Mercado bom para compra de veículos seminovos

Quem economizou para comprar um carro esperando a melhor oferta, a oportunidade é agora. O mercado de seminovos tem um estoque de pelo menos 5 milhões de veículos que ficaram encalhados por conta da pandemia de coronavírus. 

Sem clientes, as unidades acumularam nos pátios de concessionárias e de lojas independentes. E o tempo de permanência dos veículos em estoque foi de 69 dias. E é bom para o consumidor que pode escolher à vontade a melhor oferta com os estoques não comercializados. Um cenário atípico que não se via há muitos anos.

Foram aproximadamente três meses de retração dos negócios no segmento, que chegou a amargar uma baixa de 34% entre março e abril, quando o isolamento social praticamente parou a economia brasileira. 

Os números são do Estudo Performance de Veículos Usados, realizado pela consultoria MegaDealer em parceria com a plataforma AutoAvaliar. E referem-se aos cinco primeiros meses de 2020, tendo como base mais de 650 mil operações efetuadas em mais de 2 mil concessionárias em todo o país.

A previsão é que o encalhe dos veículos fará o preço dos usados cair em até 50% em concessionárias e empresas independentes. A partir de junho, quando grande parte da economia voltou a operar, as estimativas é que o setor de usados já experimenta um crescimento de 60% só em Manaus, segundo Marcos Rios, supervisor de vendas da Via Marconi, da rede Fiat Automóveis. 

“Nos últimos dias, vendemos de 50 a 60 carros, em média”, afirma Rios. “A comercialização voltou a ganhar fôlego com a reabertura do comércio pós-pandemia. Nossos estoques já estão terminando”, acrescenta o funcionário.

Agora, a grande estratégia das revendedoras é desovar os estoques com as melhores ofertas para recuperar o fluxo de caixa. E, com isso, o mercado retoma o otimismo de antes da pandemia. A disputa pelos clientes é tão acirrada que os lojistas chegam a oferecer taxas de 0,99% ao mês, dependendo da entrada e da opção de financiamento, que pode chegar até 60 meses. 

Em comparação a junho de 2019 e junho de 2020, as vendas foram, porém, 70% a menos. Tudo por conta da pandemia. Mas os ânimos voltam após o enfrentamento de um desempenho negativo por causa do coronavírus. O dinheiro voltou a movimentar a economia. Do começo do mês até a quinta-feira (9), o mercado ficou muito aquecido.

Na compra de seminovos, os juros podem chegar a, no máximo, 1,45%. Mas é mais vantajoso para quem tem dinheiro sobrando. Uma boa entrada reduz consideravelmente o valor do veículo, com taxas menores nas parcelas. Em geral, são unidades fabricadas de 2014 até 2019, com preços a partir de R$ 27 mil.

“O mercado de seminovos ficou muito aquecido em Manaus. Do início do mês até ontem (quinta-feira), vendemos pelo menos 30 automóveis”, afirma Fábio Simões, supervisor de vendas de usados da concessionária Pedragon, revendedora da rede Chevrolet. “Tudo indica que vamos cravar o mesmo desempenho de antes da pandemia”, ressalta.

Margens 

A depreciação do preço do automóvel, que cai a cada ano, alimenta as vendas no segmento de usados. As margens são muito atrativas aos clientes. E ainda: os veículos usados são um ativo essencial para as concessionárias venderem carros zero-quilômetro, pois servem como parte do pagamento e também ajudam a garantir fluxo de caixa para sustentar os negócios e pagar as contas.

Segundo a pesquisa da MegaDealer feita em parceria com a plataforma AutoAvaliar, no mês de maio, em plena pandemia, foi registrado um aumento no preço médio de venda ao consumidor final (atingiu R$ 46,134), considerado um recorde no ano. E também o lucro bruto por venda individual chegou ao maior patamar de 2020 –R$ 5.416, em média.

“Essas margens absurdas não têm como se sustentar e inevitavelmente as concessionárias terão de baixar os preços, facilitar a negociação, se quiserem dar giro ao estoque e colocar dinheiro em caixa”, avalia Fábio Braga, country manager (representante) da MegaDealer no Brasil. 

De acordo com Fábio Braga, são 5 milhões de carros que ficaram parados e não deram fluxo de caixa durante a pandemia. E precisam ser desovados pelo mercado. “Mais vale reduzir a margem para algo entre 5% e 6% e vender um determinado modelo por mês do que manter o lucro bruto e levar de dois a três meses para encontrar o comprador”, salienta o representante.

Outra vantagem que aquece o mercado: sem clientes, as locadoras estão começando a colocar uma quantidade considerável de seminovos, que também deve contribuir para reduzir os preços médios praticados no mercado de usados.

O estudo da MegaDealer lista 30 modelos comercializados:

. Volkswagen Gol

. Volkswagen Voyage

. Volkswagen Fox

. Volkswagen Up

. Fiat Uno

. Fiat Palio

. Fiat Siena

. Chevrolet Onix

. Chevrolet Prisma

. Ford Fiesta

. Ford Ka

. Renault Sandero

. Honda Civic

. Honda Fit

. Hyundai HB20

. Chevrolet S10

. Chevrolet Spin

Citroen C3

. Volkswagen Saveiro

. Volkswagen Polo

. Chevrolet Cobalt

. Chevrolet Cruze

. Toyota Corolla

. Toyota Etios

. Ford EcoSport

. Honda HR-V

. Hyundai AB20S

. Jeep Renegade

. Fiat Toro

. Renault Duster

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email