a direção da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica, o aumento das vendas reflete a migração da TV de tubo para aparelhos mais modernos.

Em 2005, a indústria vendeu 30 mil televisões plasma e LCD. Em 2006, aumentou para 300 mil, ajudado pela Copa do Mundo, conforme informou a direção executiva da Abinee, que prevê uma comercialização de 1 milhão de unidades neste ano. Ao todo, a indústria deve vender 9,5 mi­lhões de aparelhos, considerando todas as tecnologias.

Codificadores estão sendo encomendado

As projeções da Abinee para 2008 ainda não contemplam as vendas de modelos preparados para a TV digital, que foi lançada no Brasil no último do­mingo, devido o sistema ser uma novidade no país.

Outro produto que deve apresentar crescimento comercial no próximo ano são os decodificadores do sinal digital. O presidente do Fórum da TV digital, entidade que congrega os segmentos envolvidos com a transmissão da nova tecnologia televisiva, Roberto Franco, declarou, neste mês, que a comercialização deve atingir o quantitativo de mil peças até fevereiro de 2008.

Segundo Franco, gran­des re­­­des varejistas do país já enco­mendaram mais de mil unidades das indústrias de set-top bo­­­­­xes para comercializá-los no início do próximo ano.

Em Manaus, as fabricantes do segmento e entidades de clas­se representativas dos empresários assinaram uma nota pública para divulgar à sociedade explicações técnicas sobre o processo produtivo dos conversores digitais.

Dificuldades apontadas

Ronaldo Mota ressaltou que a dificuldade das fabricantes em oferecer preços mais baratos se deve à inovação tecnológica do sistema de transmissão digital de TV. “O Brasil optou por uma tecnologia própria e as empresas ainda estão identificando os fornecedores dos chips, material importado, para a fabricação desses modelos e isso não é um processo simples”, informou.

A nota técnica é mais uma resposta às declarações do mi­nistro das Comunicações, Hélio Costa, que reivindica a extensão dos benefícios fiscais para a produção do aparelho em outras regiões do país, como meio de diminuir o preço do produto.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email