No dia 25 de junho o Município de Maués, que fica localizado a 267 Km de Manaus, capital do Amazonas, completou 188 anos de existência. O lugar é um verdadeiro paraíso no meio da região amazônica. A cidade conhecida como “Terra do Guaraná” possui inúmeras áreas de belezas naturais, como corredeiras, cachoeiras, grutas e praias. Têm cerca de 2.400 metros de área de balneário. E dentre tantas paisagens exuberantes, há ainda o sítio arqueológico conhecido como Ilha de Vera Cruz, em que os primeiros estudos apontam para artefatos com mais de 400 anos de existência. Ele fica localizado no outro lado da cidade, a 10 minutos por meio fluvial. O Local é repleto de praias, igapós, além de um povo acolhedor e que procura manter a tradição cultural e religiosa.

A economia de Maués está fundamentada principalmente na pecuária e na agricultura, com destaque para a produção de guaraná. Os destinos deste fruto são o mercado consumidor de Manaus e multinacionais de bebidas. Atualmente há também mercados do Sul, como São Paulo e Paraná, que se interessam pelo modo artesanal em que o guaraná maueense é produzido. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) o nome Maués se originou do rio que banha o Município.

Porém, não é só a exuberância e cultura que tornam Maués um local de destaque, mas também a grande longevidade de seus habitantes, uma vez que o município tem o dobro da média nacional em idosos acima de 80 anos. E mais: grande parte destes idosos ainda têm uma vida ativa e produtiva. Este fato chamou tanta a atenção dos pesquisadores das universidades do Amazonas, do Rio Grande do Sul e de León, na Espanha, que desde 2007 procuram descobrir as possíveis causas da longevidade na região. E dentre os motivos apontados como preponderantes para esta alta expectativa de vida estão a alimentação e o estilo de vida. O consumo de guaraná, de peixes e de outros frutos, além de uma rotina de atividades físicas variadas, fazem da população local um verdadeiro exemplo para todo o Brasil neste âmbito. Um comprovado “case de sucesso”. O município que outrora já foi denominado Lusea mostra-se cada vez mais atrativo culturalmente e turisticamente.

Eu, particularmente, tenho raízes muito ligadas a este paraíso amazônico, uma vez que meu bisavô paterno, o árabe Mamud Said, adotou Maués como sua terra e construiu sua família e história em solo maueense. Depois, seus filhos Osmar Said (meu avô), Edmilson Said e Raimundo Said contribuíram muito para tornar a nossa querida Maués o que ela é nos dias hoje. A história deles se confunde com a da própria Cidade. É muito gratificante descender de pessoas tão íntegras e valorosas, que deixaram um legado muito importante e significativo, que perpassa gerações. De igual forma, famílias oriundas de outras partes do Brasil e do mundo se estabeleceram ali também e passaram a integrar a nossa querida “Munduracania”. 

  Parabéns, amada Maués, por sua rica história e por seu povo alegre, aguerrido, hospitaleiro e por ser um exemplo a todos em vitalidade, cortesia e animação; dona de um valor cultural, social e econômico singulares. Viva a Vida! Viva MAUÉS!

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email