MDS compra R$ 7,5 milhões pelo PAA

O MDS (Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome) pagou em fevereiro R$ 7,5 milhões a agricultores familiares que forneceram produtos para o PAA

O MDS (Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome) pagou em fevereiro R$ 7,5 milhões a agricultores familiares que forneceram produtos para o PAA (Programa de Aquisição de Alimentos). Mais de 4 mil famílias que entregaram alimentos ao programa pela modalidade de Compra com Doação Simultânea já podem sacar os recursos referentes à venda da sua produção no período entre 17 de janeiro e 14 de fevereiro. Desde junho de 2013, quando o governo passou a fazer os pagamentos diretamente aos agricultores, o PAA já repassou mais de R$ 57 milhões às famílias.
Os alimentos comercializados nesta modalidade são destinados a famílias em situação de insegurança alimentar e nutricional, além de entidades da rede socioassistencial e instituições públicas ou filantrópicas de ensino. Em 2012, 185 mil agricultores familiares de todo país forneceram alimentos para o PAA, que foram distribuídos a 23,8 mil entidades.
O pagamento direto aos fornecedores foi uma das principais mudanças implementadas em 2013 no programa. Os produtores recebem os pagamentos mensalmente e sacam os recursos por meio de cartão magnético individual e específico do programa. O cartão também pode ser utilizado para pagamentos em débito automático. De acordo com as regras da modalidade de Compra com Doação Simultânea, cada produtor pode vender para o programa até R$ 5,5 mil por ano.
Além da agilidade no repasse dos recursos, o novo modelo de operação do PAA substituiu os antigos convênios por termos de adesão de Estados e municípios. A mudança trouxe uma série de mecanismos de controle que garantem maior segurança na operacionalização, além de facilitar o acompanhamento dos pagamentos aos produtores. “A nova forma de operar tenta dar mais simplicidade e mais rapidez com o pagamento direto ao agricultor, mais transparência no controle e acompanhamento de todo o processo, ou seja, temos um sistema mais ágil para o agricultor que fornece o alimento, com mais facilidade de gestão”, destaca o secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS, Arnoldo de Campos.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email